Artigo - Indicadores de contaminação no leite

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Artigo - Indicadores de contaminação no leite por Mind Map: Artigo - Indicadores de contaminação no leite

1. Foram considerados positivos aqueles que se revelaram com a presença de crescimento bacteriano e produção de gás.

2. 120 amostras de leite UHT

2.1. De diferentes marcas comerciais, representadas pelas letras "A", "B", "C" e "D".

3. O objetivo da pesquisa foi verificar em diversos pontos da cadeia produtiva do leite a ocorrência de patógenos causadores de doenças, como a Escherichia coli, Listeria monocytogenes, Listeria sp. e Staphylococcus aureus, e outros microrganismos indicadores de contaminação, entre eles as bactérias mesófilas aeróbias.

3.1. Tabela 1

3.1.1. A população máxima de microrganismos mesófilos encontrada ultrapassou 1,0 x10 5UFC/ml de leite analisado em oito (26,7%) amostras da marca D.

3.2. Tabela 2

3.2.1. Que as amostras de leite cru que apresentaram maiores populações microbianas (contagem padrão em placas e microrganismos psicrotróficos) deram origem a leite UHT com menor tempo de vida útil, pelo desenvolvimento de "off flavors".

4. Tabelas 1 e 2 apresentam os resultados das contagens de microrganismos aeróbios ou facultativos mesófilos e termófilos, respectivamente, encontrados nas amostras de leite UHT analisadas.

5. Microrganismos mesófilos

5.1. Têm temperatura ótima de crescimento ao redor de 35°C

6. Microrganismos termófilos

6.1. temperatura ótima de crescimento está perto dos 55°C.

7. Resultados e discussões

7.1. Tabela 1 verifica-se que, das 120 amostras de leite UHT analisadas, 64 (53,3%) apresentaram contaminação por microrganismos mesófilos, sendo 14 (46,7%) da marca A, 17 (56,7%) da marca B, nove (30,0%) da marca C e 24 (80,0%) da marca D.

7.2. Verifica-se, pela Tabela 2, que, para microrganismos heterotróficos termófilos, a contaminação ocorreu em 44,2% do total de 120 amostras analisadas, sendo 53 amostras contaminadas. Foram positivas na contagem de microrganismos termófilos oito (26,7%) amostras da marca A, nove (30,0%) amostras da marca 8, 15 (50,0%) amostras da marca C e 21 (70,0%) amostras da marca D.

7.3. A alta população microbiana encontrada em três das quatro marcas analisadas mostra a má qualidade higiênica das amostras.

8. Conclusão

8.1. Através do presente estudo, verifica-se que 36 (30,0%) amostras dentre as 120 analisadas não atendem a este padrão internacional para microrganismos heterotróficos aeróbios ou facultativos mesófilos viáveis, dado que deve despertar preocupação às autoridades sanitárias da área.