Gestão do ProteGEEr

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Gestão do ProteGEEr por Mind Map: Gestão do ProteGEEr

1. Indicador: 3 municípios aproveitam linhas de financiamento para implementar medidas em RSU que mitiguem GEE

2. Condições regulatórias e Financeiras

2.1. Indicador 1.1: 3 instrumentos públicos incluem a mitigação de GEE no setor de RSU

2.1.1. Avanços Regulatórios

2.1.1.1. Iniciativas de Resíduos orgânicos

2.1.1.1.1. Apoio ao Edital de Compostagem

2.1.1.2. Apoio ao PNRS

2.1.1.2.1. Contratos de Quantificação (Methanum e IFEU)

2.1.1.3. Agenda NDC

2.1.1.3.1. Contribuição no GT de Resíduos no FNMC

2.1.1.4. Apoio ao Plansab

2.1.2. Instrumentos de Financiamento

2.1.2.1. Contribuir com as normativas do MCID

2.1.2.1.1. Revisão da IN para mutuários públicos

2.1.2.2. Programa País do Brasil para GFC

2.1.2.3. Estratégias de Financiamento

2.1.2.3.1. Inventário de Mecanismos de financiamento considerando três grupos: Bancos de desenvolvimento, Financiamento climático e Mecanismos de Mercado Verde (CEBDS, CDP, SITAWI)

2.1.2.3.2. Avaliar o interesse de bancos individuais em cooperar para inserir critérios climáticos ( CAIXA, BNDES, BID, CAF, KfW)

2.1.2.3.3. Compilação de critérios climáticos em mecanismos de financiamento em bancos (Banco Mundial, EIB, CAF, Kfw)

2.1.2.3.4. Apoio a municipios para aproveitarem as oportunidades de financiamento

2.1.2.3.5. Levantamento de Linhas de Financiamento nacionais existentes

3. Assessoria técnica aos municípios

3.1. Indicador II.1: Ao menos 5 municípios aplicam as ferramentas de apoio a tomada de decisão disponibilizadas pelo projeto

3.1.1. Definição de Critério de seleção de municipios

3.1.2. Proposta inicial de municipios pré-selecionados

3.1.2.1. Seleção de Brasília

3.1.3. Formalização de parceria

3.2. Indicador II.2: 50% do pessoal local capacitado utiliza em seu trabalho os conhecimentos adquiridos

4. Fortalecimento da Academia

4.1. Indicador III.1: Serão desenvolvidos módulos que serão utilizados em ao menos 5 Universidades

4.1.1. Formalização de trabalho com Universidades

4.1.1.1. Workshop inicial

4.1.1.2. Desenvolvimento de Termo de Cooperação com Universidades UFSC, UFPE, UNB, UNICAMP, UFC

4.2. Indicador III.2: Implementação de uma Rede Virtual de pesquisa e suporte técnico

4.3. Indicador III.3: Serão submetidos ao menos 5 projetos de pesquisa aplicada pelas Universidades parceiras

5. Indicador: ao menos 1 proposta de ações de redução de GEE no setor de resíduos em um Plano.

6. Sinergias III-I

7. Sinergias II-III

8. Catálogo de Cursos da Cooperação Trilateral: possibilidade de Curso de Encerramento de Lixões

9. Efeito Multiplicador

9.1. Comunicação

9.1.1. Gestão da Plataforma Virtual

9.1.1.1. Alimentação da Plataforma

9.1.1.1.1. Realização de Treinamento

9.1.1.2. Banco de Imagens

9.1.1.2.1. Finalizar lista de locais a serem visitados

9.1.1.2.2. Contratar Fotógrafa

9.1.2. Contratar Consultoria de Comunicação

9.1.2.1. Elaborar TdR

9.1.3. Materiais de Divulgação do Projeto

9.1.3.1. Finalizar Video

9.1.3.2. Digitalização do Folder

9.1.3.3. Tradução do Video para ingles

9.1.3.4. Elaboração do Fachtsheet

9.1.3.4.1. Versão final Ingles

9.1.3.4.2. Versão final portugues

9.1.3.4.3. Versão final alemão

9.2. Participação em Eventos

9.2.1. IFAT

9.2.1.1. Logística e Convidados

9.2.1.1.1. Enviar E-mail e Carta Convite aos participantes

9.2.1.2. Definição da Programação

9.2.2. Congresso Internacional Cidades Lixo Zero

10. Ferramentas de Gestão e Monitoramento

10.1. Reuniões de Planejamento

10.1.1. 1ª RP: Ago/2017

10.1.2. 2² RP: Fev/2018

10.1.2.1. Contratar Moderador para 2ª Reunião

10.1.2.1.1. Elaborar Programação

10.1.2.2. Contratar Logística

10.1.2.2.1. Local, Coffee, Envio dos Convites, Confirmação de presença

10.2. Reuniões Internas semanais

10.3. Alimentação do IGMI mensal

10.4. Rodada IGMI - trimestral

10.5. Alimentação do Mindmeister