Técnicas e manobras de desobstrução pulmonar aplicadas no neonato

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Técnicas e manobras de desobstrução pulmonar aplicadas no neonato por Mind Map: Técnicas e manobras de desobstrução pulmonar aplicadas no neonato

1. Vibrocompressão

1.1. Objetivos

1.1.1. Promover a remoção de secreções em vias aéreas com o benefício de melhorar a saturação de oxigênio de crianças com insuficiência respiratória aguda ou crônica.

1.1.2. Aumentar o volume corrente (ar que é inspirado e expirado em uma respiração de repouso).

1.2. Procedimentos

1.2.1. São realizadas vibrações da mão do fisioterapeuta sobre o tórax do bebê, promovendo uma movimentação das vias distais e a eliminação e o descolamento de secreção.

1.3. Contraindicações

1.3.1. Esta técnica é contraindicada aos recém-nascidos de extremo baixo peso por seus efeitos adversos, por exemplo, aumento da frequência respiratória (FR) e redução do tempo expiratório.

2. Aumento do Fluxo Expiratório (AFE)

2.1. Objetivos

2.1.1. Promover a eliminação de maior volume de ar, por redução de todos os diâmetros torácicos, proporcionando melhor carreamento e eliminação das secreções traqueobrônquicas.

2.2. Procedimentos

2.2.1. O fisioterapeuta utiliza as duas mãos sobre o tórax das crianças: uma sobre o tórax, outra sobre o abdômen. Assim, quando a criança expira, é realizada uma junção rápida das mãos do terapeuta, fazendo com que o volume pulmonar seja eliminado juntamente com a secreção.

2.2.2. A mobilização torácica deve seguir as curvaturas costais, não ultrapassando os limites de elasticidade costal.

2.2.3. A pressão da manobra é suave, simétrica e a mão nunca deve perder o contato com o tórax.

2.3. Recomendações

2.3.1. Recomenda-se a aplicação do AFE lento (AFEL) para recém-nascidos e AFE rápido (AFER) para lactentes.

3. Drenagem Autógena Assistida (DAA)

3.1. Objetivo

3.1.1. Drenar secreções prolongando a expiração até o volume residual e aumentando a velocidade do fluxo expiratório, visando melhorar o transporte do muco para vias aéreas de maior calibre.

3.2. Procedimentos

3.2.1. O terapeuta realiza movimentos rítmicos com suas mãos sobre o tórax da criança para cima e para baixo, utilizando o deslocamento do próprio tronco e a frequência respiratória.

3.3. Recomendações

3.3.1. Em recém-nascidos pré-termo (RNPT), a técnica necessita de modificações baseadas nas limitações impostas pelas características fisiológicas, pois pode provocar alterações do fluxo sanguíneo cerebral, se for realizado muito bruscamente.

3.3.1.1. Neste caso, utiliza-se da fralda para sustentação do abdome e posiciona-se a mão torácica entre a fúrcula esternal e a linha intermamária, realizando a técnica.