Informática na Educação

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Informática na Educação por Mind Map: Informática na Educação

1. Tecnófobos

2. Tecnofilos

3. é o medo da tecnologia, Manifesta-se como o receio em utilizar um computador ou uma caixa multibanco. A tecnologia chegou rápido demais e não deu tempo de todas as pessoas se adaptarem. A pessoa que tem tecnofobia é chamado de tecnófobos. A maioria dos tecnófobos até gostariam de desfrutar dos benefícios gerados pela tecnologia, mas simplesmente tem medo de abraçar a novidade. Nesse processo, enquanto o resto das pessoas parece estar se movendo para a frente, os tecnófobos vivenciam uma constante sensação de estar rapidamente sendo deixado para trás.

4. acham que a tecnologia é uma forma de fazer com que os alunos cresçam tanto na escola como na sua vida cotidiana levando em consideração os aspectos políticos, econômicos e sociais.

5. Exemplos Pessoas que se negam e não veem necessidade a se adaptar a novas tecnologias com a desculpa de que "o jeito antigo é melhor"

6. Perfil do Tecnófabo O tecnofóbico sente medo de usar um simples telefone celular ou até mesmo um computador. Essas pessoas sentem medo de mexer no teclado e eventualmente provocar algum dano irreversível. Aparentemente não compreendem o que está aparecendo na tela, e não conseguem, ou mesmo não querem, aprender a utilizar um programa simples.

7. mplicações Sociais da Tecnofobia Tecnofobia ou dificuldade em adequar-se às novas tecnologias, tem atingido negativamente vários programas educacionais. As dificuldades de implementação de tecnologia educacional tem decorrência da tecnofobia.

8. Livros sobre Tecnófobos A Criança e a Maquina ; As vertigens da tecnociência; Internet e Depois;

9. Tecnofilia é um neologismo, formado pela aplicação do radical grego -filia (=amizade, proximidade) à palavra tecnologia, e designa um comportamento de adesão, geralmente acrítica, às inovações tecnológicas.

10. Opõe-se à tecnofobia, na medida em que os tecnófilos são indivíduos cuja “patologia” reside em desejar sempre aquilo que represente o “estado de arte” em termos tecnocientíficos. Em um contexto de valorização da tecnociência, a representação social da tecnofilia tende a ser mais positiva que a da tecnofobia, muito embora se possa enxergar alguma espécie de distúrbio psicológico em ambos os comportamentosOpõe-se à tecnofobia, na medida em que os tecnófilos são indivíduos cuja “patologia” reside em desejar sempre aquilo que represente o “estado de arte” em termos tecnocientíficos. Em um contexto de valorização da tecnociência, a representação social da tecnofilia tende a ser mais positiva que a da tecnofobia, muito embora se possa enxergar alguma espécie de distúrbio psicológico em ambos os comportamentos

11. Mercado de trabalho para os Tecnófobos As pessoas que se enquadram na classificação de tecnófobos colocam como alternativa o retorno aos modos de vida “humanizados”, de consumo, convivência e produção, anteriores àqueles vividos no capitalismo industrial. Assim, os tecnófobos partem da premissa de que esse desenvolvimento, alicerçado pela racionalidade econômica capitalista é inexorável e imutável, restando como alternativa o retorno à natureza, às artes, ao convívio comunitário e às antigas técnicas de produção de bens e serviços, como contraponto ao industrialismo.

12. O mundo em que vivemos hoje, sem sombra de dúvidas, é formado pela maioria das pessoas pertencentes, ou então que se aproximam muito do grupo dos tecnofilos. Sabemos que a tecnologia tem trazido pontos positivos e negativos, em todos os sentidos. É necessário usá-la da melhor maneira possível e encontrar um meio termo entre a tecnofilia e a tecnofobia.