ANÁLISE CRÍTICA DE UM ARTIGO CIENTÍFICO

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
ANÁLISE CRÍTICA DE UM ARTIGO CIENTÍFICO por Mind Map: ANÁLISE CRÍTICA DE UM ARTIGO CIENTÍFICO

1. TÍTULO: O título deve descrever de forma adequada o conteúdo do trabalho, com o melhor número de palavras possíveis.

1.1. É A PARTE MAIS LIDA DO ARTIGO.

2. RESUMO: Deve conter os objetivos, procedimentos básicos e métodos da pesquisa.

2.1. O TEXTO PRECISA DE CONCISÃO

2.2. NÃO É UMA INTRODUÇÃO AO ARTIGO, MAS SIM UMA SÍNTESE DA SUA TOTALIDADE.

3. INTRODUÇÃO E REVISÃO DE LITERATURA: Deve apresentar, de forma breve e clara, a fundamentação racional e o propósito do estudo, fornecendo ao leitor elementos necessários para a compreensão do trabalho.

3.1. OBJETO

3.2. REFERÊNCIAS

3.3. JUSTIFICATIVAS

3.4. OBJETIVOS E/OU HIPÓTESES

4. METODOLOGIA: Deve informar como, quando e em que condições os procedimentos foram realizados.

4.1. IMPESSOAL E INTELIGÍVEL

4.2. SIMPLICIDADE

4.3. LOCAL E PERÍODO

4.4. PONTOS BÁSICOS

4.4.1. POPULAÇÕES DE ESTUDO E ALVO

4.4.2. CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DA AMOSTRA

4.4.3. TAMANHO DA AMOSTRA E SUA BASE DE CÁLCULO

4.4.4. TIPO DE ESTUDO

4.4.5. INSTRUMENTOS DA PESQUISA

4.4.6. TREINAMENTO

4.4.7. CALIBRAÇÃO DOS EXAMINADORES

4.4.8. VALIDADES INTERNA E EXTERNA

5. POPULAÇÃO E AMOSTRA: Agregado de participantes que apresentem pelo menos uma variável comum observável e para a qual as conclusões da pesquisa serão válidas.

5.1. POPULAÇÃO ALVO

5.1.1. SERÃO FEITAS INFERÊNCIAS BASEADAS NA AMOSTRA

5.2. AMOSTRA

5.2.1. QUALQUER SUBCONJUNTO DE ELEMENTOS DA POPULAÇAO

5.2.2. CONVENIÊNCIA

5.2.3. REPRESENTATIVAS

6. CRITÉRIOS DE SELEÇÃO DA AMOSTRA: Deve descrever claramente o método de seleção da amostra utilizada e suas características

6.1. SEXO

6.2. IDADE

6.3. CLASSE SOCIAL

6.4. TAXA DE RESPOSTA

6.5. DESISTÊNCIA DOS PARTICIPANTES

7. TAMANHO DA AMOSTRA E SUA BASE DE CÁLCULO: Deve haver um estudo piloto para que seja definido as escolhas dos procedimentos mais apropriados, visando a uniformização da coleta de dados.

8. TIPO DE ESTUDO: Deve haver conhecimento sobre os principais métodos de investigação

8.1. ESTUDO EXPERIMENTAL

8.2. RELATOS DE CASOS

8.3. ESTUDO DE COORTE

8.4. ESTUDO TRANSVERSAL

8.5. ESTUDO TIPO CASO/CONTROLE

8.6. ESTUDOS ECOLÓGICOS

9. INSTRUMENTOS DE PESQUISA: O autor deve informar com clareza as definições e critérios para classificação de casa item dos dados e qualquer mudança nos mesmos deve ser notificada

9.1. INDICADORES

9.2. ÍNDICES

9.3. VARÁVEIS

9.4. QUESTIONÁRIOS UTILIZADOS

10. TREINAMENTO E CALIBRAÇÃO DOS EXAMINADORES: É essencial a uniformização da conduta na coleta de dados. Padronização dos procedimentos e dos aparelhos

10.1. CONSISTÊNCIA INTEREXAMINADOR

10.1.1. EPIDEMIOLOGISTA EXPERIENTE

10.1.2. TÉCNICA DE CONSENSO

10.2. KAPPA

10.2.1. CONFIABILIDADE

11. VALIDADES INTERNA E EXTERNA: Influência na credibilidade dos resultados.

11.1. EXTERNA

11.1.1. REFERE-SE À EXTENSÃO COM QUE OS RESULTADOS DE UMA PESQUISA PODE SER GENERALIZADA,

11.2. INTERNA

11.2.1. VERIFICA SE AS CONCLUSÕES DE UMA INVESTIGAÇÃO SÃO CORRETAS PARA A POPULACAO DE ESTUDO.

12. RESULTADOS: Deve ser objetivo, preciso e com sequência lógica

13. DISCUSSÃO: Realça os achados importantes do estudo

13.1. OBJETIVO

13.1.1. CONTEXTUALIZAR OS RESULTADOS APRESENTADOS E DIMENSIONAR O INTERESSE E A ORIGINALIDADE DESTES PARA O DEBATE CIENTÍFICO.

14. CONCLUSÕES: fundamentadas nos resultados, contendo deduções lógicas

14.1. REAFIRMAR A IDEIA PRINCIPAL

14.2. JUSTIFICADAS PELOS RESULTADOS

15. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: Listagem dos artigos, livros ou outros elementos bibliográficos que foram referenciados ao longo do texto.