Teorema da aprendizagem da interação: “aprendizagem formal profunda e significativa”

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Teorema da aprendizagem da interação: “aprendizagem formal profunda e significativa” por Mind Map: Teorema da aprendizagem da interação: “aprendizagem formal profunda e significativa”

1. I)Interação na aprendizagem "formal profunda e significativa"

2. II)Proposta acente nos três pilares: estudante-professor, estudante- estudante e estudante-conteúdo.

2.1. Curso flexível, adaptável as características do público alvo.

2.1.1. a) turma com autonomia nas aprendizagens interação: estudante-conteúdo (produção, partilha de saberes e avaliação pelos colegas).

2.1.1.1. b) turma como necessidades de comunicação com o professor: interação professor-estudante.

2.1.1.1.1. c) turma interativa: incentivo a troca de experiências das aprendizagens. Interação: estudante-estudante.

3. III) Nível de satisfação: "maior satisfação na experiência educacional, embora não, necessariamente uma aprendizagem mais eficiente" (Quintas-Mendes et al (2019).

4. IV) Tempo e recurso: maior investimento de tempo e financeiro.

5. V) disponibilidade de conteúdos, disponibildade de recursos humanos. “Anderson e Garrison (1998) acrescentaram a este modelo outros três tipos de interação: a) professor- professor; b) professor-conteúdo, c) conteúdo-conteúdo, (ver Figura 4). A interação professor-conteúdo refere-se ao processo que ocorre antes e durante um curso, como por exemplo, a escolha do material de leitura ou os vídeos que escolhe ou produz e que mais tarde utiliza no curso. A interação professor-professor diz respeito a situações e oportunidades que o professor possa ter para participar de redes profissionais e sociais (como por exemplo comunidades de prática) que tenham implicações no curso que está a desenvolver ou a moderar. E a interação conteúdos-conteúdos refere-se por exemplo às possibilidades de interação inteligente entre conteúdos através da web semântica.” (Quintas-Mendes et al. 2019).

6. Referência bibliográfica: Quintas-Mendes A., Wyszomirska Maria A., Cabral Pedro, 2019. Desenho de Aprendizagem e Ferramentas Conceptuais para o desenho de cursos Online