Princípios da administração de medicamentos Seção 1.2

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Princípios da administração de medicamentos Seção 1.2 por Mind Map: Princípios da administração de medicamentos       Seção 1.2

1. Principios

1.1. Negligência (omissão dos deveres exigidos em determinada situação),

1.2. Imprudência (ação desprovida da cautela necessária)

1.3. Imperícia (ação sem conhecimento técnico adequado ou uso equivocado de tais conhecimentos)

2. Aspectos ético-legais na administração de medicamentos

2.1. Responsabilidade

2.1.1. é definida como a obrigação de responder por suas ações ou de outras pessoas.

2.2. a) conselho de classe:

2.2.1. passível de processos administrativos e de ética, podendo ser excluído do conselho caso seja acusado de má conduta profissional em discordância com o que está estabelecido no Código de Ética e demais normativas.

2.3. b) empregador:

2.3.1. através de contratos assinados com o empregador, o enfermeiro se compromete a obedecer suas solicitações e trabalhar seguindo os preceitos básicos da profissão.

2.4. c) paciente:

2.4.1. aqueles pacientes que se sentirem afetados pelo enfermeiro (física ou moralmente), podem reclamar com o empregador ou, em casos extremos, tomar as medidas legais necessárias.

2.5. d) sociedade:

2.5.1. o profissional que desrespeitar a lei é passível de processo e demais medidas legais.

3. Principais legislações

3.1. Lei no 7.498/1986 (também chamada de Lei do Exercício Profissional): estabelece as responsabilidades jurídicas e atribuições do enfermeiro e de sua equipe, cujo exercício profissional é regulamentado pelo Decreto-Lei no 94.406/1987.

3.2. Código de Ética do Profissional de Enfermagem: aprovado pela Resolução COFEN no 311/2007, aplica- se a todos os profissionais de enfermagem e apresenta os princípios fundamentais desta profissão, seus deveres e responsabilidades, e as penalidades e infrações do seu descumprimento.

3.3. Resolução RDC no 45/2003: aprova os requisitos básicos para a utilização de soluções parenterais, incluindo o preparo e administração, visando garantir a segurança e eficácia dos medicamentos.

3.4. Resolução Cofen no 210/1998: esta resolução, voltada para a administração de antineoplásicos/quimioterápicos, estabelece que esta atividade é exclusiva do enfermeiro.

4. Prontuário e Prescrição

4.1. O Código de Ética também estabelece a responsabilidade dos profissionais de enfermagem quanto ao registro escrito de suas ações, no que diz respeito à assistência prestada ao paciente, incluindo informações completas da terapia medicamentosa para garantir sua continuidade.

5. Prontuário

5.1. é o documento sigiloso que contém todas as informações (incluindo ficha clínica, exames complementares, evolução clínica, pedido de parecer, relatórios da enfermagem, prescrições, resumo de alta/óbito e documentos pertinentes) geradas a partir da situação do paciente e da assistência prestada.

5.2. Orientações quanto ao preenchimento: Erros, Rasuras, Comentários sobre o paciente, Registros.

6. Prescrições

6.1. devem ser completas (sem o uso de códigos ou símbolos), legíveis e sem rasuras, utilizando unidades de pesos e medidas oficiais, com assinatura e número de inscrição do prescritor no respectivo conselho profissional.

6.2. Classificação:

6.2.1. Origem

6.2.1.1. Ambulatorial

6.2.1.2. Hospitalar

6.2.2. Tipo de medicação

6.2.2.1. Manipulada

6.2.2.2. Oficinal/especializado

6.2.3. Tipos de prescrição

6.2.3.1. Padrão

6.2.3.2. Única

6.2.3.3. Imediatos

6.2.3.4. S/N

6.2.3.5. Permanentes

6.2.3.6. Verbais

6.3. Prescrição

6.3.1. Uso oral: nome do fármaco (DCB/DCI) + concentração + forma farmacêutica + dose + posologia + via + orientação

6.3.1.1. - Pantoprazol 20 mg, comprimido. Administrar 20 mg ao dia por via oral, em jejum ou 30 minutos antes de alimentos. (uso oral)

6.3.2. Uso tópico: nome do fármaco (DCB/DCI) + concentração + forma farmacêutica + posologia + via+ orientação

6.3.2.1. - Acetato de hidrocortisona 10 mg/g, creme. Aplicar 2 a 3x/dia no local afetado, com leve fricção. (uso tópico)

6.3.3. Uso endovenoso: nome do fármaco (DCB/DCI) + concentração + forma farmacêutica + dose + diluente + volume + via + velocidade de infusão + posologia + orientação

6.3.4. Uso parenteral: nome do fármaco (DCB/DCI) + concentração + forma farmacêutica + dose + diluente + volume + via + posologia + orientação

6.4. Sistemas de distribuição de medicamentos

6.4.1. Coletivo

6.4.1.1. Medicamentos solicitados pela enfermagem (transcrição da prescrição) e distribuídos por setor, com formação de vários estoques.

6.4.2. Individual

6.4.2.1. Medicamento é dispensado para o paciente, normalmente para 24 horas. Pode ser direto (cópia da prescrição) ou indireto (transcrição da prescrição).

6.4.3. Combinado

6.4.3.1. Medicamentos são dispensados por requisição (coletivo) ou prescrição (individual).

6.4.4. Dose Unitária

6.4.4.1. Medicamento fornecido na forma e dosagem necessárias, sem necessidade de cálculos pela equipe de enfermagem. Pode ser centralizado, descentralizado ou combinado.