Necessidades Nutricionais na Prática Esportiva

Necessidades Nutricionais na Prática Esportiva

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Necessidades Nutricionais na Prática Esportiva por Mind Map: Necessidades Nutricionais na Prática Esportiva

1. Sistema Energético

1.1. ATP-CP

1.1.1. Ácido Lático -> Glicólise Anaeróbica

1.1.1.1. Sistemas de Oxigênio ->Glicólise aeróbia e lipólise aeróbica

1.2. Durante o exercício físico, o músculo contraído gera uma demanda de energia. Esta energia é proveniente dos alimentos, que depois de digeridos são armazenados em formas mais compactas para serem utilizados pelo organismo.

1.2.1. Os carboidratos são armazenados sob a forma de glicogênio nos músculos e no fígado. A gordura é degradada em ácido graxo e glicerol e armazenada na forma de triglicérides, e os depósitos de proteínas encontram-se sob a forma de aminoácidos.

1.2.2. O substrato energético utilizado durante o exercício dependerá do tipo, intensidade e duração da atividade física.

2. Adequação de Macronutrientes na atividade física

2.1. Carboidrato -> é definido como o combustível energético. Para o desempenho físico é de suma importância o glicogênio muscular que durante um exercício é a principal fonte de energia glicídica para os músculos ativos. A necessidade de CHO vai de 6 a 10g/ kg/ dia, correspondendo a 50-70% do total de calorias no dia.

2.2. Proteína -> É fundamental para o crescimento, regeneração e renovação de tecidos, produção de hormônios, enzimas e integridade do sistema imunológico. A ingestão de 1,2 a 1,5 g de proteína por kg de peso corporal por dia é a mais recomendada para atletas em geral.

2.3. Lipídeos -> Os principais substratos energéticos utilizados pelo organismo durante o exercício são os lipídeos e os carboidratos.

3. Micronutrientes

3.1. Os micronutrientes interagem com as enzimas responsáveis pelo metabolismo dos macronutrientes citados na "Adequação de Macronutrientes na atividade física", participando nos processos relacionados ao metabolismo energético, defesa antioxidante, contração e reparação celular, transporte de oxigênio, crescimento muscular e entre outros.

4. Necessidade de Água

4.1. O ideal de consumo de água diário é de cerca de 2,5 litros, sendo de 1,5l a 2l em forma de líquidos e o restante proveniente dos alimentos. Para atletas de alto rendimento, o recomendado é ingerir 1,5l para cada quilo perdido durante as atividades. Os atletas de alto rendimento, que suam com maior intensidade, é necessária a reposição dos chamados eletrólitos, que são os isotônicos.

5. Necessidades Especiais -> Atletismo

5.1. Quanto mais intensa e duradoura a competição ou atividade, mais os carboidratos irão participar, mesmo que a gordura seja usada o tempo todo no exercício e a proteína ajude a manter a glicose no sangue. Atividades de grande intensidades, com duração de 1hora, conseguem diminuir a quantidade de glicogênio no fígado em até 55%. Sendo assim, a etapa mais favorável para sintetizar glicogênio, são as primeiras horas após atividades intensas. Nessa etapa, uma dieta rica em carboidratos repõe de forma eficaz os estoques de glicogênio no músculo e no fígado.

5.2. Segundo a Diretriz da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte (2003), Para atividades longas, os atletas devem ingerir em média de 7 a 8g de carboidratos/kg de peso, ou cerca de 30 a 60g para cada hora de prática de exercícios, evitando a hipoglicemia, depleção de glicogênio e retardando a fadiga.

5.3. Com o reparo de lesões nas fibras musculares induzidas pela atividade, as proteínas se tornam ainda mais necessárias. O mais indicado aos atletas é um consumo de 1,2 a 1,8g de proteína/kg/dia. E, os lipídeos não devem ultrapassar um consumo de 30% do valor total de energia na dieta.