AÇÕES NAS ESTRUTURAS (Segundo a NBR 6118-2014)

Plan your projects and define important tasks and actions

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
AÇÕES NAS ESTRUTURAS (Segundo a NBR 6118-2014) por Mind Map: AÇÕES NAS ESTRUTURAS (Segundo a NBR 6118-2014)

1. PERMANENTES

1.1. DIRETAS

1.1.1. Peso próprio

1.1.1.1. A NBR 6118 se aplica a concretos normais com massa específica: 2000 a 2800 kgf/m³

1.1.1.2. Se não for conhecida a massa específica, adotar : Concreto Simples - 2400 Kgf/m³ e Concreto Armado - 2500 Kgf/m³

1.1.1.3. Se for conhecida a massa específica do Concreto Simples adotar para o Concreto Armado, aquela do Concreto Simples acrescida de 100 kgf/m³ a 150 kgf/m³

1.1.2. Peso dos elementos construtivos fixos e instalações permanentes

1.1.2.1. Dos materiais construtivos - NBR 6123

1.1.2.2. Das instalações permanentes - Indicados pelo fornecedor

1.1.3. Empuxos permanentes

1.1.3.1. São os empuxos de terra e outros materiais não remomíveis. Ver NBR 8681

1.2. INDIRETAS

1.2.1. Retração do concreto

1.2.1.1. A retração depende da UH% do ambiente, da consistência do lançamento, espessura fictícia da peça

1.2.1.2. NBR 6118 " A deformação específica da retração DEVE ser considerada.

1.2.2. Fluência do concreto

1.2.2.1. IRREVERSÍVEL = Depende da UH%, consistência do concreto, espessura fictícia da peça, idade do concreto na aplicação da carga REVERSÍVEL = Depende apenas da duração do carregamento (não importa a idade)

1.2.2.2. Tipos

1.2.2.2.1. Rápida

1.2.2.2.2. Lenta

1.2.3. Deslocamento de apoio

1.2.3.1. Somente devem ser considerados quando gerarem esforços significativos em relação ao conjunto de outras ações, isto é, em estruturas hiperestáticas e muito rígidas.

1.2.4. Imperfeições geométricas

1.2.4.1. no ELS

1.2.4.1.1. O desaprumo não precisa ser considerado no ELS

1.2.4.2. no ELU

1.2.4.2.1. GLOBAIS

1.2.4.2.2. LOCAIS

1.2.5. Protensão

1.2.5.1. Deve ser considerada em TODAS as estruturas protendidas.

2. VARIÁVEIS

2.1. DIRETAS

2.1.1. Cargas Acidentais

2.1.1.1. São as cargas verticais de uso da construção; cargas móveis, impacto vertical e lateral, força de frenação e aceleração, força centrífuga

2.1.2. Ações do Vento

2.1.2.1. Devem ser considerados. VER NBR 6123

2.1.3. Ação da Água

2.1.3.1. Em reservatórios, tanques e outros. Também em locais que a água da chuva possa ficar retida.

2.1.4. Ações variáveis durante a construção

2.2. INDIRETAS

2.2.1. Variações de Temperatura

2.2.1.1. Uniformes

2.2.1.2. Não uniformes

2.2.2. Ações Dinâmicas

2.2.2.1. Se a estrutura estiver sujeita a choques ou vibrações. Deve-se considerar o efeito da FADIGA.

3. EXCEPCIONAIS

3.1. Sismos, Incêndio, Explosões (CADA UMA TEM NORMA ESPECÍFICA.)

4. Ações - Causas que provocam esforços ou deformações nas estruturas. Do ponto de vista prático, as forças e as deformações impostas pelas ações são consideradas como se fossem as próprias ações. As deformações impostas são por vezes designadas por ações indiretas e as forças, por ações diretas (NBR 8681). Para o estabelecimento das regras de combinação das ações, estas são classificadas segundo sua variabilidade no tempo em três categorias: a) ações permanentes; b) ações variáveis; c) ações excepcionais.