Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
FLUOXETINA por Mind Map: FLUOXETINA

1. POSOLOGIA

1.1. Na depressão: As doses usuais variam de 20 a 40 mg/dia. Recomenda- se iniciar com 20 mg ao dia, que pode ser uma dose eficaz.

1.2. Para redução dos sintomas do ataque de pânico recomenda-se começar com 5 mg e ir aumentando até chegar a 20 mg/dia

1.3. Como regra, deve-se evitar a administração de doses superiores a 80 mg

1.4. Na doença obsessiva-compulsiva e na Bulimia nervosa: Inicialmente 40 a 60 mg/dia , podendo ser titulada lentamente até 80 mg.

2. ADMINISTRAÇÃO

2.1. É bem-absorvida após a administração oral e a biodisponibilidade varia de 72 a 90% dependendo do grau de absorção e do metabolismo de primeira passagem. A ingestão associada à comida pode diminuir a velocidade de absorção, mas não a quantidade.

2.2. Administrar durante ou logo após as refeições para evitar efeitos gastrintestinais; administrar pela manhã em dose única diária.

3. INDICAÇÕES

3.1. Evidências consistentes de eficácia:

3.2. depressão maior (FDA);4-7

3.3. distimia

3.4. transtorno obsessivo-compulsivo (FDA);9-11

3.5. bulimia nervosa (FDA);12,13

3.6. transtorno do pânico;14

3.7. transtorno do corpo dismórfico;15

3.8. transtorno de estresse pós-traumático;16,17

3.9. fase depressiva do transtorno bipolar ( a preferência é por um ISRS com meia vida menor – pois, em caso de virada maníaca, é mais rápida a retirada,).

3.10. Evidências incompletas: • fobia social; • síndrome de tensão pré-menstrual; • tricotilomania; • comportamento agressivo em pacientes com transtorno da personalidade borderline; • disforia da fase lútea tardia; • enurese noturna; • ejaculação precoce; • comportamentos auto-mutilatórios.

4. REAÇÕES ADVERSAS

4.1. Mais comuns: anorexia, ansiedade, cefaléia, diarréia,

4.2. diminuição do apetite, fadiga, inquietude,

4.3. dor abdominal, insônia, náuseas, nervosismo, sedação,

4.4. sonolência, tonturas.

5. MECANISMO DE AÇÃO

5.1. Quando um ISRS é administrado, o efeito imediato é o bloqueio da bomba de recaptação da serotonina.

5.2. Essa ação causa o aumento súbito da serotonina predominantemente nas áreas somatodendríticas (fenda sináptica em torno dos dendritos do corpo celular) e, com isso, a maior disponibilidade de serotonina para determinados receptores

5.3. 5HT e em determinadas regiões do cérebro.

5.4. Essa maior disponibilidade imediata de serotonina seria a responsável pelos efeitos colaterais.

5.5. Entretanto, nos terminais axônicos, onde presumivelmente a serotonina é necessária para exercer

5.6. sua ação terapêutica, ela é mais tardia.