A Psicanálise por Freud

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
A Psicanálise por Freud por Mind Map: A Psicanálise      por Freud

1. 2° teoria do aparelho psíquico

1.1. ID

1.1.1. É onde se localizam as pulsões: a de vida e a de morte. É regido pelo princípio do prazer.

1.2. EGO

1.2.1. É regido pelo princípio da realidade, que com o princípio do prazer, rege o funcionamento psíquico. Funções, percepções, memórias, sentimentos e pensamentos.

1.3. SUPEREGO

1.3.1. Organiza-se no complexo de Édipo, a partir da internalização das proibições, dos limites e da autoridade. A moral, os ideais são funções do superego.

2. Descoberta do Inconsciente

2.1. RESISTÊNCIA

2.1.1. Força psíquica que se opunha a se tornar consciente, a revelar um pensamento.

2.2. REPRESSÃO

2.2.1. Visa encobrir, desaparecer da consciência, uma ideia ou representação insuportável e dolorosa, que está na origem do sintoma.

3. 1° Teoria do aparelho Psíquico

3.1. INCONSCIENTE

3.1.1. Conjunto de conteúdos não presentes do atual campo da consciência. É constituido por conteúdos reprimidos, que não tem acesso aos sistemas pré-conscientes/conscientes pela ação de censuras internas.

3.2. PRÉ-CONSCIENTE

3.2.1. Refere àqueles conteúdos que podem facilmente chegar ao consciente, mas que lá não permanecem. São, principalmente, informações sobre as quais não pensamos constantemente, mas que são necessárias para que o consciente realize suas funções.

3.3. CONSCIENTE

3.3.1. Ele corresponderia à menor parte da mente humana. Nele está tudo aquilo que podemos perceber e acessar de forma intencional. Outro aspecto importante é que o consciente funciona de acordo com as regras sociais, respeitando tempo e espaço. Isso significa que é por meio dele que se dá a nossa relação com o mundo externo.

4. Mecanismo de defesa

4.1. Processos relaizados pelo ego e são inconscientes.

4.1.1. Recalque: É um mecanismo mental de defesa contra ideias que sejam incompatíveis com o eu.

4.1.2. Projeção: É uma confluências de distorções do meio interno e externo.

4.1.3. Formação Reativa: ocorre quando uma pessoa sente um desejo de fazer ou dizer algo  mas diz o oposto. Formação reativa aparece como uma defesa contra uma punição social temidas. Se eu temo que serei criticado por alguma coisa, eu muito visivelmente ajo de uma forma que mostra que eu estou pessoalmente longe do caminho da posição temida.

4.1.4. Regressão: leva à reversão temporária ou a longo prazo do ego para um estágio anterior de desenvolvimento, em vez de lidar com os impulsos inaceitáveis de um modo mais adaptativo. O mecanismo de defesa da regressão, na teoria psicanalítica, ocorre quando a personalidade de um indivíduo retorna a um estágio anterior de desenvolvimento, adotando maneirismos infantis.

4.1.5. Racionalização: Comportamentos ou sentimentos controversos são justificados e explicados de uma maneira aparentemente racional ou lógica para evitar a verdadeira explicação e então conscientemente sendo considerado tolerável — ou mesmo admirável e superior — por meios plausíveis.

5. A descoberta da sexualidade infantil

5.1. FASE ORAL

5.1.1. Zona de erotização é a boca.

5.2. FASE ANAL

5.2.1. Zona de erotização é o ânus.

5.3. FASE FÁLICA

5.3.1. Zona de erotização é o órgão sexual.

5.4. FASE GENITAL

5.4.1. O objeto de erotização ou desejo, não está mais no próprio corpo, e sim no outro.

5.5. COMPLEXO DE ÉDIPO

5.5.1. É o primeiro estágio em que as crianças tornam-se conscientes das diferenças sexuais. Com suas observações, Freud concluiu que nessa fase, tanto homens como mulheres desenvolvem temores sobre questões sexuais.

6. História

6.1. é um campo clínico e de investigação teórica da psique humana independente da Psicologia que tem origem na Medicina, desenvolvido por  Sigmund Freud, médico que se formou em 1881, trabalhou no Hospital Geral de Viena e teve contato com o neurologista francês Jean Martin Charcot, que lhe mostrou o uso da hipnose.