Novo Mapa Mental dos Gigante da superação

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Novo Mapa Mental dos Gigante da superação por Mind Map: Novo Mapa Mental dos Gigante da superação

1. Psicologia cognitiva

1.1. Influências

1.1.1. Psicologia experimental animal

1.1.2. Psicanálise

1.1.3. Behavorismo

1.2. Resumo

1.2.1. Área de conhecimento que se propõe a estudar os processos mentais dos indivíduos. Estuda a maneira de como as pessoas são capazes de perceber, lembrar, aprender e pensar sobre determinadas situações da vida

1.3. Método

1.3.1. Modelação

1.3.1.1. Atenção

1.3.1.1.1. Julgamento

1.3.2. Auto-eficácia

1.3.2.1. Observação

1.3.2.1.1. Influência

1.3.3. Condicionamento

1.3.3.1. Clássico

1.3.3.2. Operante ou Instrumental

1.4. Objeto

1.4.1. Cognição

1.4.1.1. Aquisição de conhecimento, capacidade de discernir, de assimilar esse conhecimento, percepção, ação de conhecer, perceber de ter ou passar conhecimento sobre algo.

1.5. Período Histórico

1.5.1. Séc. XIV - Entre o final do ano 1960 e início de 1970.

1.6. Autores

1.6.1. Albert Bandura

1.6.2. Jean Piaget

1.6.3. Francisco Varela

1.6.4. Michael Mahoney

1.6.5. Ulrich Neisser

1.7. Técnicas de Cognição

1.7.1. Cibernética

1.7.2. Lógica0

1.7.3. Inteligência Artificial

1.7.4. Linguística

1.7.5. Filosofia

1.7.6. Informática

1.7.7. Antropologia

1.7.8. Neurociência

2. Psicologia das massas

2.1. Influência

2.1.1. "um grupo formado pelas relações recíprocas de um definido número de indivíduos" ou o individual em relação com a generalidade definida como "uma classe que abrange abstratamente um número indefinido de indivíduos" (Ibid.). Lacan1945-1998 p 200

2.2. Resumo

2.2.1. Uma tentativa do entendimento do indivíduo inserido no contexto de massa, para a produção de saberes psicológicos: Como isso modificava seus pensamentos e ações

2.3. Objeto

2.3.1. Massas

2.4. Método

2.4.1. Visão Macro

2.4.1.1. Sociológico

2.4.1.2. Objeto

2.4.1.2.1. Sensação

2.4.2. Visão Micro

2.4.2.1. Le Bon

2.4.2.1.1. Social

2.4.2.2. Freud

2.4.2.2.1. Clínica

2.5. Autor

2.5.1. Sigmund Freud

2.5.2. Reich

2.5.3. Gabriel Tarde

2.6. Período Histórico

2.6.1. Início do Séc. XIX

2.6.1.1. Surgimento da Revolução Industrial, o surgimento do capitalismo liberal, onde, a burguesia dominava os trabalhadores. O Estado controlava todo o regime social

3. Psicanálise

3.1. Influência

3.1.1. A psicanálise foi criada pelo neurologista Sigmund Freud.

3.2. Resumo

3.2.1. Com o objetivo de tratar desequilíbrios psíquicos. Freud foi inspirado pelo trabalho do fisiologista Josef Breuer por seus trabalhos iniciais com a hipnose. Ele também incorporou à sua teoria conhecimentos absorvidos de alguns filósofos, principalmente de Platão e Schopenhauer.

3.3. Método

3.3.1. No atendimento clínico, o paciente, em repouso, é estimulado a verbalizar tudo que brota em sua mente(sonhos, desejos,fantasias, expectativas), bem como a lembrança da infância. Cabe ao psicanalista ouvir e interferir apenas quando julgar necessário, assim que perceber uma ocasião de ajudar o analisado a trazer para a consciência seus desejos reprimidos, deduzidos a partir da livre associação. O analista deve se manter imparcial.

3.4. Objeto

3.4.1. Id

3.4.1.1. O Id é o único componente da personalidade que está presente desde o nascimento. Este aspecto da personalidade é totalmente inconsciente e inclui os comportamentos instintivos e primitivos. O id segundo Freud é a fonte de toda a energia psíquica, tornando-se o principal componente da personalidade.

3.4.2. Ego

3.4.2.1. O ego é o componente da personalidade que é responsável por lidar com a realidade. De acordo com Freud, o ego se desenvolve a partir do id e garante que os impulsos do id possam ser expressos de uma forma aceitável no mundo real. As funções do ego agem tanto no consciente, no pré-consciente e inconsciente.

3.4.3. Superego

3.4.3.1. O superego é o aspecto da personalidade que mantém todos os nossos padrões morais internalizados e ideais que adquirimos dos pais e da sociedade – é nosso senso de certo e errado. O superego fornece diretrizes para fazer julgamentos. De acordo com Freud, o superego começa a surgir por volta dos cinco anos.

3.5. Período Histórico

3.5.1. 1890

3.6. Autores

3.6.1. Freud

3.6.1.1. Schopenhauer

3.6.1.2. Josef Breuer

3.6.1.3. Platão

4. Gestaltismo

4.1. Influência

4.1.1. Corrente Filosófica

4.1.2. Biologia e Psicologia de Animais

4.2. Resumo

4.3. Princípio Metodológico

4.3.1. Leis

4.3.1.1. Lei da Segregação

4.3.1.2. Lei daUnidade

4.3.1.3. Lei do Fechamento

4.3.1.4. Lei da Continuidade

4.3.1.4.1. Este princípio fala de como a sucessão de elementos e o fluxo de informações funciona em nosso cérebro.

4.3.1.5. Lei da Proximidade

4.3.1.5.1. Esta lei trata dos elementos distintos que se posicionam de formas muito próximas uns dos outros tendem a ser percebidos junto

4.3.1.6. Lei da Semelhança

4.3.1.6.1. Estalei explica que os objetos que possuem formas, cores ou aparência geral semelhante também tender a ser interpretados como uma só unidade.

4.3.1.7. Lei da Pregnância

4.3.1.7.1. Princípio básico da percepção visual

4.4. Objeto

4.4.1. percepção e a sensação do movimento

4.4.1.1. os processos psicológicos envolvidos diante de um estímulo e como este é percebido pelo sujeito.

4.5. Contexto Atual

4.5.1. Nos dias atuais o Gestaltismo sofreu variadas mudanças assim como o ser humano mudou, seus parâmetros mudaram com a evolução do ser humano. Os estímulos que afetam ao homem e sua percepção aumentaram pois os estímulos físicos da época servira de parâmetros que se estenderam com a tecnologia e novos Insight surgiram.

4.6. Autor

4.6.1. Max Wertheirmer

4.6.1.1. 1888 -1943

4.6.2. Wolfgang Kohler

4.6.2.1. 1887-1967

4.6.3. Kurt Koffkat

4.6.3.1. 1888 -1941

4.6.4. Chrinstiam von Ehrenfels

4.6.4.1. A Psicologia da Gestalt é uma teoria coerente dentro da história da Psicologia. Desenvolvida por este autor

4.6.4.2. 1856 - 1932

4.7. Período Histórico

4.7.1. SÉCULO XX

5. Behaviorismo

5.1. Influência

5.1.1. Vladimir Mikhailovich Bechterev

5.1.1.1. o primeiro a propor uma Psicologia cuja pesquisa se baseia no comportamento, em sua Psicologia Objetiva

5.1.2. Ivan Petrovich Pavlov

5.1.2.1. Fisiologista russo responsável pelo condicionamento clássico.

5.2. Resumo

5.2.1. É um termo que abrange diversas teorias da psicologia que tem como principal objeto de estudo o comportamento.

5.3. Método

5.3.1. O behaviorismo clássico de John B. Watson, também chamado de behaviorismo metodológico, é bem conhecido como “Psicologia S-R”, por causa da relação entre estímulo e resposta. Nessa perspectiva, a psicologia é um ramo das ciências naturais que tem como princípios a objetividade e a experimentação, e como finalidade prever e controlar o comportamento.

5.4. Período Histórico

5.4.1. Séc. XX

5.5. Objeto

5.5.1. Comportamento

5.6. Autores

5.6.1. John B. Watson

5.6.2. Burrhus F. Skinner

5.6.3. Tolman, Edward C

6. Estruturalismo

6.1. Influência

6.1.1. Wilhelm Wundt

6.2. Resumo

6.2.1. Titchener levou a ideia da Psicologia para os Estados Unidos da América, modificando-a em alguns pontos. As principais limitações do Estruturalismo residem no fato de a introspecção não ser um verdadeiro método científico incontestável e de esta corrente excluir a psicologia animal e infantil. Esta corrente foi extinta em meados do século XX. (Badcock, 1976).

6.3. Método

6.3.1. Segundo esta perspectiva, o objetivo da psicologia seria o estudo científico da Experiência Consciente através da Introspecção.

6.4. Objeto

6.4.1. O estudo era a estrutura consciente da mente, as sensações.

6.5. Período Histórico

6.5.1. Final do Séc. XIX

6.6. Autores

6.6.1. Edward Titchener

7. Voluntarismo

7.1. Objeto

7.1.1. Experiência Mediata

7.1.1.1. Por ter caráter objetivo, não necessita do sujeito para que a experiencia ocorra.

7.1.2. Experiência Imediata

7.1.2.1. Essa experiência só terá validade se o sujeito estiver inserido nela e for investigado. Caráter Subjetivo

7.2. Influência

7.2.1. Dualismo

7.2.2. Empirismo

7.2.3. Racionalismo

7.2.4. Monismo

7.3. Resumo

7.4. Método

7.5. Autor

7.6. Período Histórico

8. Sistemas Psicológicos