ÉTICA MÉDICA

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
ÉTICA MÉDICA por Mind Map: ÉTICA MÉDICA

1. Diretrizes do SUS e a importância nos atendimentos

1.1. Integralidade

1.2. Equidade

1.3. Universalidade

2. Imprudência médica é a imprevisão do agente em relação as consequências do seus atos

2.1. Juramento de Apolo

2.1.1. Usar conhecimentos para fazer o bem, não provocar o mal ou o dano

3. Distrofia muscular de Duchenne

3.1. Ligada ao X e degenerativa

3.1.1. Acomete sexo Masculino

3.1.2. Sexo feminino pode haver defeito no gene mas não haverá apresentações clínicas

3.2. Causada pela ausência de uma proteína essencial para o músculo, sem ela o tecido degenera-se rapidamente. Ausência é decorrente de alterações genética, ou gene defeituoso

3.3. No desenvolvimento locomotor da criança aparecem os primeiros sinais

3.3.1. quedas frequentes, fadiga, fraqueza, músculos da perna grossos, dificuldade de aprendizagem, retardo mental entre outros

3.4. Clínico geral, neurologista, reumatologista e geneticistas fazem o diagnóstico

3.4.1. Através do Histórico do paciente e da família, exame físico, teste de enzimas (músculo danificado libera Creatina Quinase no sangue), eletromiografia (eletrodo no músculo, para identificar mudança no padrão da atividade elétrica na contração e relaxamento

3.5. Tratamento

3.5.1. Amenizar sintomas e melhorar a qualidade de vida dos pacientes

3.5.1.1. Corticóides (reduzem a inflamação), hidroterapia, fisioterapia;

3.5.2. Não há cura

3.5.2.1. Investiga-se tratar com células tronco, que podem originar novos tecidos musculares, ou terapia genética, que pode impedir progressão da doença

4. Contração Muscular

4.1. Um potencial de ação trafega ao longo de um nervo motor, até as terminações nas fibras musculares, em cada uma dessas ultimas, o nervo libera a acetilcolina, que é neurotransmissora, atuando na membrana da fibra abrindo canais de Ach dependentes. Esses canais permitem passagem de íons de sódio para dentro da membrana da fibra, desencadeando o potencial de ação da fibra, que despolariza a membrana da fibra e induz liberação de íons cálcio para miofibrilas, através do retículo sarcoplasmático da fibra. Os íons de cálcio liberados provocam forças atrativas entre actina e miosina, provocando o deslizamento desses, o que constitui a contração. Após segundo, os íons de cálcio são bombeados para o retículo novamente, até a chegada de um novo potencial de ação, essa remoção é o fim da contração.

5. Teoria dos filamentos deslizantes

5.1. 1) Com o sítio de ligação de ATP livre, a miosina se liga fortemente a actina; 2) Quando uma molécula de ATP se liga a miosina, a conformação da miosina e o sítio de ligação se tornam instáveis liberando a actina; 3) Quando a miosina libera a actina, o ATP é parcialmente hidrolizado (transformando-se em ADP) e a cabeça da miosina inclina-se para frente; 4) A religação com a actina provoca a liberação do ADP e a cabeça da miosina se altera novamente voltando a posição de início, pronta para mais um ciclo.