Unidade de Terapia Intensiva

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Unidade de Terapia Intensiva por Mind Map: Unidade de Terapia Intensiva

1. Causas Irreverssíveis

1.1. IAM;

1.2. BAV congênito;

1.3. Doença de Chagas

2. Fibrilação Atrial

2.1. Tratamento: Amiodarona

3. Agentes Vasodilatadores

3.1. Dilatação arterial e venosa

3.1.1. Nitroprussiato (Nipride)

3.1.1.1. Indicação: Emergências hipertensivas; ICC grave;

3.1.1.2. Efeitos Adversos: Hipotensão; Intoxicação por cianeto;

3.2. Nitroglicerina ( Tridil)

3.2.1. CI: Infarto de VD;

3.2.2. Contra Indicação: ICC sem Hipotensão Arterial; SCA; EAP cardiogênico

3.2.3. ICC sem HAS; SCA; EAP.

4. Agentes Inotrópicos

4.1. Cetacolaminas

4.1.1. Dobutamina (Dobutrex)

4.1.1.1. Ação: B1

4.1.1.1.1. Inotropismo

4.1.1.1.2. Cronotropismo

4.1.1.2. B2 adrenérgicos

4.1.1.2.1. Vasodilatação periférica

4.1.1.3. Choque séptico; ICC; Pós- cirurgia cardíaca; Choque cardiogênico

4.1.1.4. Efeitos adversos: Arritmias e Hipotensão

5. Cuidados ao Paciente: Drogas Vasoativas

5.1. Agentes Vasopressores

5.1.1. Cetacolaminas

5.1.1.1. Noradrenalina (Levophed)

5.1.1.1.1. Acão : A1, e B2 adrenérgios

5.1.1.1.2. Aumenta a PAM; Menor efeito no DC;

5.1.1.1.3. Efeitos Adversos: Arritimias; taquicardia; hipertensão...

5.2. Ação rápida

5.3. Meia vida curta

5.4. Cuidados:

5.4.1. Monitorização multipramétrica;

5.4.1.1. Vasopressores e vasodilatadores em acesso venoso exclusivo adm. em AVC;

5.4.2. Sempre administrar em Bomba de Infusão;

6. Paciente Grave

6.1. Paciente Crítico

6.1.1. Paciente Potencialmente Crítico

6.2. Monitorização Multiparamétrica

6.2.1. SpO2

6.2.2. Temperatura

6.2.3. Frequência Respiratória

6.2.4. Frequência e Rítmo Cardíaco

6.2.5. PAM

6.2.5.1. Invasiva ou não inavsiva

7. Arritmias

7.1. Bradiarritmias

7.1.1. Bloqueios Atrioventriculares (BAV)

7.1.1.1. Causas Reverssíveis

7.1.1.1.1. Uso de digitálicos, Betabloqueadores, Bloqueadores do Canal de Caa++, Antiarrítmicos, Distúrbios elétricos e ácido base...

7.1.1.2. BAV 1º Grau

7.1.1.2.1. Não requer tratamento específico

7.1.1.3. BAV 2 º Grau/ poede evoluir para BAVT

7.1.1.3.1. Marcapasso temporário

7.1.1.4. BAV 3º Grau

7.1.1.4.1. Marcapasso definitivo

7.2. Taquiarritimias

7.2.1. Atrioventricular

7.2.2. Ventricular

7.2.2.1. Tratamento: Lidocaína e Amiodarona (Ancoron)

7.2.3. cardioversão elétrica

7.2.3.1. Arritmias refratárias a cardioversão elétrica

7.2.4. Taquiarritmias com instabilidade hemodinâmica

8. Síndromes Coronarianas Agudas

8.1. IAM

8.1.1. SCA NST: sem supra- desnivelamento de segmento ST

8.1.1.1. Angina Instável

8.1.1.1.1. Marcadores de necrose ausentes

8.1.1.1.2. Não há elevação de segmento ST

8.1.1.2. Obstrução parcial da Artéria Coronária

8.1.1.2.1. ECG sem alterações ou inversão de onda T

8.1.2. SCA CST: com supra- desnivelamento de segmento ST

8.1.2.1. Oclusão total da Artéria Coronária

8.1.2.1.1. Níveis elevados de marcadores de necrose miocárdica

8.1.2.1.2. ECG alterado: novas isquemias

8.1.2.1.3. Elevação do segmento ST

8.1.2.1.4. Perda de miocárdio viável