Módulo II- Roteiro 4 (obras básicas)

Get Started. It's Free
or sign up with your email address
Rocket clouds
Módulo II- Roteiro 4 (obras básicas) by Mind Map: Módulo II- Roteiro 4 (obras básicas)

1. Retrospectiva histórica das obras básicas do Espiritismo e do Pentateuco Espírita

1.1. 1857 - O Livro dos Espíritos

1.1.1. 1ª edição tinha apenas 501 perguntas e não contou com o chamado método de "controle universal".

1.1.1.1. Nessa edição contava apenas com as participações de poucas médiuns em especial Caroline e Julie Baudin, e a senhora Japhet.

1.1.2. Em 1860 Kardec lança a 2ª edição com o atual formato de 1018 perguntas. Para essa edição o codificador contava com mensagens vindas de especialmente de países da Europa e América

1.2. 1861- O livro dos Médiuns ou Guia dos Médiuns e dos Evocadores

1.2.1. Esse livro foi a sequência natural de "O livro dos Espíritos" já no novo formato lançado no ano anterior. Englobou uma antiga obra publicada em 1858 chamada "Instrução Prática sobre as Manifestações Espíritas".

1.2.2. Em que pese ser mais completa que a obra citada, naquela havia uma parte grande que tratava do vocabulário espírita, tema que seria tratado em uma obra a parte, mas que não foi possível ser publicada em face da morte do Codificador.

1.3. 1864- O Evangelho Segundo o Espiritismo

1.3.1. Título perpetuado após a 2ª edição, em 1865, O Evangelho Segundo o Espiritismo incialmente tinha o título de "Imitação do Evangelho segundo o Espiritismo"

1.4. 1865- O Céu e o Inferno, ou a justiça Divina segundo o Espiritismo

1.5. 1868 - A Gênese - Os Milagres e as Predições segundo o Espiritismo

1.6. Outras Obras:

1.6.1. 01 / 1858 a 04 / 1869- Revistas Espíritas

1.6.1.1. Utilizadas para a construção da Doutrina Espírita sobre a égide do controle Universal era uma publicação mensal que servia de instrumento para debates e divulgação de informações sobre temas espíritas.

1.6.1.2. Segundo as palavras do próprio Kardec: "Nosso objetivo é chegar à verdade, acolheremos todas as observações que nos forem dirigidas e, tanto quanto o permitir o estado dos conhecimentos adquiridos, procuraremos resolver as dúvidas e esclarecer os pontos ainda obscuros."

1.6.1.3. "Nossa Revista será, assim, uma tribuna, na qual, entretanto, a discussão jamais deverá afastar-se das normas das mais estritas conveniências. Numa palavra, discutiremos, mas não disputaremos. As inconveniências de linguagem jamais foram boas razões aos olhos da gente sensata: é a arma daqueles que não possuem algo melhor, e que se volta contra quem a maneja."

1.6.2. 1858 - Instruções Práticas sobre as manifestações Espíritas

1.6.2.1. Foi redigido em atendimento às pessoas que solicitavam do autor indicações precisas sobre as condições que devem ser preenchidas, bem como a maneira de se conduzirem para serem médiuns

1.6.2.2. A parte de outros assuntos trazidos de forma mais aprofundada posteriormente em "O livro dos Médiuns", contava com um extenso vocabulário de 30 páginas que parte pode ser verificado em outras obras mas não em tal extensão.

1.6.3. 1859- O que é o Espiritismo?

1.6.3.1. Obra de uma centena de páginas, contém um resumo dos princípios da Doutrina Espírita. Aí se encontram, respostas às principais questões ou objeções que os novatos se sentem naturalmente propensos a fazer. Esta primeira leitura, que muito pouco tempo consome, é uma introdução que facilita um estudo mais aprofundado

1.6.4. 1861- O Espiritismo na sua mais simples expressão

1.6.4.1. Livreto de apenas 17 páginas em que Kardec se atem a explicar de forma simples o objetivo do espiritismo e seu histórico.

1.6.4.2. Nas palavras do próprio Kardec: "O objetivo desta publicação é dar, num quadro muito sucinto, o histórico do Espiritismo e uma idéia suficiente da Doutrina dos Espíritos, para que se lhe possa compreender o objetivo moral e filosófico. Pela clareza e pela simplicidade do estilo, procuramos pô-lo ao alcance de todas as inteligências. Contamos com o zelo de todos os verdadeiros Espíritas para ajudar a sua propagação" Ref. Revista Espírita de janeiro de 1862.

1.6.5. 1862 a 1867- Viagem Espírita em 1862

1.6.5.1. Entre os anos de 1860 a 1867, Allan Kardec visitou mais de vinte cidades da França e na Bélgica. Suas impressões sobre essas viagens e suas observações sobre a popularização do Espiritismo, deram origem ao livro 'Viagem Espírita em 1862'

1.6.5.2. Nas palavras do codificador: "duplo objetivo: dar instruções onde estas fossem necessárias e, ao mesmo tempo, nos instruirmos. Queríamos ver as coisas com os nossos próprios olhos, para julgar do estado real da Doutrina e da maneira pela qual ela é compreendida; estudar as causas locais favoráveis ou desfavoráveis ao seu progresso, sondar as opiniões, apreciar os efeitos da oposição e da crítica e conhecer o julgamento que se faz de certas obras"

1.6.6. 1864- Resumo da Lei dos Fenômenos Espíritas

1.6.6.1. Livreto de 21 páginas que da uma visão geral sobre o Espiritismo para não espíritas.

1.6.6.2. Segundo o próprio Kardec: "A falta de uma instrução completa, um resumo sucinto da lei que rege as manifestações bastará para fazer considerar as coisas sob seu verdadeiro aspecto, para as pessoas que nela ainda não estão iniciadas." Ref. Resumo da Lei dos Fenômenos Espíritas; Observações preliminares.

1.6.7. 1868 - Caráter da revelação Espírita:

1.6.7.1. Trata-se, na verdade, não de uma obra nova mas uma cópia fiel do capítulo 1 de A Gênese que contém grande parte das explicações sobre como foi feita a Doutrina sobre a ótica do Codificador. Foi, no entanto, publicada em separado.

1.6.8. 1869- Catálogo Racional - Obras para Se Fundar uma Biblioteca Espírita

1.6.8.1. Contém a indicação de cerca de 200 livros, todos analisados criticamente por Allan Kardec, obras fundamentais da Doutrina Espírita, outras complementares (música, poesia, desenho, magnetismo e até livros que falam contra o Espiritismo

1.6.8.2. Nesse livro Kardec menciona o que ele considera serem as obras fundamentais da Doutrina Espírita (todas as obras aqui mencionadas

2. Objetivo: Dar uma visão ampla das obras que compõem a Doutrina Espírita

3. O pentateuco Espírita

3.1. O Livro dos Espíritos

3.1.1. Principal livro da Doutrina Espírita, nele estão contidos os alicerces das demais 4 obras que aprofundam partes a que ele se propôs estudar.

3.1.1.1. Segundo Kardec, os ensinos trazidos em forma de respostas às indagações do Codificador foram dadas por espíritos de ordem superiores. Ref. LE, folha de rosto.

3.1.1.2. O livro em sua 1ª edição tinha 501 perguntas e foi elaborado com o concurso de um número pequeno de médiuns que utilizaram-se das cestas com canetas amarradas na ponta.

3.1.1.3. A 2ª edição foi ampliada para 1018 perguntas com o concurso de um número bem maior de médiuns quando passou a ser utilizado o chamado método do controle universal, haja vista a possibilidade trazida com o sucesso das Revistas Espíritas lançadas a partir de 1858.

3.1.2. Nos prolegômenos há a figura da cepa ( tronco de uma videira) que foi desenhada pelos próprios Espíritos e foi por instruções deles colocado como símbolo do Espiritismo. Dentre os Espíritos que assim orientaram estavam: João Evangelista, Santo Agostinho, São Vicente de Paulo, São Luís, O Espírito de Verdade, Sócrates, Platão, Fénelon, etc.

3.1.2.1. Qual o significado da cepa? Ref. L.E.; Prolegômenos.

3.1.2.2. Segundo os Espíritos: "Aí se acham todos reunidos todos os princípios materiais que melhor podem representar o corpo e o espírito...:

3.1.2.3. "...O corpo é a cepa; o espírito é o licor; a alma ligado a matéria é o bago (o fruto parreira, a uva)"

3.1.2.4. "O homem quintessencia (purifica) o espírito pelo trabalho e tu sabes que só mediante o trabalho do corpo o Espírito adquire conhecimento"

3.1.3. Corpo da Obra

3.1.3.1. 1ª parte: Causas primárias: Deus. Elementos gerais do universo. Criação. Princípio vital.

3.1.3.2. 2ª parte: Mundo espírita ou mundo dos Espíritos. Fala de todas as 6 possíveis transições a que um Espírito pode estar em determinado momento. Encarnado, encarnado com a alma emancipada, desencarnando, na erraticidade, na erraticidade mas influenciando o mundo material e reencarnando. Além disso fala dos diversos mundos existentes e a evolução do ser nos 3 reinos.

3.1.3.3. 3ª parte: Leis morais em que faz uma análise entre as diferenças entre as leis humanas e as divinas ou naturais. Apresenta algumas leis divinas: de Adoração, trabalho, reprodução, conservação; destruição; sociedade; progresso; igualdade; liberdade; justiça, amor e caridade. A perfeição moral.

3.2. O Livro dos Médiuns

3.2.1. 2º livro do Pentateuco, traz toda a teoria sobre manifestações mediúnicas, desenvolvimento da mediunidade, influências e dificuldades na prática e exercício dela. Está também estreitamente relacionado com a parte experimental da doutrina.

3.2.2. Segundo Kardec: "A experiência traz confirmação de que as dificuldades e os desenganos, com que muitos topam na prática do Espiritismo se originam da ignorância dos princípios desta ciência."L.M. introdução.

3.2.2.1. Na mesma direção Pedro Barbosa informa ser o livro um roteiro seguro para médiuns, dirigentes de sessões práticas e doutrinadores para que, em suas páginas, encontrem abundantes ensinamentos, preciosos e seguros na nobre tarefa de se comunicarem com Espíritos, sem o perigo da improvisação, fruto do comodismo e da fuga ao estudo. Ref. O Espiritismo básico; FEB; p.118

3.2.3. O livro é um aprofundamento dos cap. 6 a 11 da 2ª parte de O Livro dos Espíritos que fala sobre o mundo Espírita.

3.3. O Evangelho segundo o Espiritismo

3.3.1. O livro trata de temas que podem ser aproveitados como fonte de conduta a serem perseguidas pelas pessoas no nosso dia a dia no que tange aos aspectos morais.

3.3.2. Trata-se de explicações que dão a visão Espírita a respeito do Evangelho sobre parábolas e ensinamentos contidas na Bíblia católica e atribuídas a Cristo, os seus milagres e aspectos morais. É, portanto, a realização de parte da missão do Espíritismo como um canal de resgate do cristianismo imaculado dos primórdios.

3.3.3. Nessa obra, as máximas do Evangelho, de forma diferente de como consta na Bíblia católica, vêm agrupadas por temas e não em ordem cronológica. É, portanto, um aprofundamento da Parte 3ª de "O Livro dos Espíritos" que dos seus capítulos 1 a 12 fala sobre as Leis Morais.

3.4. O Céu e o Inferno, ou a Justiça Divina segundo o Espiritismo.

3.4.1. É um livro que trata essencialmente de como se procede a evolução do Espírito segundo a Lei de causa e efeito e o princípio da não retrogradação da Alma.

3.4.2. É um livro que se divide em 2 partes: na 1ª verifica-se uma análise comparada entre a Doutrina Espírita e outras abordagens espiritualistas de assuntos como as penalidades e recompensas futuras bem como a existência de anjos decaídos ou demônios. Na 2ª parte há uma extensa quantidade de testemunhos de Espíritos sobre diversos assuntos que dão respaldo a teoria apresentada

3.4.3. O Céu e o Inferno é um aprofundamento da 4ª parte de O livro dos Espíritos que trata das esperanças e consolações, ou seja, os capítulos 1 e 2.

3.5. A Gênese- os Milagres e as Predições segundo o Espiritismo

3.5.1. A obra traz uma explicação da forma como foi elaborada a Doutrina Espírita bem como a visão Espírita sobre a origem do universo, galáxias, sistemas, Terra, origem da vida na Terra.

3.5.2. Por fim, nas 2ª e 3ª partes há explicações dos milagres de Jesus como uma capacidade de uso das Leis da natureza e o pensamento espírita sobre a faculdade da premonição, dedicando o último capítulo para falar sobre "Os tempos estão chegados", a volta de Jesus à Terra, o juízo final e a ressurreição dos mortos, derivações das crenças mais antigas da Humanidade.

3.5.2.1. Segundo o Espírito de São Luís, com esse livro o Espiritismo entra numa nova fase e esta preparará as vias da fase que se abrirá mais tarde. Ref. Revista Espírita de fevereiro de 1868.

3.5.3. Esse livro é um aprofundamento da 1ª parte de O livro dos Espíritos que trata das causas primárias, cap. 2, 3 e 4. Parte 2ª, o mundo espírita, cap. 9, 10 e 11; e parte 3ª que trata das Leis morais, cap. 4 e 5.