O QUE DEVERIA SER CONSIDERADO AO PROJETAR UMA HABITAÇÃO MULTIFAMILIAR COMPACTA EM MEIO URBANO

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
O QUE DEVERIA SER CONSIDERADO AO PROJETAR UMA HABITAÇÃO MULTIFAMILIAR COMPACTA EM MEIO URBANO por Mind Map: O QUE DEVERIA SER CONSIDERADO AO PROJETAR UMA HABITAÇÃO MULTIFAMILIAR COMPACTA EM MEIO URBANO

1. CONTEXTO DA INSERÇÃO URBANA

2. CONTEXTO

2.1. RELAÇÃO COM ENTORNO

2.2. AGREGAR MELHORIAS

3. AMBIENTE URBANO (BRASÍLIA)

3.1. USOS MÚLTIPLOS (JACOBS)

3.2. APROPRIAÇÃO POR USOS CONTEMPORÂNEOS

4. PROJETO E LUGAR

4.1. HABITAÇÃO SOCIAL EM CAMPINA GRANDE

4.1.1. O lugar

4.1.1.1. Proximidade com a malha urbana

4.1.1.2. Acessibilidade

4.1.1.3. Acesso a água e esgoto

4.1.2. Estruturas Formais

4.1.2.1. Pavimentação

4.1.3. Construção

4.1.3.1. Light Steel Frame

4.1.3.1.1. Economia

4.1.3.1.2. Placas de vedação

4.1.3.1.3. Elaboração de módulos no momento de concepção de projeto

4.1.4. Programa

4.1.4.1. 210 Habitações

4.1.4.2. 10 Módulos de serviço

4.1.4.3. Espaço comunitário

4.1.4.4. Quadra

4.1.4.5. Praças

4.1.4.6. Playground

4.1.4.7. Estacionamento

4.1.4.8. Estudo de ventilação e Insolação

5. BEM ESTAR

5.1. LUGAR

5.1.1. CONFORTO

5.1.1.1. INSOLAÇÃO

5.1.1.2. VENTILAÇÃO

5.1.2. EM TORNO

5.1.2.1. SEGURANÇA

5.1.2.1.1. PUBLICO X PRIVADO

5.1.2.2. SERVIÇOS

5.1.2.2.1. COMÉRCIO

5.1.2.2.2. EQUIPAMENTOS URBANOS

5.2. LAZER

5.2.1. ATIVIDADES

5.2.2. PUBLICO X PRIVADO

5.2.3. ÁREAS COMUNS

5.2.4. INTERNO/EXTERNO

6. HABITAÇÃO INTERESSE SOCIAL

6.1. HABITABILIDADE

6.1.1. DIMENSÕES DA UNIDADE

6.1.1.1. SATISFAÇÃO FÍSICA

6.1.1.2. PSICOLÓGICA E SOCIAL

6.1.1.3. MEIO URBANO

6.2. PROCESSO PROJETUAL

6.2.1. PROGRAMAS DE NECESSIDADES

6.2.1.1. DIMENSIONAMENTO E FUNCIONALIDADE DOS CÔMODOS

6.2.1.2. CONFORTO AMBIENTAL

6.2.1.3. SEGURANÇA

6.2.1.4. SALUBRIDADE

6.2.1.5. COMPATIBILIDADE

6.2.2. IMPACTOS NO PROGRAMA

6.2.3. ASPECTOS TÉCNICOS CONSTRUTIVOS

6.2.4. CARACTERÍSTICAS MORFOLÓGICAS

6.3. IMPACTOS NA CIDADE

6.3.1. RELAÇÃO MORADORES E O AMBIENTE

6.3.2. INFRAESTRUTURA

7. A RECENTE PRODUÇÃO DOS APARTAMENTOS COMPACTOS DE PLANTA LIVRE NA CIDADE DE SÃO PAULO

7.1. ESTRUTURA

7.1.1. PLANTA LIVRE DE ATÉ 45M²

7.1.1.1. VANTAGENS

7.1.1.1.1. REGIÃO COM MAIS OFERTA DE TRABALHO

7.1.1.1.2. MELHOR QUALIDADE DE VIDA

7.1.1.1.3. FINANCEIRAMENTE MAIS VIÁVEL

7.1.1.2. CRÍTICA

7.1.1.2.1. BAIXA QUALIDADE ARQUITETÔNICA

7.1.1.2.2. BAIXO CONFORTO AMBIENTAL

7.1.2. TORRES ÚNICAS OU DUPLAS

7.1.3. VÁRIAS UNIDADES POR ANDAR

7.1.4. MESMA PLANTA

7.1.5. MAIOR FLEXIBILIDADE E VERSATILIDADE AOS USUÁRIOS

7.1.6. SUPERCONDOMÎNIOS

7.1.6.1. REGIÕES COM INFRAESTRUTURA CONSOLIDADA

7.2. CONTEXTO

7.2.1. CLASSE MÉDIA E ALTA

7.2.2. MUDANÇAS NA ESTRUTURA SOCIAL

7.2.3. ELEVADA VALORIZAÇÃO DO PREÇO DA TERRA

7.2.4. SATURAÇÃO DOS BAIRROS

8. SISTEMA DE ESPAÇOS LIVRES

8.1. PÚBLICO E PRIVADO

8.2. ESPAÇO DE CONVIVÊNCIA

8.3. ESPAÇOS VERDES

8.4. SUSTENTABILIDADE E VIDA SAUDÁVEL