BIBLIOTECONOMIA

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
BIBLIOTECONOMIA por Mind Map: BIBLIOTECONOMIA

1. Para que serve?

1.1. Reter um registro histórico-social de diversos períodos históricos.

1.2. Organizar um acervo dentro de um espaço e disponibilizá-los a um público

1.3. Associado ao construtivismo ao passar a analisar com mais cuidado a relação do leitor-usuário com a biblioteca.

1.3.1. No positivista, associa-se a distribuição dos livros para que se tornassem acessíveis (especialmente pós período de censura durante a guerra).

1.3.1.1. Na perspectiva funcionalista, a biblioteca é a mediadora de cultura, influenciando a maneira com a qual aquela é construída e distribuída em relação a seu público.

2. Como surgiu?

2.1. É uma prática milenar, mas se consolidou desde que os antigos povos passaram a compilar e reunir os conhecimentos escritos em um único lugar.

2.1.1. A ideia da Biblioteca Pública surgiu na Inglaterra, no século XIX.

2.1.1.1. Objetivava-se a abrir espaço para todos os públicos, tornar acessível o conhecimento para toda a sociedade.

2.1.1.2. Aumento da acessibilidade física (espaço) e intelectual (novos avanços, novos materiais).

2.2. A biblioteca começou a existir como um "depósito" de livros, isto é, o conhecimento coletado de cada época.

2.2.1. Ascensão no século XX

3. O que é?

3.1. É o gerenciamento de conhecimentos voltados para a informação através de livros, registros, mapas e diversas outras fontes de conhecimento.

3.2. Biblioteconomia ou Ciência da Informação?

3.2.1. Biblioteconomia: objetivava formar o estudante, relacionando às diretrizes curriculares nacionais e legais.

3.2.2. Ciência da Informação: estudos e pesquisas voltados para a especializações e pós graduações.

4. No Brasil

4.1. Antônio Gonçalves, português jesuíta, o primeiro bibliotecário brasileiro

4.2. Decreto nº8.835, de 11 de julho de 1911

4.2.1. Foi criado o primeiro curso de Biblioteonomia na Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro

4.2.1.1. A Biblioteca Nacional seguia a vertente humanística francesa de ensino (École National des Chartes)

4.3. 1936: São Paulo passa a ofertar um curso de Biblioteconomia, mas de ordem técnica.

4.3.1. "Disputa" de eficiência: RJ x SP e seus currículos semelhantes

4.3.1.1. RJ: mais focada em disciplinas históricas, sociológicas e filosóficas, além de paleografia, iconografia e etc.

4.3.1.2. SP: mais técnica, voltada para a prática do ofício do bibliotecário (catalogação, classificação, organização de biblioteca etc)

4.4. Biblioteca como UNIDADE DE INFORMAÇÃO

4.4.1. Abrange todo tipo de espaço que possa reter livros e documentos (escolas, empresas, etc)

5. Europa vs Eua

5.1. Europa como inovadora em pesquisa e experimentos; não foram, porém, implantados por dificuldades tecnológicas e econômicas

5.1.1. Deixa de ser influenciadora, para ser influenciada pelo avanço estadunidense (Europa devastada pós 2ªGM).

5.2. Os EUA procurava aumentar o número de bibliotecas, universalizando o acervo.

5.2.1. Pós 2ª Guerra Mundial: investimento em pesquisas e técnica voltados para bibliotecas.

6. Principais bibliográfos

6.1. Gabriel Naudé (1600), França

6.2. Javier Lasso de la Vega (1892), Espanha

6.3. Antônio Gonçalves (?), Portugal/Brasil

6.4. Paul Otlet (1868), Bélgica

6.5. Shiyali Ramamrita Ranganathan (1892), Índia

6.6. Carol Kuhlthau (1937), Estados Unidos