Técnicas de remoção de secreções das vias aéreas no neonato

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Técnicas de remoção de secreções das vias aéreas no neonato por Mind Map: Técnicas de remoção de secreções das vias aéreas no neonato

1. Desobstrução Rinofaríngea Retrógrada (DRR)

1.1. Objetivo

1.1.1. Remover secreções da rinofaringe, com ou sem o uso de instilação com seringa ou ampola diretamente nas narinas do bebê com solução fisiológica.

1.2. Procedimentos

1.2.1. A criança deve estar em decúbito dorsal elevado a aproximadamente 30º.

1.2.2. O fisioterapeuta deve posicionar uma das mãos elevando a mandíbula, apoiando os dedos indicador e médio na base da língua, ao final do tempo expiratório, obrigando a criança a inspirar profundamente pelo nariz ou ocluindo a boca do paciente com a região hipotenar da mão, fechando rapidamente o orifício bucal. Dessa forma, a criança deglutirá a secreção pulmonar.

2. Glossopulsão Retrógrada (GPR)

2.1. Objetivo

2.1.1. Conduzir as secreções eliminadas pela tosse, do fundo da cavidade bucal até a comissura labial, para que sejam expelidas.

2.2. Procedimentos

2.2.1. O fisioterapeuta segura, com uma das mãos, a cabeça do bebê, apoiando o polegar sob a mandíbula, na base da língua, impedindo a deglutição. Os outros quatro dedos são suavemente apoiados sobre a face lateral do crânio, sustentando a cabeça.

2.2.2. Durante o tempo expiratório, o estreitamento do conduto orofaríngeo provocado pelo apoio do polegar aumenta a velocidade do ar expirado, impulsionando a secreção do fundo da cavidade bucal até a comissura labial.

3. Aspiração de Vias Aéreas

3.1. Objetivo

3.1.1. É uma técnica amplamente realizada pela equipe multiprofissional e, para a fisioterapia, tem como objetivo ser utilizada posteriormente às manobras de desobstrução e higiene brônquica.

3.2. Cuidados, segundo a Recomendação de Fisioterapia Neonatal

3.2.1. Em crianças sob ventilação mecânica, após a aspiração intratraqueal, pode ocorrer redução do volume pulmonar associado à piora da ventilação pulmonar e à queda na saturação periférica de oxigênio.

3.2.2. Nos recém-nascidos, pode ocorrer queda transitória do volume pulmonar após a aspiração intratraqueal. Nesse contexto, recomenda-se que o sistema de aspiração intratraqueal fechado seja utilizado para evitar a queda de saturação periférica de oxigênio e bradicardia em RN sob ventilação mecânica e em prematuros extremos.