Escola de Chicago

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Escola de Chicago por Mind Map: Escola de Chicago

1. a emergência e consolidação da sociologia americana e o estudo sociológico da vida urbana (Primeira Escola de Chicago).

1.1. A Escola de Chicago foi o principal centro de produção sociológica em finais do séc. XIX e inícios do XX. Caraterizada pela interdisciplinaridade e pelo uso da etnografia como abordagem metodológica da vida urbana.

1.1.1. Combina abordagens quantitativas e qualitativas desenvolvendo métodos originais de pesquisa.

1.2. Inchaço do espaço urbano da cidade de Chicago no final do século XIX e início do XX devido à grande onda de imigrantes vindos da Europa, além do êxodo das partes rurais do próprio país.

1.2.1. Os trabalhos desta instituição valiam-se principalmente& da cidade ao seu entorno que funcionava como laboratório de pesquisa. Naquele período, os Estados Unidos tiveram sua população duplicada e os números apontam para 14 milhões de imigrantes mudando-se para o país. Em Nova York, e Chicago por volta de 50% da população eram imigrantes em busca de uma vida melhor, servindo ao contexto de forte industrialização e urbanização.

1.2.2. A cidade de Chicago so7reu grandes transformações neste final do século XIX e início do XX - a cidade colonial dava lugar à cidade grande, recebendo imigrantes de diversos lugares, resultando no nascimento das, chamadas na época, "patologias sociais" (graves problemas sociais, la(orais e de saúde pública)

1.3. A Escola de Chicago vai ter uma característica inovadora, suas pesquisas eram financiadas pelos administradores da cidade, já com o objetivo de que os resultados das pesquisas gerassem alguma melhora na qualidade de vida na cidade.

2. Roderick McKenzie – a abordagem ecológica ao estudo da comunidade urbana.

2.1. Ecologia Humana: Tentativa de transposição de princípios da ecologia para o estudo da sociedade.

2.1.1. A ecologia surgiu embasada no naturalismo desenvolvido no século XIX, inspirada nas idéias evolucionistas de Darwin e na analogia biológica

2.1.2. provinda do positivismo.

2.1.3. A ciência ecológica inspirou os pesquisadores da Escola de Chicago na formulação das proposições e conceitos para o estudo da cidade.

3. Robert Park e Burguess (The City)

3.1. A cidade, na visão de Park, tem aspectos técnicos e dimensões morais que influenciam os seus habitantes

3.2. Robert Park foi um dos alunos de Georg Simmel

3.3. Para Robert Park: “a cidade é um estado de espírito, um corpo de costumes e tradições e dos sentimentos e atitudes organizados, inerentes a esses costumes e transmitidos por tradições”. E ainda, a cidade não é um mero ambiente geográfico, mas sim um organismo onde se encontram áreas naturais habitadas por tipos humanos diferentes e distintos modos de vida. Portanto, a cidade reflete as características da sociedade.

4. Robert Ezra Park, considerado o grande ícone e precursor dos estudos urbanos, Ernest Watson Burgess e Roderick Duncan McKenzie elaboraram o conceito de "ecologia humana", a fim de sustentar teoricamente os estudos de sociologia urbana.

4.1. O conceito de ecologia humana e a concepção ecológica da sociedade foram muito influenciados pelas abordagens teóricas do "evolucionismo social" - marcante na sociologia em seu estágio inicial de desenvolvimento -, ao sustentarem uma analogia entre os mundos vegetal e animal, de um lado, e o meio social integrado pelos seres humanos (neste caso, a cidade), de outro.

4.2. Em outras palavras, a questão central é saber até que ponto os comportamentos desviantes (por exemplo, as várias formas de criminalidade) são produtos do meio social em que o indivíduo está inserido.

5. Georg Simmel foi um sociólogo alemão, que analisou o comportamento individual nas metrópoles em seu ensaio “As metrópoles e avida mental” publicado em 1903. Simmel se torna referência, no tocante aos problemas e enfrentamentos da cidade moderna e seus indivíduos. Influenciando a Escola de Chicago que inaugura um estilo de investigação propriamente das cidades. Em “As metrópoles e a vida mental”, Simmel aponta a relação dual entre metrópole e vida mental, abordando a essência da metrópole na intensificação da vida nervosa dos indivíduos.

6. "hoje, o mundo inteiro ou vive na cidade ou está a caminho da cidade; então, se estudarmos as cidades, poderemos compreender o que se passa no mundo" - Robert Park

7. Fundamentalmente estuda:

7.1. As relações do homem com o meio, descrevendo os aspectos sociais de adaptação.

7.2. A forma e o desenvovimento em comunidade da população humana, descrevendo o processo de organização das relações implicàdas na adaptação ao meio

7.3. o crescimento da cidade ocorreria do centro para a periferia e seria representado por zonas concêntricas, onde, no processo de expansão, cada zona invade a imediatamente contígua, criando o ciclo invasão-sucessão

8. Conceitos herdados da Ecologia:

8.1. Comunidade Urbana

8.1.1. Para Park (1948), a comunidade urbana seria composta por uma área de maior mobilidade, que corresponderia ao centro comercial, uma área ao redor deste centro (cortiços, áreas decadentes), área de apartamentos para a classe operária e uma área para as casas de classe média.

8.2. Fluidez

8.2.1. A fluidez está vinculada ao desenvolvimento dos meios de transportes e comunicações; remete ao movimento do indivíduo, na comunidade urbana, sem a alteração da sua posição ecológica.

8.3. Concentração

8.3.1. Seria a reunião, em massa, de seres humanos e utilidades, em áreas onde a natureza ou o homem desenvolveram as condições favoráveis à satisfação das necessidades de sustento, sendo, a mesma, medida, através da densidade.

8.3.2. A concentração, em uma região, implica em uma dispersão em outra, pois tudo o que facilita a mobilidade! locomoção das pessoas implica em dispersão.

8.4. Centralização

8.4.1. Seria a integração dos seres humanos e facilidades, ao redor de pontos focais, onde ocorre, com mais frequência, a integração social, econõmica e cultural. Na área central, se concentrariam as principais atividades econômicas, sociais e culturais da cidade. Com a tendência à multiplicação dos centros nas cidades e da mobilidade da população para a periferia, teríamos o processo de descentralização.

8.5. Segregração

8.5.1. Para os representantes da Escola de Chicago, a segregação refere-se ao processo de seleção que ocorre em uma comunidade urbana, resultante, basicamente, mas não exclusivamente, da competição econômica que determina a distribuição ecológica da população na cidade. Seria uma concentração de grupos populacionais, dentro de um dado território, sendo a expressão espacial a "área natural."

8.6. Invasão

8.6.1. Seria a penetração de uma área segregada por um grupo de população diferente do que a ocupa. É um processo de substituição de um grupo por outro, muitas vezes ligado a mudanças nos usos do solo

8.7. Sucessão

8.7.1. É o resultado final de um ciclo de invasão e corresponde a uma mudança de utilização do solo ou do grupo populacional. Para os ec6logos humanos, a estrutura da cidade depende da ação dos processos ecológicos, pois os mesmos criam a configuração espacial da cidade.