2 - Histórico e Evolução

Mapa mental com o conteúdo da aula 02 da disciplina de Redes de computadores para o curso de engenharia elétrica da faculdade Metropolitana de Porto Velho

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
2 - Histórico e Evolução por Mind Map: 2 - Histórico e Evolução

1. Importância

1.1. necessidade de interagir

1.1.1. Cara a Cara

1.1.2. Evoluiu de varias formas

1.1.2.1. Imprenssa

1.1.2.2. Televisão

1.1.3. As redes são a tecnologia da vez

1.1.3.1. Inicialmente somente trocavam informações baseadas em caracteres entre sistemas de computadores conectados.

1.1.3.2. Atualmente

1.1.3.2.1. desenvolveram-se a ponto de transferir fluxos de voz, vídeo, texto e gráficos entre diferentes tipos de dispositivos.

1.1.3.2.2. Formas de comunicação previamente separadas e distintas convergiram em uma plataforma comum.

1.1.3.2.3. Imagem

1.2. Comunicadas Globais

1.2.1. A natureza imediata das comunicações na Internet favorece a formação de comunidades globais. E essas comunidades promovem uma interação social independente de localização ou fuso horário.

1.2.2. Imagem

1.2.3. Atualmente, a tecnologia é provavelmente o principal agente modificador do mundo, já que ajuda a criar um mundo no qual as fronteiras nacionais, distâncias geográficas e limitações físicas se tornam menos relevantes e apresentam obstáculos cada vez menores.

1.2.4. Imagem

1.3. Internet já faz parte de nossa vida

1.3.1. Imagem

1.3.2. Decidir o que vestir por meio das previsões do tempo on-line;

1.3.3. Encontrar o caminho menos congestionado até o seu destino, mostrando vídeos sobre o clima e o trânsito;

1.3.4. Olhar seu saldo bancário e pagar contas eletronicamente;

1.3.5. Receber e enviar e-mail, ou fazer uma ligação pela Internet em um cyber café na hora do almoço;

1.3.6. Obter informações sobre saúde e nutrição de especialistas ao redor do mundo e trocar informações em um fórum sobre saúde ou tratamentos;

1.3.7. Baixar novas receitas e técnicas de culinária para criar um jantar espetacular;

1.3.8. Compartilhar suas fotos, vídeos e experiências com amigos ou com o mundo.

1.3.9. Imagem

1.3.10. Exemplos

1.3.10.1. Podcasting

1.3.10.2. Mensagens Instantâneas

1.3.10.3. Blogs

1.3.10.4. Ferramentas de Colaboração

1.3.10.5. Redes Sociais

1.3.11. Na Educação

1.3.11.1. Tradicional

1.3.11.1.1. Livros

1.3.11.1.2. Professor

1.3.11.2. On-line

1.3.11.2.1. Vídeos

1.3.11.2.2. Atividades Interetivas

1.3.11.2.3. Material Didático em vários formatos

1.3.11.2.4. Áudio

1.3.11.2.5. Comunicação Instantânea

1.3.11.2.6. Outras fontes de informação

1.3.11.3. Imagem

1.3.12. No trabalho

1.3.12.1. Intranets

1.3.12.2. Extranet

1.3.12.3. E-mail

1.3.12.4. Vídeo e áudio conferencias

1.3.12.5. Teletrabalho

1.3.12.6. E-Commerce

1.3.12.7. Imagem

1.3.13. Diversão

1.3.13.1. Imagem

1.3.13.2. Imagem

1.3.13.3. Vídeos

1.3.13.4. Musica

1.3.13.5. Streaming

1.3.13.6. Jogos

1.3.13.7. Viagens

1.3.13.8. Passatempos

1.3.13.9. Lojas

2. Histórico e Evolução

2.1. Evolução

2.1.1. Década de 50

2.1.1.1. Grandes Computadores

2.1.1.2. Operação Complexa

2.1.1.3. Mão de Obra Especializada

2.1.1.4. Sem Interação direta com a maquina

2.1.2. Década de 60

2.1.2.1. Terminais Interativos

2.1.2.2. time-sharing

2.1.2.2.1. Slice

2.1.3. Década de 70

2.1.3.1. Microcomputadores

2.1.3.1.1. Com o grande crescimento do uso de microcomputadores nas empresas, cresceu a necessidade de comunicação entre eles e entre os recursos de processamento de dados centralizados e fontes de informações empresariais.

2.1.3.2. Primeiras redes

2.1.3.2.1. Compartilhamento de recursos

2.1.3.2.2. Compartilhamento de Dados

2.1.3.3. Placas de Redes

2.1.3.3.1. Vídeo

2.1.3.4. Sistemas Operacionais de Redes

2.2. Conceitos

2.2.1. Em seu nível mais elementar, uma rede consiste em dois computadores conectados um ao outro por um cabo para que possam compartilhar dados.

2.2.1.1. Vídeo

2.2.2. Em uma rede, qualquer equipamento ligado a ela pode se comunicar com qualquer outro ligado à mesma rede.

2.2.3. Rede de Comunicação

2.2.3.1. infraestrutura necessária ao estabelecimento da comunicação confiável entre dois quaisquer pontos.

2.2.4. Composição

2.2.4.1. Nós

2.2.4.1.1. Os nós se referem a qualquer dispositivo conectado a uma rede e são normalmente conhecidos como estações.

2.2.4.1.2. Todos os nós de uma rede estão interconectados através de um sistema de cabeamento que inclui os canais de comunicação físicos e os dispositivos para interconexão das estações com a rede.

2.2.4.2. Enlaces

2.2.4.2.1. são a infraestrutura de hardware e software utilizadas na comunicação entre os componentes da rede.

3. Tipos de redes

3.1. Imagem

3.2. Vídeo

3.3. LAN - Local Area Network

3.3.1. Imagem

3.3.2. LAN’s são redes de caráter privado e de porte reduzido que cobrem uma região limitada, tal como um prédio ou um andar de uma empresa, um campus, etc

3.3.3. As LANs são redes formadas basicamente por um grupo de microcomputadores PC’s (desktops) interligados aos servidores.

3.3.4. Cobrem uma região com distâncias de aproximadamente 8 a 11 Km e normalmente utilizam velocidades na ordem de até 100 ou 155 Mbps, usando tipicamente cabos coaxiais, pares de fio (cabos UTP) e, mais recentemente, fibra ótica como meio físico.

3.3.5. São conhecidas também como redes “shared”, pois compartilham um mesmo tipo de meio físico para transmissão.

3.3.6. Características

3.3.6.1. Alta velocidade de comunicação

3.3.6.2. Baixos atrasos

3.3.6.3. Transmissão “Broadcasting”

3.3.6.4. Tempo de envio de mensagem maior que o tempo de propagação

3.3.6.5. tamanho restrito

3.3.6.5.1. Maximo 10 Km

3.3.6.6. o pior tempo de transmissão é limitado e conhecido com a devida antecedência

3.4. MAN - Metropolitan Area Network

3.4.1. Imagem

3.4.2. Uma rede metropolitana é uma rede maior que uma LAN, normalmente cobrindo a área geográfica de uma cidade.

3.4.3. Sua extensão está geralmente entre 10 km a 100 km. Caracteriza-se também pela utilização de diferentes equipamentos e meio de transmissão.

3.4.4. Uma MAN pode abranger um grupo de escritórios vizinhos ou uma cidade inteira e pode ser privada ou pública.

3.5. WAN - Wide Area Network

3.5.1. Imagem

3.5.2. Uma rede WAN inclui qualquer rede maior que uma rede MAN.

3.5.3. As redes WAN geralmente interconectam LAN’s dispersas pelo mundo

3.5.4. Uma WAN abrange uma ampla área geográfica, com frequência um país ou continente.

3.5.5. Tipos

3.5.5.1. Rede Empresarial ou Corporativa (por exemplo, rede de uma empresa)

3.5.5.2. Rede Global ou Wide Area Network (por exemplo, Internet)

3.5.6. Essa estrutura de rede é altamente simplificada, pois separa os aspectos de comunicação pertencentes às redes individuais.

3.5.6.1. Compostas por

3.5.6.1.1. linhas de transmissão

3.5.6.1.2. elementos de comutação

4. Redes sem fio

4.1. Conceitos

4.1.1. As redes sem fio surgiram como redes complementares às redes cabeadas, com o intuito de promover a mobilidade e a visualização rápida dos dados independentemente da localização do usuário

4.1.2. os dados transmitidos pelo ar ou espaço livre, que se constituem como meio físico para propagação de sinais eletromagnéticos, provendo uma interconexão completa, e permitindo uma grande flexibilidade na localização das estações

4.1.3. A palavra wireless é um termo em inglês e significa “sem fio” (wire - fio, less - sem ou menos).

4.1.4. Em 1901, um físico italiano chamado Guglielmo Marconi demonstrou o funcionamento de um telégrafo sem fio que transmitia informações de um navio para o litoral por meio de código Morse.

4.2. Padronização

4.2.1. Instituições

4.2.1.1. A comunicação sem fio é padronizada pelo IEEE – Institute of Electrical and Electronics Engineers, uma associação técnica de profissionais de Engenharia Elétrica e Eletrônica dos Estados Unidos com membros de todo o mundo sob a identificação 802.11.

4.2.1.2. Os equipamentos certificados de acordo com esta norma têm o selo Wi-Fi, que é uma marca registrada da Wi-Fi Alliance, associação de fabricantes.

4.2.1.3. No Brasil os padrões são validados pela Anatel, que também homologa os equipamentos para uso no país.

4.2.2. Padrões

4.2.2.1. Os padrões IEEE 802.11 são identificados por letras e cada um deles define como as informações são codificadas para transmissão entre os equipamentos, as frequências e canais disponíveis para uso e as velocidades de transmissão possíveis.

4.2.2.2. IEEE 802.11 (Wi-Fi ou Wireless)

4.2.2.2.1. O padrão IEEE 802.11, também conhecido como rede Wi-Fi ou Wireless, foi uma das grandes novidades dos últimos anos. Ele pode ser interpretado como uma versão sem fio do protocolo Ethernet para Rede Local (Local Área Network LAN).

4.2.2.2.2. O padrão IEEE 802.11 usa a tecnologia de radiofrequências trabalhando no intervalo de 2.4Ghz e 2,4835Ghz com uma taxa de transmissão bruta de 1 até 2Mbps nas bandas ISM e para transmissão de dados oferece uma taxa de transferência de até 11Mbps.

4.2.2.3. IEEE 802.11a

4.2.2.3.1. Permite atingir taxas de transmissão de até 54 Mbps na banda de 5 GHz usando a técnica OFDM (Orthogonal Frequency Division Multiplexing). A distância máxima entre duas estações deve ser de até 20 metros.

4.2.2.4. IEEE 802.11b

4.2.2.4.1. Utiliza a faixa de frequência de 2.4 GHz e usa a técnica DSSS (Direct-Sequence Spread Spectrum) para espalhamento de espectro. Possui uma taxa de transmissão de até 11 Mbps e a distância máxima entre duas estações deve ser de até 100 metros.

4.2.2.5. IEEE 802.11g

4.2.2.5.1. O padrão IEEE 802.11g utiliza a faixa de frequência de 2.4 GHz e a técnica DSSS (Direct-Sequence Spread Spectrum) para espalhamento de espectro. Sua taxa de transmissão é de até 54 Mbps e a distância máxima é de até 100 metros.

4.2.2.6. IEEE 802.11n

4.2.2.6.1. O padrão IEEE 802.11n é capaz de realizar transmissões na faixa de 300 Mbps, podendo atingir até 600 Mbps. Trabalha nas faixas de frequência de 2.4 GHz e 5 GHz, tornando-se compatível com os padrões anteriores.

4.2.2.7. IEEE 802.11ac

4.2.2.7.1. O padrão IEEE 802.11ac é o sucessor do padrão IEEE 802.11n. Ele foi desenvolvido entre os anos de 2011 e 2013 e sua aprovação final pelo IEEE deve ser em 2014 ou 2015. Estima-se que o padrão IEEE 802.11ac veio para revolucionar as redes sem fio, sendo sua principal vantagem a velocidade de transmissão que pode ser transmitida na faixa de 433 Mbps no seu modo mais simples e podendo superar a casa de 6 Gbps em seu modo mais avançado.

4.3. Tipos

4.3.1. Bluetooth

4.3.1.1. Imagem

4.3.1.2. A quantidade de fios atrás do computador sempre foi motivo de reclamações dos usuários durante anos.

4.3.1.3. Com o Bluetooth é possível a conexão com câmeras digitais, fones de ouvido e até o seu celular sem precisar de instalação de drivers, sendo necessário só os aproximar ao computador e ligá-los.

4.3.1.4. A tecnologia Bluetooth foi criada em 1994, iniciativa da empresa L. M. Ericsson em conjunto com as empresas IBM, Intel, Nokia e Toshiba. O nome Bluetooth foi dado em homenagem a Harald Blaatand (Bluetooth) II, um rei viking que conquistou a Dinamarca e a noruega.

4.3.1.5. Em sua forma mais simples, as redes de interconexão de sistemas utilizam o paradigma de mestre (master) escravo (slave).

4.3.2. WLan

4.3.2.1. Imagem

4.3.2.2. WLAN é a sigla inglesa de Wireless Local Area Network, que em português significa "Rede Local Sem Fios".

4.3.2.3. A velocidade de uma rede com essa tecnologia pode chegar a 54 Mbps e pode chegar a distâncias de dezenas de metros.

4.3.2.4. O objetivo principal dessa categoria é a mobilidade, ou seja, esteja conectado a qualquer hora em qualquer lugar.

4.3.3. WWan

4.3.3.1. Imagem

4.3.3.2. A WWAN (Wireless Wide Area Network - Rede sem fio de longa distância) também é conhecida como rede celular móvel. São as redes sem fio mais comuns, já que todos os telefones celulares estão conectados a uma rede estendida sem fio.