Artigo: Diferenças entre Sistemas Gerenciais de Empreendedores e Operadores de Pequenos Negócios

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Artigo: Diferenças entre Sistemas Gerenciais de Empreendedores e Operadores de Pequenos Negócios por Mind Map: Artigo: Diferenças entre Sistemas Gerenciais de Empreendedores e Operadores de Pequenos Negócios

1. Processo gerencial: Empreendedores e Operadores

1.1. Como é o processo gerencial dos empreendedores e dos operadores

1.1.1. Empreendedores

1.1.1.1. O processo gerencial de empreendedores baseia-se na visão que eles têm de um possível novo modelo de negócio ou, mais frequentemente, de uma ideia de inovação dentro do setor que estão atuando. Ele é composto por 05 elementos, são eles:

1.1.1.1.1. 1. Visualizar

1.1.1.1.2. 2. Criar uma arquitetura de negócios

1.1.1.1.3. 3. Animar/dar vida

1.1.1.1.4. 4. Monitorar

1.1.1.1.5. 5. Aprender

1.1.2. Operadores

1.1.2.1. Já o processo gerencial aplicado por operadores é baseado essencialmente na experiência de trabalho que possuem e suas habilidades já adquiridas dentro do setor de atuação escolhido. Geralmente, eles desempenham as atividades gerenciais dentro das empresas praticamente sozinhos e permanecem muito mais próximos de atividades operacionais e rotineiras de onde trabalham. O processo gerencial de operadores possui 06 elementos:

1.1.2.1.1. 1. Selecionar

1.1.2.1.2. 2. Desempenhar

1.1.2.1.3. 3. Atribuir

1.1.2.1.4. 4. Alocar

1.1.2.1.5. 5. Monitorar

1.1.2.1.6. 6. Ajustar

2. Origem do interesse do empreendedor em um setor de negócio

2.1. O interesse de um empreendedor pode surgir de diversas fontes, sendo influenciado pelas relações primárias, secundárias e terciárias. Quais são?

2.1.1. O empreendedor pode ter fontes de influência sobre setores de negócio de acordo com diferentes tipos de relações. São elas:

2.1.1.1. Relações primárias

2.1.1.1.1. São aquelas que acontecem no ambiente familiar e empreendedores mais jovens tendem a ser mais influenciados por esses tipos de relações.

2.1.1.2. Relações secundárias

2.1.1.2.1. São adquiridas no ambiente de trabalho e em contatos feitos com pessoas relacionadas ao trabalho.

2.1.1.3. Relações terciárias

2.1.1.3.1. São as que trazem fontes de influência vindas de experiências e aprendizados adquiridos pelo empreendedor. Empreendedores mais velhos tendem a ser mais influenciados pelas relações secundárias e terciárias.

3. Autor: Louis Jacques Filion

3.1. Formação Acadêmica

3.1.1. Mestrado em Relações Internacionais pela Universidade de Ottawa

3.1.2. Ph.D. em Empreendedorismo pela Universidade de Ottawa

3.1.3. MBA pala University of Montreal Business School

3.2. Vida Profissional

3.2.1. Professor responsável pela disciplina de Empreendedorismo da Universidade de Montreal

3.2.2. Especialista em Empreendedorismo

3.2.3. Já realizou palestras sobre Empreendedorismo em todos os continentes

3.3. Prêmios

3.3.1. Em 2004, recebeu o Lifetime Achievement Award do Conselho Canadense de Pequenos Negócios e Empreendedorismo

3.3.2. Em 2005, recebeu o prêmio máximo de reconhecimento do Conselho Internacional de Pequenos Negócios por sua contribuição do avanço do empreendedorismo no mundo.

3.3.3. Em 2006 recebeu, da principal associação de pequenos negócios e empreendedorismo, o prêmio Julien-Marchesnay.

3.3.4. Em 2007, recebeu o prêmio Emérito de Promoção do Empreendedorismo por sua contribuição no campo do empreendedorismo entre pessoas jovens.

4. Visão

4.1. O que é visão? Visão emergente? Visão central? E visão complementar?

4.1.1. Visão é uma imagem projetada do que se deseja para o futuro. Ela é categorizada em três: emergente, central e complementar.

4.1.1.1. Visão emergente é a que dá a ideia sobre possíveis novos produtos ou serviços.

4.1.1.2. Visão central é o entendimento geral da aplicação desses novos produtos ou serviços e qual o tipo de organização necessária para tornar o imaginado em realidade.

4.1.1.3. Visão complementar é a que define quais são as atividades gerenciais necessárias para que a aplicação da visão central ocorra.

5. Elementos do processo visionário

5.1. Quais são os elementos que compõem o processo visionário?

5.1.1. 1. Identificando interesse em um setor de negócios.

5.1.1.1. O desenvolvimento do interesse pelo empreendedor em um setor de negócio se dá por meio de 03 tipos de relações: primárias, secundárias e terciárias. Resposta detalhada no item número 07 deste mapa.

5.1.2. 2. Entendendo um setor de negócios.

5.1.2.1. Pelo menos 06 elementos estão envolvidos nesse processo: a capacidade intelectual e o nível de instrução do empreendedor, a posição ocupada quando a informação foi adquirida e a sua razão, o quanto o empreendedor conhece o setor e o tempo gasto para se inteirar no setor.

5.1.2.2. Pela coleta e entendimento de dados do estudo realizado no artigo, entende-se que "a aprendizagem informal parece ser mais importante que o ensino formal".

5.1.2.3. Pode levar de 5 a 10 anos para compreender bem um setor de negócios. Esse tempo depende da visão e competência do empreendedor.

5.1.3. 3. Percebendo uma oportunidade de negócios.

5.1.3.1. Para que uma oportunidade de negócio seja detectada é necessário que o empreendedor possua profundo conhecimento sobre o setor de negócio que deseja entrar. Com isso, ele aguça e desenvolve sua intuição para essa atividade.

5.1.3.2. "Em quase 50% dos casos, o empreendedor percebe intuitivamente oportunidades interessantes em um setor particular".

5.1.4. 4. Focalizando um nicho de uma forma diferente.

5.1.4.1. Para tal atividade, os empreendedores devem agir como estrategistas.

5.1.4.2. "Empreendedores que obtiveram sucesso aprenderam a concentrar e estabelecer limites para sua atividade, a definir essa atividade e a escolher um alvo a ser atingido".

5.1.4.3. Empreendedor precisa possuir imaginação para refletir e selecionar um nicho a ser ocupado de forma diferente.

5.1.5. 5. Imaginando e definindo contextos organizacionais.

5.1.5.1. Definição das atividades imprescindíveis para realização e concretização da visão obtida.

5.1.5.2. Pessoas ao redor do empreendedor que possibilitarão a execução da visão da melhor maneira possível.

5.1.6. 6. Planejando.

5.1.6.1. Respostas

5.1.7. Desenvolvimento e implementação da visão.

5.1.8. Definição de alvos, objetivos e pontos de referência.

6. Objetivo Geral

6.1. Qual é o objetivo geral do artigo?

6.1.1. Elucidar, por meio de estudo realizado com 116 gerentes-proprietários, as principais diferenças no sistema de atividades gerenciais de gerentes empreendedores e gerentes operadores de pequenos negócios, classificando o grupo estudado dentro das duas categorias de análise.

6.1.2. Propor dois modelos gerenciais baseados em dois tipos de gerentes-proprietários, os empreendedores e operadores, embasados no estudo proposto no artigo.

7. Classificação e diferenças

7.1. O autor classifica os gerentes proprietários de pequenos negócios em empreendedores e operadores. Qual é a principal diferença entre os dois?

7.1.1. A principal diferença entre empreendedores e operadores é que gerentes empreendedores desenvolvem uma visão. A visão é classificada em três categorias: emergente, central e complementar.