Questões e controvérsias sobre uma experiência de curso via Facebook

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Questões e controvérsias sobre uma experiência de curso via Facebook por Mind Map: Questões e controvérsias sobre uma experiência de curso via Facebook

1. RIBEIRO, Ana Elisa. Questões e controvérsias sobre uma experiência de curso via Facebook. Revista Linguagem & Ensino, v. 17, n. 3, p. 727-750, 2014.

2. Avaliação positiva das funcionalidades dos Facebook

2.1.  Ambiente popular e familiar;  Interação aluno-aluno e aluno-professor bastante eficiente;  Possibilidade de diálogo com pessoas de todas as partes do mundo;  Suporte a vídeos, reportagens e outros links de maneira facilitada;  Praticidade de não sair de casa, do trabalho etc.;  Flexibilização do tempo;  Registro permanente das atividades e acesso a elas, promovendo avaliação contínua do processo pedagógico e da aprendizagem;  Várias funcionalidades permitem conversas: chat, post, inbox, etc.;  Compartilhamento de trabalhos, notícias e eventos

3. Avaliação negativa das funcionalidades do Facebook

3.1. Ambiente de entretenimento;  Facilidade de dispersão (alertas de outras páginas, amigos on-line e a própria internet);  Apego à cultura do papel;  Impossibilidade de visualização, pelo tutor/professor, da participação individual do aluno;  Qualquer participante pode começar um novo comentário, o que pode tirar o foco de uma discussão que esteja ocorrendo e deixar outros comentários inacabados;  Dificuldade de acompanhar as postagens;  Indistinção, no sinal de mensagem recebida, em relação à classificação do tipo de postagem – se acadêmica ou de entretenimento;  Mistura das postagens do curso com externas;  Dificuldade em discussões longas e teóricas;  Postagens maiores ficam com diagramação muito longa e cansativa.  Ferramenta

4. A análise de dados foi feita a partir das respostas ao questionário

4.1. Questionário enviado aos alunos: --Qual foi sua primeira reação à ideia? [ de ter aulas no Facebook ] -O que você sentiu e pensou? -Você sabia que a disciplina é semipresencial antes de ela começar? -O que esperava dela? -Onde esperava que a parte virtual acontecesse? Cite um software, se souber. -Tente se lembrar dos porquês em relação ao que sentiu sobre cursos on-line, uso de TICs, uso do Facebook. -À medida que o curso se desenvolveu, como você foi avaliando o uso do FB? -Qual é sua avaliação geral sobre o uso da ferramenta nesta disciplina? -Você usaria o FB para dar um curso virtual? Por quê? -Que funcionalidades você acha que são adequadas e inadequadas para o uso pedagógico do FB? -Quer comentar mais alguma coisa que lhe ocorre em relação à questão? Fique à vontade. -Você quis participar desta dicussão e das respostas a este questionário? -Você autoriza que eu empregue estes dados em minhas pesquisas, desde que eu não cite seu nome? Isso estará sempre em segredo, seguro.

5. A escolha pelo Facebook foi opção pessoal da professora e, para coletar as impressões de todos os alunos de forma sistemática, foi enviado um questionário sobre a execução da disciplina ‘Novos Letramentos’ pelo FB

5.1. Algumas reações à ideia de fazer uma disciplina no Facebook foram conflitantes, pois os estudantes consideraram a facilidade e a frequência de acesso, mas também a divergência entre lazer e estudo no mesmo ambiente.

5.2. Alguns aspectos negativos apontados por alguns alunos foram, além da ‘escolarização’ do Facebook, as dificuldades comuns à estudantes de cursos a distância, entre eles, o contato frequente com o computador.

5.3. No decorrer do curso, a experiência foi se mostrando muito rica, conforme se nota em alguns comentários que elogiaram a iniciativa

5.4. Algumas questões interessantes levantadas pelos alunos foram a fluidez da interação no Facebook, mais do que seria possível em um AVA tradicional e o questionamento sobre a avaliação – Como avaliar conversas, comentários e posts? Atribuindo-se pontos?

6. Neste texto, a autora discute questões de letramento e de práticas de interação em um espaço virtual a que geralmente se atribui um uso “social”, e não um uso “escolar”: o Facebook

7. O trabalho foi preparado para o Simpósio temático “Multiletramentos, gêneros digitais e tecnologias interativas na escola e na vida”, no VII Simpósio Internacional de Estudos de Gêneros Textuais – SIGET.

8. O artigo foi escrito a partir de uma pesquisa qualitativa através de formulário/questionário respondido pelos alunos de um curso de especialização semipresencial em que o Facebook foi utilizado como ambiente de aprendizagem e discussão.

9. Is it Facebook a good space to be a teacher?

10. A experiência se mostrou instável porque foi transitória, em um curso que não era totalmente à distância. A aceitação do Facebook como apoio se mostrou mais confortável aos alunos do que como ambiente de aprendizagem, devido ao enfrentamento do ambiente de lazer/trabalho e à falta de definição do que era proposto pelo professor e o que era esperado dos alunos.

10.1. A meu ver, a experiencia não foi de todo instável, pois como foi apontado pela autora, os alunos destacaram pontos positivos e, se não fosse por, talvez uma falta de organização de todos os participantes, acredito que teria sido uma experiencia muito mais positiva.