Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Móveis Modulo III por Mind Map: Móveis Modulo III

1. Manutenção Diverso

2. Manutenção Industrial

2.1. Manutenção

2.1.1. Historico

2.1.1.1. Até 1914 Inexistênte

2.1.1.2. 1914 à 1930 Correctiva

2.1.1.3. 1940 Preventiva

2.1.2. Conceitos

2.1.2.1. "São todas as ações necessárias para que um componente, equipamento ou sistema, seja conservado ou restaurado, de modo a poder permanecer de acordo com uma condição especificada".

2.1.2.2. Análise de Falhas

2.1.2.2.1. É o exame lógico e sistemático de um item que falhou para identificar e analisar o mecanismo, a causa e as consequências da falha.

2.1.2.3. Defeito

2.1.2.3.1. É a alteração das condições de um item, máquina ou sistema suficiente para que a sua função normal não seja satisfatória.

2.1.2.4. Diagnóstico

2.1.2.5. Manutenibilidade

2.1.2.5.1. É a identificação da causa provável de uma falha ou defeito com a ajuda de dados levantados, experiência e raciocínio.

2.1.2.5.2. É uma capacidade de um item ser mantido ou recolocado em condições de executar como suas funções requeridas, sob condições de uso especificadas.

2.1.2.6. Análise

2.1.2.6.1. É feita utilizando a documentação, ordens de serviço, banco de dados (histórico), etc., com a finalidade de detectar um desvio da situação atual para a situação desejada.

2.1.3. Gestão

2.1.4. Importância

2.1.4.1. É uma gestão de todos os ativos, da empresa, visando uma maximização do retorno de investimentos nestes ativos.

2.1.4.2. ➔ Melhoria contínua das condições de Segurança

2.1.4.3. ➔ Proteção do Meio Ambiente

2.1.4.4. ➔ Melhoria dos custos de fabricação

2.1.4.5. ➔ Qualidade dos produtos e processos

2.1.4.6. ➔ Aumento da produtividade industrial

2.1.4.7. ➔ Aumento da disponibilidade

2.1.4.8. ➔ Aumento da confiabilidade

2.1.5. Tipos

2.1.5.1. ➔ Não Planejada

2.1.5.1.1. Manutenção por quebra

2.1.5.2. ➔ Planejada

2.1.5.2.1. Manutenção preventiva

2.1.5.2.2. Inspeção (Man.Preditiva)

2.1.5.2.3. Manutenção de Conservação

2.1.5.2.4. Manutenção de Melhorias

2.1.6. Atividade

2.1.6.1. Inspecções

2.1.6.2. Rparações

2.1.6.3. Rotinas

2.1.6.4. Lubirficações

2.1.6.5. Subistituições

2.1.6.6. Limpezas

2.1.6.7. Testes/Medições

2.1.6.8. Pinturas

3. Organização da Produção

3.1. 01 Sistemas Produtivos

3.2. 02 Planejamento e controle de produção

3.3. 03 Layout de Produção

3.4. 04 Gestão de qualidade

4. Técnicas de Acabamentos

4.1. Lixamento

4.1.1. Genéricos

4.1.2. Técnico

4.1.3. Duas etapas

4.1.3.1. Pré lixamento

4.1.3.2. Superficial

4.1.3.3. Acabamento

4.1.4. Cavaco

5. Processo Produtivo

5.1. Aquisição de Matéria Prima

5.1.1. Madeira Maciça

5.1.1.1. Por Metro Cúbico M³

5.1.1.1.1. Comprimento

5.1.1.1.2. Espessura

5.1.1.1.3. Largura

5.1.1.2. Por Metro Linear Ml

5.1.2. Capas de Madeira

5.1.2.1. Chapa Inteira

5.1.2.1.1. 2.75mx1,85m

5.1.2.1.2. 2,20mx1,60m

5.1.2.1.3. OSB

5.1.2.2. Por M²

5.1.2.2.1. Geralmente essa forma de compra e viável quando o tamanho necessário para fazer o móvel não fique maior do que uma chapa inteira, caso isso acontecer o custo e bem maior.

5.2. Articulações

5.2.1. Definição

5.2.1.1. Sistema ou objetos para sustentar ou manter o deslocamento em partes móveis, como por exemplo portas basculantes superiores ou inferiores

5.2.2. Tipos

5.2.2.1. Simples/Deslizante

5.2.2.2. Molas

5.2.2.2.1. Utilizado muitos nos anos 80, que caiu em desuso.

5.2.2.3. Pistão a Gás

5.2.2.3.1. Pouco usado e mais caro que o pistão a Gás

5.2.2.3.2. Carga por Perça

5.2.2.3.3. Cargas Comeciais

5.2.2.3.4. Marcas

5.2.2.3.5. Quantidade por Peça

5.2.2.3.6. Tipos de Aberturas

5.3. Dobradiça

5.3.1. Tipos

5.3.1.1. Cuva

5.3.1.2. Alta

5.3.2. Conceito

5.3.2.1. R = 100 - 75% Reta(Lisa) R = 75 - 1% Curva(Salto) R = 0% Alta(Super Salto)

5.3.3. Reta

5.3.4. Furação do Caneco

5.3.4.1. Ø35

5.3.4.1.1. Distância da borda do caneco ate aresta da peça e de 4,5mm

5.3.4.1.2. Distância do centro do caneto até a aresta da peça e de 22 mm

5.3.4.1.3. Colocação do calço 37 mm

5.3.4.2. Ø26

5.4. Corrediças e Braços Telescópicos

5.4.1. DEFINIÇÃO

5.4.1.1. Sistema para promover mobilidade em gavetas, prateleiras e aramados

5.4.2. TIPOS

5.4.2.1. Corrediça comum

5.4.2.2. Braço Telescópico

5.4.2.2.1. 1 – Deixar 13 mm de folga de cada lado da gaveta em relação ao móvel;

5.4.2.2.2. 2 – Marque o centro da gaveta e aplique a corrediça;

5.4.2.2.3. 3 – Para fazer a fixação da corrediça na lateral do móvel, utilize sempre a regra da seguinte medida: metade da altura da lateral da gaveta + 1 cm para instalação;

5.4.2.2.4. 4 – Inicie a instalação sempre pelos furos oblongos para poder ter recurso de ajustar a altura e esquadro da gaveta junto ao móvel quando necessário;

5.4.2.2.5. 5 – Para instalação das demais gavetas sempre com a lógica de instalação de baixo para cima aplicar a mesma regra da 1º gaveta na base;

5.4.2.2.6. 6 – Não esqueça após as regulagens das gavetas, reforçar as fixações com parafusos nos furos redondos da corrediça.

5.5. Gaveta

5.6. Fundo

5.6.1. Suco 15x6,5mm

5.6.1.1. Rebaixo 13x7mm

5.6.2. Parafuso 4x20mm

5.7. Gaveta

5.7.1. rebaixo de 13x7mm

6. Equipamentos

6.1. Compressor

6.1.1. Potencia

6.1.2. Estágio

6.1.3. Produção

6.1.4. RPM

6.1.5. Resevatório

6.1.6. Lubrificado

6.1.7. Tipos

6.1.7.1. Ar direto

6.1.7.2. Moto motor

6.1.8. Marcas

6.1.8.1. Pressure

6.1.8.2. Schuz

6.1.8.3. Motomil

6.1.8.4. Chiaperini

6.1.9. Acessorios

6.1.9.1. Pistolas

6.1.9.1.1. Leque

6.1.9.2. Filtro de Ar

6.1.9.3. Disjuntor

6.1.9.4. Chave Eletromagnética

6.2. S Circula Manual

6.2.1. Eixo

6.2.1.1. 20MM

6.2.1.2. 16MM

6.2.2. Discos

6.2.2.1. Tamanho

6.2.2.1.1. 185mm ou 7.1/4p

6.2.2.1.2. 235mm ou 9.1/4p

6.2.2.2. Dentes

6.2.2.3. Formula

6.2.2.3.1. Descrição

6.2.2.3.2. P=passo(dist entre os dentes

6.2.2.3.3. S=espessura

6.2.3. Velocidade

7. Funilaria

7.1. Produtos

7.1.1. CAPO

7.1.2. Primer Surfacer

7.1.3. Batida de pedra

7.1.4. Massa Poliéster

7.1.5. Primer PU

8. Curso de Solda

8.1. Insumos

8.1.1. Eletrodo

8.1.2. Eletrodo Revestido (Processo MMA -Manual Metal Arc)

8.1.2.1. Capa - Geralmente feito de tungstênio. Principal função e cria uma bolha de gás para que a solda não interaja com com os gases atmosférico fazendo uma proteção e não deixando a alma do eletrodo gruda na peça.

8.1.2.2. Alma - Parte metálica que vai derrete na solda e fazer a poça de fusão com a persa

8.1.2.3. Parte nu - Parte que vai ser colocado no porta eletrodo, onde vai ter contato com a parte positiva.

8.1.2.4. Modelos

8.1.2.4.1. 60/13

8.1.2.5. Marca

8.1.2.5.1. Esabe

8.1.2.6. Fator 40 (40* bitola do Eletrodo)

8.1.2.7. Forma um solda que tem que tira no final

8.2. EPIs

8.2.1. Mangote

8.2.2. luvas

8.2.3. Oculos

8.3. Mascara

8.3.1. Automática - Tem função de Regulagem

8.3.2. Escudo - mais simple e barata

8.4. Equipamentos

8.4.1. Fonte de Soldas

8.4.1.1. Transformadores de Solda

8.4.1.2. Inversora de Solda (MMA)

8.4.1.2.1. Hot Start (Inicio Quente)

8.4.1.2.2. Arc Force (Força do Arco Elétrico)

8.4.1.2.3. Anti Stick (Não deixa grudar o Eletrodo)

9. Novo Tópico