1.3 Segurança do paciente na administração de medicamentos

Project Control, Project Closing, Timeline template

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
1.3 Segurança do paciente na administração de medicamentos por Mind Map: 1.3 Segurança do paciente na administração de medicamentos

1. “sete certos na administração de medicamentos”,

1.1. (1) Paciente certo.

1.2. (2) Medicamento certo.

1.2.1. Protocolo de Segurança na Prescrição, Uso e Administração de Medicamentos

1.3. (3) Via (de administração) certa (e na forma farmacêutica certa).

1.3.1. Intravenosa (IV): o medicamento é administrado diretamente Intravenosa (IV): o medicamento é administrado diretamente na corrente sanguínea. Esta via tem o início de ação mais na corrente sanguínea. Esta via tem o início de ação mais rápido, mas apresenta maior risco de efeitos adversos, como rápido, mas apresenta maior risco de efeitos adversos, como taquicardia, hipotensão etc. taquicardia, hipotensão etc.

1.3.1.1. Intravenosa

1.3.1.1.1. IV

1.3.2. Intramuscular (IM): a taxa de absorção depende do fluxo sanguíneo no local de aplicação. Dependendo do fluxo sanguíneo no local de aplicação. Dependendo do medicamento, o paciente pode sentir dor ou desconforto. medicamento, o paciente pode sentir dor ou desconforto.

1.3.2.1. INTRAMUSCULAR

1.3.2.1.1. INTRAMUSCULAR

1.3.3. Subcutânea: assim como a IM, a taxa de absorção também Subcutânea: assim como a IM, a taxa de absorção também depende do fluxo sanguíneo no local.

1.3.3.1. subcutânea

1.3.3.1.1. subcutânea

1.3.4. Intradermica

1.3.4.1. Intradérmica

1.3.5. Oral: em alguns casos, esta via pode resultar na absorção mais rápida do que a IM, dependendo do medicamento mais rápida do que a IM, dependendo do medicamento usado, forma farmacêutica e presença ou ausência de usado, forma farmacêutica e presença ou ausência de alimentos no estômago. Esta via é considerada a mais alimentos no estômago. Esta via é considerada a mais segura, além de permitir a correção de possíveis erros de segura, além de permitir a correção de possíveis erros de medicação que possam ocorrer (por indução de vômito ou medicação que possam ocorrer (por indução de vômito ou lavagem estomacal). lavagem estomacal).

1.3.5.1. via oral

1.3.5.1.1. via oral

1.4. (4) Hora certa.

1.4.1. Concentração plasmática dependendo da via de administração

1.4.1.1. • Abreviações, siglas e símbolos:

1.4.1.2. Horário de administração padronizado:

1.4.1.3. Manutenção da concentração plasmática:

1.5. (5) Dose (e duração) certa.

1.6. (6) Documentação (ou registro) certa.

1.7. (7) Ação (ou indicação) certa (garantindo a resposta certa).

2. O que fazer?

2.1. Converse com o paciente de maneira firme, mas gentil.

2.2. Ajuste o paciente na posição mais apropriada para a via de administração que será utilizada. Por exemplo, o paciente deve estar sentado para a ingestão de medicamentos orais.

2.3. Para facilitar a ingestão de medicamentos orais, tenha uma porção de líquido em mãos antes da administração.

2.4. Permaneça com o paciente para garantir que todos os medicamentos foram ingeridos.

2.5. Responda ou tire dúvidas do paciente, familiares ou acompanhantes de forma simples e honesta.

2.6. Sempre compare o nome do medicamento/fármaco, dose, frequência e via de administração com o que foi prescrito.

2.7. Sempre verifique o prontuário ou a pulseira de identificação do paciente para possíveis alergias.

2.8. Verifique a identidade do paciente usando dois identificadores sempre que uma medicação precisar ser administrada.

3. O que não fazer!

3.1. Nunca prepare ou administre um medicamento de um recipiente que não esteja identificado corretamente ou cujo rótulo não esteja totalmente legível.

3.2. Nunca administre um medicamento que não tenha sido preparado pelo farmacêutico ou por você.

3.3. Nunca retorne uma porção não utilizada ou dose do medicamento de volta ao frasco.

3.4. Nunca tente administrar um medicamento por via oral em pacientes comatosos.

3.5. Nunca deixe uma medicação no quarto do paciente para ser tomado em outro momento, exceto em situações específicas que permitem a automedicação, desde que propriamente prescritas.

3.6. Nunca dilua um medicamento na forma líquida que não esteja especificado na prescrição.