Fundos de Investimento

Análise geral sobre fundos de investimento por Carlos Fantoni

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Fundos de Investimento por Mind Map: Fundos de Investimento

1. Tipos de Fundos

1.1. Multi-Mercado

1.1.1. Mais versátil. Pode Investir em qualquer modalidade.

1.2. Renda Fixa

1.2.1. 80% Do Patrimônio em RF no mínimo

1.2.2. Tributação regressiva

1.2.3. Benchmark IPCA ou CDI

1.3. Ações

1.3.1. 67% do Patrimônio em ações no mínimo

1.3.2. Estratégias

1.3.2.1. Crescimento/Valor

1.3.2.2. Setoriais

1.3.2.3. Dividendos

1.3.2.4. Small Caps

1.3.2.5. Sustentabilidade/Governança

1.3.2.6. Índice

1.3.2.7. Livre

1.3.3. Regime

1.3.3.1. Fechado

1.3.3.2. Aberto

1.3.3.3. Mono-Ação

1.3.4. Tributação

1.3.4.1. 15% fixo sobre rendimentos e na hora do resgate

1.3.4.2. Não possui come-cotas

1.3.5. Benchmark CDI ou Índices (Ibov, Small11, etc)

1.4. Previdência

1.4.1. Fase de Acumulação

1.4.1.1. Aportes ao longo do tempo x Rentabilidade = Patrimônio

1.4.1.2. Quanto maior o Patrimônio acumulado, maior o Usufruto

1.4.2. Fase de Usufruto

1.4.2.1. Caracterizada pelo término dos aportes e inicio do uso de recursos provenientes do patrimônio acumulado

1.4.3. Fiscalizado pela SUSEP - Superintendência dos Seguros Privados ao invés da CVM

1.4.4. Tipo de Plano

1.4.4.1. PGBL

1.4.4.1.1. Pode abater até 12% da renda bruta anual na hora de calcular o IR - Apenas para declarações completas

1.4.4.1.2. Na hora de usufruir IR é calculado sobre valor total do patrimônio

1.4.4.1.3. Necessário contribuir para INSS ao mesmo tempo

1.4.4.1.4. Para quem procura benefício fiscal

1.4.4.2. VGBL

1.4.4.2.1. Sem Abatimento no IR

1.4.4.2.2. Na hora de usufruir IR é calculado sobre rentabilidade total do patrimônio

1.4.4.2.3. Para quem faz Declaração simplificada

1.4.5. Tributação

1.4.5.1. Progressiva

1.4.5.1.1. Resgate

1.4.5.1.2. Renda

1.4.5.1.3. Mesma tabela de salários

1.4.5.2. Regressiva

1.4.5.2.1. Alíquota começa em 35% e regride a cada 2 anos até chegar em 10%

1.4.6. Transferência

1.4.6.1. Sinistro

1.4.6.1.1. Passa para os Beneficiários

1.4.6.2. Portabilidade

1.4.6.2.1. Dentro da mesma instituição

1.4.6.2.2. Não pode mudar de PGBL para VGBL e vice versa

1.4.7. Reserva Técnica

1.4.7.1. Recursos guardados para o fundo onde a EAPC é a única cotista

1.4.8. Resgate ou Renda

1.4.8.1. Resgate

1.4.8.1.1. Carência na primeiro resgate

1.4.8.1.2. Carência entre resgates

1.4.8.2. Renda

1.4.8.2.1. Renda Vitalícia

1.4.8.2.2. Tábua Autuarial

1.4.8.2.3. Renda Mensal Temporária

1.4.8.2.4. Renda Mensal Vitalícia com Prazo Mínimo Garantido

1.5. Cambial

1.5.1. Aplica pelo menos 80% do patrimônio em moeda estrangeira

1.5.1.1. Títulos relacionado a variação de preços

1.5.1.2. Taxas de juros estrangeiras - cupom cambial

1.5.2. Até 20% aplicado em RF

1.5.3. Proteção permitida via Hedge

1.5.4. Vetada alavancagem

1.5.5. Benchmark - Variação do dólar

1.6. Imobiliários - FII

1.6.1. Cotas de Imóveis

1.6.2. Dividendos isentos de IR (Proveniente dos Aluguéis dos Imóveis)

1.6.3. Forma mais fácil de se investir no setor imobiliário

1.6.4. Negociados na B3

1.6.5. Tipo de Fundo

1.6.5.1. Tijolo

1.6.5.1.1. Investe em imóveis físicos

1.6.5.2. Papel

1.6.5.2.1. Investe em LCI, LCA, CRI e CRA

1.6.6. Rentabilidade mensal

1.7. Exchange Trade Fund - ETF

1.7.1. Fundos de índices

1.7.1.1. Fundos de índices iShares

1.7.1.1.1. ETFs Geridos pela BlackRock

1.7.1.2. Renda Fixa

1.7.1.2.1. Mirae Asset

1.7.2. Negociados na B3

1.7.3. Custos

1.7.3.1. Corretagem

1.7.3.1.1. Cobrança da corretora pela operação

1.7.3.2. Emolumentos da B3

1.7.3.2.1. Cobrança da Bolsa pela operação

1.7.3.3. Custódia

1.7.3.3.1. Cobrança da corretora e da bolsa para segurar sua ação

1.7.3.4. Administração

1.7.3.4.1. Taxa da administradora do ETF

1.8. FIDC - Fundo De Investimento de Direito Creditório

1.8.1. Restrito a investidores qualificados

1.8.2. Direitos Creditórios são direitos derivados dos créditos que uma empresa tem a receber como cheques, aluguéis, duplicatas ou parcelas

1.8.2.1. Dívidas são convertidas em títulos através de um processo chamado securitização

1.8.3. Tipos de Cotas

1.8.3.1. Cotas Seniores - Maior parte

1.8.3.1.1. Possui rentabilidade pre-fixada

1.8.3.2. Cotas Subordinadas - Menor parte

1.8.3.2.1. Recebem diferença da rentabilidade das cotas seniores - para cima ou para baixo

1.8.3.2.2. Maior risco

1.8.3.2.3. Maior possibilidade de retorno - variável

1.9. FIP - Fundo de Investimento em Participações

1.9.1. Aplica recursos em companhias

1.9.1.1. Abertas

1.9.1.2. Fechadas

1.9.1.3. Em Desenvolvimento

1.9.2. Tipos

1.9.2.1. Capital Semente

1.9.2.1.1. Aquisição de companhias com receita bruta anual de até R$ 16 milhões nos últimos 3 exercícios sociais

1.9.2.2. Infraestrutura - FIP-IE

1.9.2.2.1. Investe em empresas que tenham projetos de infra-estrutura em energia, transporte, água e saneamento básico, irrigação e outras áreas prioritárias para o Poder Executivo Federal

1.9.2.3. Pesquisa e Desenvolvimento - FIP-PD&I

1.9.2.3.1. Investe em empresas que tenham projetos de pesquisa e desenvolvimento em energia, transporte, água e saneamento básico, irrigação e outras áreas prioritárias para o Poder Executivo Federal

1.9.2.4. Empresas Emergentes

1.9.2.4.1. Aquisição de companhias com receita bruta anual de até R$ 300 milhões nos últimos 3 exercícios sociais

1.9.2.5. Multi-Estratégia

1.10. Off-Shore

1.10.1. Sede se localiza no exterior porém gestor está no Brasil

1.10.2. Renda Fixa

1.10.3. Renda Variável

1.10.4. Fundo Misto

1.10.5. Fundo de dívida Externa

1.10.5.1. Investe na divida do governo fora do país

2. Custos

2.1. Taxas

2.1.1. Taxa de Adm

2.1.1.1. Provisionada Diáriamente

2.1.1.2. Descontada direto na cota do fundo

2.1.1.3. Serve para cobrir custos do fundo como gestor, burocracia, infra, etc

2.1.1.4. Fixa no Regulamento

2.1.1.4.1. Alterada mediante assembléia

2.1.1.4.2. Gestor sabe qual nível de PL deve ser atingido para garantir custos positivos

2.1.2. Taxa de Performance

2.1.2.1. Benchmark

2.1.2.1.1. Linha D'agua

2.1.2.1.2. Taxa cobrada do excedente

2.1.3. Taxa de carregamento

2.1.3.1. De Entrada

2.1.3.1.1. Cobrada a cada aporte

2.1.3.2. De Saída

2.1.3.2.1. Cobrada a cada resgate

2.1.3.2.2. Alguns fundos isentam após um determinado prazo

2.2. IR

2.2.1. Come-Cotas

2.2.1.1. Adiantamento semestral do imposto

2.2.1.1.1. Na hora do resgate é calculada a diferença entre IR pago via come-cotas e o restante devido

2.2.1.2. Últimos dias de Maio e Novembro

2.2.1.2.1. Aparece como 'resgate' no extrato

2.2.1.3. Não Incide sobre Fundos de Ações

2.2.2. Regressivo ou Progressivo

2.2.3. Ações, Longo Prazo ou Curto Prazo

2.2.3.1. Curto Prazo - Até 365 Dias

2.2.3.1.1. Até 180 dias - 22,5%

2.2.3.1.2. 181 a 365 dias - 20%

2.2.3.2. Longo Prazo - Acima de 365 Dias

2.2.3.2.1. Até 180 Dias - 22,5%

2.2.3.2.2. 181 a 360 dias - 20%

2.2.3.2.3. 361 a 720 dias - 17,5%

2.2.3.2.4. Acima de 720 dias - 15%

2.2.3.3. Ações - 15%

2.3. IOF

2.3.1. Até 30 dias do investimento - Tabela Regressiva

2.3.1.1. Máx - 96% no 1º dia

2.3.1.2. Min - 3% no 29º dia

3. Legislação

3.1. CVM 554

3.1.1. Tipos de investidores

3.1.1.1. Profissionais

3.1.1.1.1. Companhias seguradoras

3.1.1.1.2. Instituição financeira

3.1.1.1.3. Entidades de previdência

3.1.1.1.4. Pessoas físicas ou jurídicas com mais de $10MM aplicados com declaração por escrito

3.1.1.1.5. Fundos de investimento

3.1.1.1.6. Clube de investimento

3.1.1.1.7. AAI, administradores de carteira, analistas e consultores

3.1.1.1.8. Não residentes

3.1.1.2. Qualificados

3.1.1.2.1. Investidores profissionais

3.1.1.2.2. Pessoa fisica ou jurídicas com mais de R$ 1MM

3.1.1.2.3. Pessoas com certificação com AAI, consultores e gestores

3.1.1.2.4. Clubes de investimento geridos por cotista qualificado

3.1.1.3. Varejo

3.1.2. Perfil do investidor (API)

3.2. CVM 555

3.2.1. Comunicação entre ADM e Investidor

3.2.1.1. Transparência

3.2.1.1.1. Melhor Orientação sobre Riscos

3.2.1.1.2. Veda remuneração ao gestor que prejudique sua independência

3.2.1.1.3. Direitos e deveres do cotista

3.2.1.1.4. Documentos

3.2.1.2. Efetividade

3.2.1.2.1. Preferência a meios eletrônicos

3.2.1.2.2. Menos comunicações mais efetivas

3.2.1.2.3. Flexibilização de limites de aplicações

3.2.2. Proteção ao Gestor e ao Investidor

3.2.2.1. Cobrança de Taxa de Performance

3.2.2.1.1. Método do passivo - levando em conta cada cotista individualmente

3.2.2.1.2. Método de ajuste - conjugação com base do resultado do fundo acrescido de ajustes individuais

3.2.2.1.3. Impede que se cobra abaixo do percentual de 100% do índice de referência

4. API

4.1. O que fazer com o dinheiro investido

4.1.1. Finalidades do Investimento

4.1.1.1. Reserva de emergência

4.1.1.2. Consumo no curto prazo

4.1.1.3. Consumo no longo prazo

4.1.1.4. Aposentadoria

4.2. Quando necessita do dinheiro

4.2.1. Valor das receitas regulares

4.2.2. Valor dos aportes

4.2.3. Valor e ativos que compõem carteira

4.2.4. Necessidade futura desses ativos

4.3. Qual a tolerância a variação

4.3.1. Preferência declarada

4.3.2. Conhecimentos específicos

4.3.3. Experiência com investimentos

4.3.4. Frequência dos aportes

4.3.5. Formação acadêmica

4.3.6. Experiência profissional

4.4. Também conhecido como Suitability

5. Decisões de Investimento