Sustentabilidade

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Sustentabilidade por Mind Map: Sustentabilidade

1. Desenvolvimento Sustentável

1.1. Sugere qualidade em vez de quantidade, com redução do uso de matérias-primas e produtos e o aumento da reutilização e da reciclagem

1.2. Termo que surgiu na Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, criada pelas Nações Unidas

1.2.1. Propor meios de harmonizar o desenvolvimento econômico e a conservação ambiental

1.3. desenvolvimento capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atenter as necessidades das gerações futuras

2. 5R

2.1. REINTEGRAR o produto a natureza, ou seja, transforma-lo novamente em um recurso natural, por exemplo, compostagem e resíduos orgânicos para fazer húmus e adubo

2.2. RECUPERAR os materiais. As usinas de compostagem são unidades recuperadoras de matéria orgânica. Os catadores recuperam as sucatas antes delas virarem lixo.

2.3. REUTILIZAR e recuperar o máximo antes de descartar os bens de consumo

2.4. RECICLAR materiais

2.5. REDUZIR o consumo desnecessário

3. Capital Natural

3.1. Somatória de todos os benefícios que os ecossistemas equilibrados fornecem ao homem, como água potável, aliemento e madeira

3.2. Fruto da biodiversidade

3.3. Ajuda a entender a base na qual toda a economia se apoia e os limites para o seu crescimento

3.3.1. Equilíbrio complexo e dinâmico entre as espécies e seu meio

4. Uso e Conservação dos Recursos Naturais

4.1. Corredores Ecológicos

4.1.1. Faixa de vegetação que liga fragmentos florestais ou unidades de conservação separadas pela atividade humana

4.1.2. Objetivo desses corredores é possibilitar o deslocamento da fauna entre áreas isoladas e garantir a troca genética entre as espécies

4.1.3. Permite a dispersão de espécies e a recolonização de áreas degradadas

4.1.4. No Brasil, são planejados e executados pela iniciativa governamental e pelas ONG's ambientais

4.2. Unidades de Conservação

4.2.1. Garantem o uso sustentável dos recursos naturais de forma racional e propiciam às comunidades do entorno, o desenvolvimento de atividades econômicas sustentáveis

4.2.2. Áreas naturais passíveis de proteção por suas características especiais

4.2.3. Função de salvaguardar a representatividade de porções significativas e ecologicamente viáveis das diferentes populações, habitats e ecossistemas do território nacional e das águas jurisdicionais, preservando o patrimônio biológico

4.2.4. Unidades de Proteção Integral

4.2.4.1. Principal objetivo é preservar a natureza, sendo admitido apenas o uso indireto dos seus recursos naturais, ou seja, aquele que não envolve consumo, coleta ou danos dos recursos naturais

4.2.4.1.1. EX: turismo ecológico, pesquisa cientifica

4.2.5. Unidades de Uso Sustentável

4.2.5.1. Tem como objetivo compatibilizar a conservação da natureza com o uso sustentável dos recursos

4.2.5.1.1. Ex: Reserva extrativista em uma Área de Proteção Ambiental(APA)

4.3. Zoneamento Ecológico e Econômico

4.3.1. Tem como objetivo viabilizar o desenvolvimento sustentável a partir da compatibilização do desenvolvimento socioeconômico com a conservação ambiental

4.3.2. Consiste na delimitação de zonas ambientais e atribuição de usos e atividades compatíveis segundo as características(potencialidades e restrições) de cada uma delas

4.3.3. Instrumento da Política Nacional de Meio Ambiente

5. Origem e Evolução do Conceito de Sustentabilidade

5.1. 1972- Suécia, Estocolmo- Primeira grande conferência sobre o Meio Ambiente

5.1.1. Foco nas discussões eram chuva ácida e poluição atmosférica decorrentes da forte industrialização e do uso de hidrocarbonetos e dióxido de carbono

5.1.2. Países em desenvolvimento-"desenvolvimento a qualquer custo"

5.1.3. Países desenvolvidos- "desenvolvimento zero"

5.1.4. Terminou sem efetivação de uma proposta concreta. Com a crise do petróleo de 1973, os problemas ambientais foram deixados em segundo plano

5.2. Relatório "Nosso futuro comum" ou Relatório Brundtland

5.2.1. Conceito de sustentabilidade foi oficializado

5.2.2. Ressaltou a incompatibilidade entre o atual padrão de produção e consumo e o desenvolvimento sustentável

5.2.3. Enfatizou o aquecimento global e a destruição da camada de ozônio

5.2.4. Apresentou ações que os países deveriam desenvolver, além de metas a serem executadas em nível internacional

5.2.4.1. Controle da urbanização desordenada

5.2.4.2. Limitação do crescimento populacional

5.2.4.3. Diminuição do consumo energético

5.2.4.4. Preservação da biodiversidade

5.2.4.5. Desenvolvimento de fontes alternativas de energia

5.2.4.6. Melhoria da oferta de alimentos, energia e água a longo prazo

5.2.4.7. Melhoria da oferta de serviços básicos como escola, moradia e saúde

5.2.5. Fomentou uma série de debates no mundo todo, o que influenciou a ONU a convocar uma conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento, em 1992 no Rio de Janeiro

5.3. Rio ou Eco-92- Cúpula da Terra (1992)

5.3.1. Foram organizadas convenções sobre biodiversidade,mudanças climáticas, desertificação, além de uma declaração de princípios e um plano de ação.

5.3.2. O plano de ação foi chamado de AGENDA 21- documento oficializado em que os países se comprometeram a combater o aquecimento global e a desertificação

5.3.3. Principal marca deixada foi a articulação da comunidade internacional em geral sobre aquecimento global

5.4. Rio + 10-África do Sul (2002)

5.4.1. Discussão de aspectos sociais da preservação do ambiente e propostas de redução em 50% do número de indivíduos que vivem abaixo da linha de pobreza até o ano de 2015

5.4.2. Foi cobrado também a prática dos compromissos firmados na Rio-92, mas os resultados não foram expressivos.

5.5. Rio +20- Rio de Janeiro (2012)

5.5.1. Combate à pobreza

5.5.2. Economia Verde( Capital natural)

5.6. Acordo de Paris(2015)

5.6.1. Nações unidas- Acordo sobre a mudança do clima, que rege medidas de redução de emissão de gases estufa

6. O plano de ação foi chamado de AGENDA 21- documento oficializado em que os países se comprometeram a combater o aquecimento global e a desertificação