Friedrich Nietzsche

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Friedrich Nietzsche por Mind Map: Friedrich Nietzsche

1. MINDMEISTER: Bruna de Sousa

2. Valores: os humanos seriam uma espécie mais saudável se não tivessem moralidade. Nietzsche era crítico da moralidade cristã, dizendo que esta era oposta à vida. Não pretendia substituir a moralidade cristã por outra forma, mas acreditava que, após perceber a verdade por trás da moralidade, as pessoas se tornariam mais honestas e realistas em relação a seus motivos e atitudes diante da vida.

3. Verdade: é a prova de que nosso processo mental tornou-se inflexível. Ser flexível e reconhecer que pode haver mais de uma maneira para avaliar uma questão são sinais de uma mente saudável.

4. O papel do homem: quando os humanos aprenderam a controlar seus instintos naturais para evoluir, eles deixaram de ser animais. O poder se deslocou do lado externo para o interno. Tentando conquistar o autocontrole, o homem está a caminho de se tornar o super-homem, um indivíduo que possui autocontrole e boa consciência, tendo profundo amor pela vida e aceitando de boa vontade a luta e o sofrimento. A humanidade é uma transição para o super-homem.

5. O eterno retorno: o tempo é cíclico, as pessoas viverão cada momento de toda a vida infindáveis vezes, e a cada vez, será sempre o mesmo, e nós devemos aceitar esse fato é sentir alegria por isso. O estado de “ser” não existe, porque tudo está em constante mudança, se “tornando”. A realidade é entrelaçada e uma pessoa não pode julgar uma parte da realidade sem julgar toda a realidade.

6. Nazismo: durante seu período de insanidade, foi cuidado por sua meia-irmã, casada com um nacionalista alemão antissemita. Ela selecionou os textos de Nietzsche para publicar, estes sendo usados para promover a ideologia nazista. Sem saber, Nietzsche se tornou um ícone nazista. Só após o fim da 2ª G.M. que suas obras foram conhecidas verdadeiramente.

7. Niilismo: o abandono de toda e qualquer crença seria o que substituiria o código moral do cristianismo. Acreditava que as pessoas sempre teriam necessidade de identificar uma fonte de valor e significado, e concluiu que, se a ciência não era essa fonte, ela surgiria assumindo outras formas, como um nacionalismo agressivo. Ele não era favorável às tradições do cristianismo, mas queria descobrir como fugir desta forma de niilismo pela afirmação da vida.

8. A vontade de poder: ele acreditava que tudo no mundo está em fluxo e que um ser simplesmente fixo não existe. A essência dessa mudança é a vontade de poder. O universo é feito de vontades.

9. Nasceu em 1844, na Alemanha. Frequentou um dos melhores internatos do país e seguiu seus estudos em filologia. Serviu como enfermeiro na guerra franco-prussiana, contraindo sífilis, disenteria e difteria. Em 1878 estava mais interessado em filosofia, com o livro “Humano, demasiado humano” marcando esta mudança. Entre 1878 e 1889 viajou pela Alemanha, Suíça e Itália, escrevendo onze livros. Em 1889, teve uma crise nervosa, desmaiando na rua e nunca mais recobrou sua sanidade. Ficou em estado vegetativo por 11 anos. Morreu em 1900.