SISTEMA DIGESTIVO

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
SISTEMA DIGESTIVO por Mind Map: SISTEMA DIGESTIVO

1. Estado Nutricional.

2. Estreita relação com a ingestão de bebidas alcóolicas.

3. Leucoplasia Mucosa Bucal, Candidose Bucal e Sífilis.

4. Avaliação geral: higiene bucal, condições dos dentes, presença de lesões, manifestação de tártaros e halitose.

4.1. Exame das Estruturas: lábios; língua; bochechas; mucosa do sulco vestibular; soalho da boca; palatos duro e mole; dentes; glândulas salivares e articulação temporomandibular.

5. CAVIDADE BUCAL E SEUS ANEXOS

5.1. ANAMNESE

5.1.1. SINAIS E SINTOMAS

5.1.1.1. Presença de aftas; dor de dente; dor na articulação temporomandibular; boca seca; ulcerações; próteses dentárias; sangramentos; sialose e halitose.

5.2. EXAME FÍSICO

5.3. EXEMPLOS DE PATOLOGIAS

5.3.1. HEREDITÁRIAS

5.3.1.1. Síndrome Rendu- Osler- Weber e Fibromatose Gengival.

5.3.2. ADQUIRIDAS

6. FARINGE E ESÔFAGO

6.1. ANAMNESE

6.1.1. SINAIS E SINTOMAS

6.1.1.1. Disfagia; odinofagia; pirose; dor esofágica; regurgitação; eructação; soluço; sialose; hematêmese.

6.2. EXAME FÍSICO

6.2.1. Em condições normais, o esôfago é inacessível ao exame físico direto.

6.2.1.1. Usa-se da Avaliação Geral

6.2.1.1.1. Anemia Crônica.

6.2.1.1.2. Hipertrofia das glândulas salivares (parótidas).

6.2.1.1.3. Alterações da Pele.

6.2.1.1.4. Voz rouca ou Bitonal.

6.2.1.1.5. Gânglio palpável na fossa supraclavicular esquerda.

6.2.1.1.6. Alterações do SNC.

6.3. EXEMPLOS DE PATOLOGIAS

6.3.1. Câncer do Esôfago

6.3.2. Esofagite de Refluxo e Hérnia Hiatal.

6.3.3. Megaesôfago Chagásico.

7. ESTÔMAGO E DUODENO

7.1. ANAMNESE

7.1.1. SINAIS E SINTOMAS

7.1.1.1. Dor ( normalmente na região epigástrica); dispepsia; náuseas e vômitos; pirose.

7.2. EXAME FÍSICO

7.2.1. INSPEÇÃO

7.2.1.1. Tumores e elevações da parede abdominal.

7.2.2. PERCUSSÃO

7.2.2.1. não tem valor para o diagnóstico das afecções do estômago

7.2.2.1.1. suspeita de estase gástrica

7.2.3. PALPAÇÃO

7.2.3.1. SUPERFICIAL

7.2.3.1.1. Palpar comparativamente ao ponto correspondente do abdome contralateral, a tensão da parede e a sensibilidade de cada ponto da superfície abdominal.

7.2.3.2. PROFUNDA

7.2.3.2.1. Helicobacter pylori

7.2.3.2.2. No início da expiração, a palpação deve ser aprofundada até que seja percebida a resistência oferecida pelas estruturas retroperitoneais, deslizando as polpas digitais no sentido craniocaudal.

7.3. EXEMPLOS DE PATOLOGIAS

7.3.1. Úlcera Péptica

7.3.2. Câncer Gástrico

7.3.2.1. Adenocarcinomas (90%); linfomas e sarcomas

7.3.3. Gastrite

8. INTESTINO DELGADO

8.1. ANAMNESE

8.1.1. SINAIS E SINTOMAS

8.1.1.1. Diarreia; esteatorreia; dor abdominal; distensão abdominal; flatulência e dispepsia; hemorragias digestivas; febre; perda de peso; anemia; edema; manifestações carenciais e insuficiência endócrina.

8.2. EXAME FÍSICO

8.2.1. GERAL

8.2.1.1. Estado Nutricional

8.2.1.1.1. +Pele, cabelos e unhas

8.2.2. ABDOME

8.2.2.1. INSPEÇÃO

8.2.2.1.1. Escavado; globoso; retrações; abaulamentos localizados; peristaltismo visível

8.2.2.2. PALPAÇÃO

8.2.2.2.1. Superficial

8.2.2.2.2. Profunda

8.2.2.3. AUSCULTA

8.2.2.3.1. Movimentação anormal do conteúdo hidroaéreo intraluminal.

8.3. EXEMPLOS DE PATOLOGIAS

8.3.1. ANORMALIDADES DO DESENVOLVIMENTO

8.3.1.1. Divertículo de Meckel

8.3.2. DISTÚRBIOS MECÂNICOS

8.3.2.1. Síndrome de obstrução intestinal

8.3.3. DOENÇAS INFLAMATÓRIAS

8.3.3.1. Doença de Wipple e Doença de Crohn

8.3.4. SÍNDROMES DE MÁ ABSORÇÃO

8.3.4.1. Doença Celíaca

8.3.5. ANORMALIDADES VASCULARES

8.3.5.1. Malformações congênitas

8.3.6. NEOPLASIAS

8.3.6.1. Papilomas e Fibromas

9. COLÓN, RETO E ÂNUS

9.1. ANAMNESE

9.1.1. SINAIS E SINTOMAS

9.1.1.1. Dor; diarreia; obstipação; sangramento anal; prurido anal; distensão abdominal; náuseas e vômitos; anemia e emagrecimento.

9.2. EXAME FÍSICO

9.2.1. ABDOME

9.2.1.1. INSPEÇÃO

9.2.1.1.1. Forma e volume

9.2.1.2. PALPAÇÃO

9.2.1.2.1. Contratura da parede abdominal - processo agudo e doloroso

9.2.1.2.2. Ceco

9.2.1.2.3. Doença diverticular

9.2.1.2.4. Fecaloma

9.2.1.3. PERCUSSÃO

9.2.1.3.1. Ceco com distensão gasosa

9.2.1.4. AUSCULTA

9.2.1.4.1. Diarreia

9.2.1.4.2. Íleo Paralítico (Silêncio abdominal)

9.2.2. PROCTOLÓGICO

9.2.2.1. Inspeção da região anossacrococcígea

9.2.2.2. Toque retal

9.2.2.3. Anuscopia

9.2.2.4. Retossigmoidoscopia

9.3. EXEMPLOS DE PATOLOGIAS

9.3.1. Síndrome do intestino irritável

9.3.2. Colites

9.3.3. Doença hemorroidária

9.3.4. Fissuras anais

9.3.5. Prolapso retal

9.3.6. Apendicite*

10. PÂNCREAS

10.1. ANAMNESE

10.1.1. SINAIS E SINTOMAS

10.1.1.1. Dor em região epigástrica e hipocôndrio esquerdo;

10.1.1.2. Náuseas e Vômitos;

10.1.1.3. Emagrecimento; anorexia e astenia;

10.1.1.4. Icterícia;

10.1.1.4.1. Dosagem da bilirrubinemia dom predomínio da fração direta.

10.1.1.5. Diarreia; má absorção;

10.1.1.6. Hemorragias;

10.2. EXAME FÍSICO

10.2.1. Neoplasias e cistos facilitam a palpação;

10.2.2. Sinal de Cullen e de Grey-Turner;

10.2.2.1. Manchas azuladas na região umbilical e flancos, respectivamente.

10.2.3. Hepato/esplenomegalia;

10.2.4. Ascite.

10.3. EXEMPLOS DE PATOLOGIAS

10.3.1. Pancreatite

10.3.1.1. Crônica

10.3.1.2. Aguda

10.3.2. Neoplasias do Pâncreas

11. DADOS

11.1. 70% DOS DIAGNÓSTICOS

11.1.1. HISTÓRIA CLÍNICA

11.1.1.1. TAXA DE DIAGNÓSTICOS - 90% ASSOCIADO AO EXAME FÍSICO

11.1.1.2. IDENTIFICAÇÃO

11.1.1.2.1. SEXO; IDADE; RAÇA; NATURALIDADE; PROFISSÃO; ETC.

11.1.1.3. HDA

11.1.1.3.1. SINTOMAS RELACIONADOS A QUEIXA PRINCIPAL

11.1.1.4. ANTECEDENTES FAMILIARES

11.1.1.4.1. NEOPLASIAS DO APARELHO DIGESTIVO; DOENÇAS BENIGNAS E TRATAMENTOS CIRÚRGICOS OCORRIDOS COM FAMILIARES.

11.1.1.5. ANTECEDENTES PATOLÓGICOS

11.1.1.5.1. HÁBITO INTESTINAL; ÚLCERA GÁSTRICA; SANGRAMENTO DIGESTIVO; GASTRITE; CIRURGIAS PRÉVIAS; HISTÓRIA DE HEPATITE; HEMOTRANSFUSÃO; ETC.

11.1.1.6. HÁBITOS DE VIDA

11.1.1.6.1. ETILISMO;TABAGISMO; ALIMENTAÇÃO; FORMAS DE LAZER; PRÁTICAS ESPORTIVAS; CONDIÇÕES DE MORADIA E SANEAMENTO.

12. FÍGADO E VIAS BILIARES

12.1. ANAMNESE

12.1.1. SINAIS E SINTOMAS

12.1.1.1. Dor no quadrante superior direito do abdome;

12.1.1.1.1. Pâncreas

12.1.1.1.2. Vias biliares

12.1.1.2. Icterícia;

12.1.1.2.1. Duração, intensidade e evolução.

12.1.1.3. Náuseas e vômitos.

12.1.1.3.1. Geralmente relacionados a ingestão de alimentos gordurosos.

12.2. EXAME FÍSICO

12.2.1. FÍGADO

12.2.1.1. INSPEÇÃO

12.2.1.1.1. Elevação ou abaulamento na área hepática

12.2.1.2. PERCUSSÃO

12.2.1.2.1. Identificar o limite ou a borda inferior

12.2.1.2.2. Certificar-se do volume.

12.2.1.3. PALPAÇÃO

12.2.1.3.1. Manobra em garra.

12.2.1.4. AUSCULTA

12.2.1.4.1. Eficaz em algumas patologias.

12.2.2. VESÍCULA BILIAR

12.2.2.1. Palpável em condições patológicas.

12.2.2.1.1. Sinal de Courvoisier

12.2.2.1.2. Sinal de Murphy

12.2.3. BAÇO

12.2.3.1. Esplenomegalia associada ao crescimento do fígado.

12.3. EXEMPLOS DE PATOLOGIAS

12.3.1. Colestase

12.3.2. Hipertensão Portal

12.3.2.1. Circulação colateral*

12.3.3. Ascite

13. QUESTIONAMENTOS

13.1. OS PRINCIPAIS QUESTIONAMENTOS IRÃO SE BASEAR NA SINTOMATOLOGIA QUE O PACIENTE PODE APRESENTAR A DEPENDER DA PARTE DO APARELHO DIGESTÓRIO AFETADA.