RAÍZES DO BRASIL

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
RAÍZES DO BRASIL por Mind Map: RAÍZES DO BRASIL

1. Sérgio Buarque de Holanda

1.1. Foi um grande historiador, jornalista e crítico literário brasileiro

1.2. Paulista, nasceu em São Paulo no dia 11 de Julho de 1902

1.3. Mudou-se para o Rio de Janeiro e participou do movimento modernista de 1922

1.4. Formado em Direito mas exercia a profissão de Jornalista

2. SOBRE A OBRA

2.1. Aponta aspectos centrais sobre a história da cultura brasileira

2.2. Grande análise sobre o processo de formação da sociedade brasileira

2.3. Apresenta importantes indicações que se torna possível compreender o sentido da algumas posições políticas do momento, que buscavam por novas soluções políticas

3. CAPÍTULO 1 (FRONTEIRAS DA EUROPA)

3.1. Modo como algumas características dos países ibéricos teve grande impacto no Brasil colônia

3.2. Trata sobre os diferentes processos de colonização de Portugal e da Espanha

3.3. Aponta a frouxidão das instituições e baixa coesão social e o tradicional Personalismo

3.4. Ausência do princípio da hierarquia e exaltação do prestígio social

4. CAPÍTULO 2 (TRABALHO E AVENTURA)

4.1. Enquanto o Aventureiro busca novas experiências e acomoda-se no provisório o Trabalhador procura a segurança o esforço e a compensação

4.2. Colonização da América pelos trabalhadores, favorecendo o Brasil

4.3. Éticas opostas entre o trabalhador e o aventureiro e suas distinções

4.4. Ao chegarem ao Brasil os portugueses demonstraram uma excelente adaptabilidade devido o modo de colonização do continente Americano

5. CAPÍTULO 3 (HERANÇA CULTURAL)

5.1. Análise sobre o impacto que a vida rural teve sobre a sociedade brasileira

5.2. A divergência em relação ao pensamento urbano

5.3. Declínio da escravatura acompanhada pela agricultura

5.4. Migração do capital ocioso para a cidade, ocasionando o progresso social e o investimento técnico

5.5. Não ocorreu um desenvolvimento coeso

6. CAPÍTULO 4 (O SEMEADOR E O LADRILHADOR)

6.1. Cidade como instrumento de dominação

6.2. Se refere ao espanhol quando se diz Ladrilhador por ver a cidade como uma empresa da razão que são contrárias à ordem e planejadas rigorosamente

6.3. Aos portugueses refere-se Semeador, pela construção de uma cidade irregular, sem normas imperativas e absolutas

7. CAPÍTULO 5 (HOMEM CORDIAL)

7.1. Características do brasileiro resultante do que foi tratado anteriormente

7.2. Predominação das relações impessoais ou “relações de simpatia

7.3. Característica estaduais, capazes de levar para o padrão pessoal ou afetivo, impedindo a formação de uma sociedade moderna urbana

7.4. O “homem cordial” é aquele que é gerado pela alma da colonização lusitana, seria o retrato mais fiel do brasileiro

8. CAPÍTULO 6 (NOVOS TEMPOS)

8.1. Promove uma análise sobre o balanço nos antigos padrões coloniais advindos da vinda da família real

8.2. Sociabilidade aparente não determinada ao indivíduo nem se contribui para estruturação de uma ordem coletiva

8.3. Consolidação do positivismo

8.4. Mudança constante de atividade pela busca da satisfação pessoal

9. CAPÍTULO 7 (NOSSA REVOLUÇÃO)

9.1. Dissolução da ordem tradicional e contradições mal resolvidas na estrutura social

9.2. Passagem do rural para o urbano

9.3. Modelos políticos antigos tendem a se adaptar com a atualidade

9.4. Tornou-se incabível a abolição para a antiga sociedade agrária

9.5. Superar o passado e adotar o ritmo urbano propiciando ao mesmo tempo a abertura no predomínio oligárquico e a falta de condições da população oprimida, sendo as únicas capazes de revigorar a sociedade e tornar possível uma vida democrática brasileira