Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Reparo Ósseo por Mind Map: Reparo Ósseo

1. Diferenciam o Hematoma fraturario de hematomas de outros tecidos

2. Via TGF (Transforming Growth Factor)

3. Atua no desenvolvimento

3.1. Cranio e ossos chatos

3.2. Clavicula

3.3. Ulna

4. Reparo Secundário (Endocondral)

5. Componentes Celulares

5.1. Neutrófilos

5.1.1. Mais numerosos e mais precoces

5.2. Linfócitos

5.2.1. T

5.2.2. B

5.3. Macrófagos

5.3.1. Prejudicam o processo de Reparo

5.4. Condrócitos

5.4.1. Hipertrofiam durante a fase de calo mole

5.4.2. Posteriormente sofrem apoptose e deixam matriz para formação do calo duro

5.5. Osteoblastos

5.6. Formam osso

5.6.1. Secretam colágeno I, osteocalcina e outras proteínas de matriz

5.7. Osteoclastos

5.7.1. Ficam na superfície do Osso

5.7.2. Também proveem fatores "pro-healing"

5.7.2.1. Algumas literaturas (lixo do jupiter) dizem que o envelope muscular fornece a maior parte da vascularização ao osso

5.7.3. Reabsorvem Osso

5.7.3.1. Lacunas de Howship

5.8. Miócitos

6. Tecidos

6.1. Periósteo

6.1.1. Camada Interna

6.1.1.1. Céls Progenitoras

6.1.1.1.1. Fibroblastos

6.1.1.1.2. Osteoblastos

6.1.1.1.3. Condrócitos

6.1.1.1.4. Vascularização

6.1.2. Camada Externa

6.1.2.1. Ativado quando há lesão

6.2. Endósteo

6.2.1. Camada de tecido no interior do córtex

6.2.1.1. Feito de uma camada única de osteoblastos ativos e quiescentes + céls progenitoras

6.2.1.1.1. Contato direto com hematoma

6.3. Medula

6.3.1. Células mesenquimais multipotentes (linhagem osteogênica ou condrogênica

6.4. Vascularização periférica

6.4.1. Tb contém céls progenitoras, ppalmente na Criança

6.5. Neural

6.5.1. Periósteo e envelope mm

7. Vias de Sinalização

7.1. Ossificação Endocondral

7.1.1. Via BMP (proteína morfogênica óssea)

7.1.2. Via FGF

7.1.2.1. (Fibroblast Growth Factor)

7.1.2.2. Mutação no FGF-3 resulta em Acondroplasia

7.1.2.3. FGF-2 teve resultados promissores quando adicionado a fxs no transop

7.1.3. Via Notch

7.1.3.1. Presente tb na ossificação Intramembranosa

7.1.4. Via PTH

7.1.5. Via WNT

7.1.5.1. Aumento de atividade nesta via diminui densidade óssea

7.1.6. Via Hedgehog

7.1.6.1. Importância em guiar o crescimento axial

7.1.6.2. Também presente na ossificação Intramembranosa

7.1.6.2.1. Mediação de efeitos relacionados à carga mecânica

8. Ossificação

8.1. Endocondral

8.1.1. Transformação de Matriz condroide (geleia) em Osso

8.1.2. Atua no desenvolvimento dos membros e reparo ósseo de fraturas

8.1.3. Ausência de estabilidade Absoluta

8.1.4. 2 fases (que se sobrepõem)

8.1.4.1. Anabólica

8.1.4.1.1. Aumento da quantidade de Cartilagem

8.1.4.2. Catabólica

8.1.4.2.1. Transformação de Cartilagem em Osso

8.1.4.2.2. Remodelação

8.1.4.3. Mimetiza o crescimento ósseo de ossos longos

8.1.5. Células invadem hematoma de fratura e promovem o processo

9. Resposta à Carga

9.1. Paradigma de Utah

9.2. Lei de Wolfe

9.2.1. O aumento da carga axial aplicada a um osso progressivamente, aumenta sua resistência mecânica

9.3. Strain

9.3.1. Mudança de comprimento / Comprimento total do gap da fratura

10. Intro

10.1. Como ocorre?

10.2. Como influenciar?

11. Fatores modificantes

11.1. Nutrição

11.1.1. .

11.1.1.1. Intramembranosa

11.1.1.1.1. Formação direta de osso

11.1.1.1.2. Ocorrem em ambiente de estabilidade absoluta com aposição de fragmentos ósseos

11.1.2. Pouca evidência científica no pcte adulto/idoso

11.2. DM

11.2.1. Aumenta taxa de PSA

11.3. Strain

11.3.1. Abaixo de 2%

11.3.1.1. Reparo primário (intramembranosa)

11.3.2. 2 a 10%

11.3.3. > 10%

11.3.3.1. PROXIMA AULA