IMPACTOS NA IMPLANTAÇÃO DE UMA DESTILARIA

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
IMPACTOS NA IMPLANTAÇÃO DE UMA DESTILARIA por Mind Map: IMPACTOS NA IMPLANTAÇÃO DE UMA DESTILARIA

1. IMPACTOS AMBIENTAIS

1.1. POSITIVOS

1.1.1. Novas tecnologias mecanizadas no plantio e colheita da cana de açucar

1.1.1.1. Redução das queimadas

1.1.1.2. Presevação do meio ambiente

1.1.1.3. Aumento do rendimento por área cultivada

1.1.1.4. Aproveitamento da palha para geração de energia

1.1.1.4.1. Cogeração de energia diminuindo a emissão de gases derivados do consumo de combustíveis fósseis

1.1.1.5. Produção de biocombustíveis de modo sustentável e ecologicamente limpa

1.2. NEGATIVOS

1.2.1. Consumo intenso de óleo diesel no plantio, na colheita e no transporte

1.2.2. Efeitos na Qualidade do ar, no clima global, no solo e recursos hídricos

1.2.2.1. Assoreamento de corpos d’água causado por erosão em áreas de reforma; emissão de fuligem e GEE na queima antes da colheita manual

1.2.2.2. Contaminação da água pelo excesso de adubação química, corretivos minerais e aplicação de herbicidas e defensivos agrícolas

1.2.2.3. Poluição das águas (incorporação dos efluentes líquidos à vinhaça, para disposição no solo por meio da fertirrigação e, em alguns casos, lançamento de efluentes líquidos nos corpos de água)

1.2.2.4. Poluição do solo (a vinhaça – vinhoto, tiborna ou garapão – é o resíduo da destilação do álcool e tem como principal destino a distribuição nas áreas de cultivo que, do ponto de vista agronômico, resulta no aumento da produtividade da cana e na melhoria da qualidade do solo

1.2.2.5. Poluição do ar (a queima do bagaço da cana gera como principais poluentes o material particulado, monóxido e dióxido de carbono e óxido de nitrogênio.

1.2.3. Redução da Biodiversidade

1.2.3.1. danos à fauna e à flora causados por incêndios descontrolados

2. IMPACTOS SOCIAIS E ECONÔMICOS

2.1. POSITIVOS

2.1.1. Emprego de energias limpas, com o aproveitamento de créditos de carbono e outros mecanismos nacionais e internacionais, que permitam atrair investimentos nas regiões destes empreendimentos

2.1.2. aumento na ocupação permanente de mão de obra local

2.1.2.1. Diminuição da mão de obra temporária

2.1.2.2. Remuneração Salarial superior

2.1.3. geração de renda ao longo do ano durante o ciclo da cultura (estabilidade econômica e otimização do uso da mão de obra)

2.1.3.1. Geração de Empregos

2.1.4. colheita mecânica a partir da organização dos fornecedores de cana em cooperativas

2.1.5. indução tecnológica na produção e colheita da cana

2.1.5.1. Abertura do Mercado Internacional

2.1.5.2. Atender mercado interno

2.1.6. qualificação dos trabalhadores do setor frente sua tecnificação, o que significará investimentos públicos e privados em educação e treinamento

2.1.7. investimento em complexos agroindustriais, de logística, transporte, energia e suporte técnico.

2.1.7.1. Geração de impostos para o governo

2.2. NEGATIVOS

2.2.1. Concentração de terras, rendas e condições inadequadas de trabalho ao cortador da cana

2.2.2. Baixa Remuneração aos empregados

2.2.3. carência de organização sindical

2.2.4. exploração do trabalhador por meio do ganho por produtividade

2.2.5. condições precárias de moradia e alimentação