Concepção do Brincar e Aprender

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Concepção do Brincar e Aprender por Mind Map: Concepção do Brincar e Aprender

1. Piaget

1.1. Os jogos não são apenas uma forma de desafogo ou entretenimento para gastar a energia das crianças, mas meios que contribuem e enriquecem o desenvolvimento intelectual.

1.1.1. 1 ano 1/2 à 2 anos atividade lúdica tem como característica essencial no qual a criança se exercita na sua atividade de brincar, repetindo ações e observando seus resultados.

1.1.2. De 2 à 6/7 anos atividade lúdica adquire caráter simbólico: a criança representa seu mundo e o símbolo serve para evocar a realidade.

1.1.2.1. Jogos da construção

1.1.2.1.1. Os jogos são fundamentais para o desenvolvimento e para a aprendizagem da criança, com a imaginação ela faz uma relação com os interesses e suas necessidades com a realidade.

1.1.3. A partir dos 6 anos jogos de regras: caracterizam-se por ser uma combinação sensória-motora ou intelectual com competição de um indivíduo, regulamento por um código.

1.1.4. A criança não é ativa, nem passiva mas interativa, interagindo socialmente, buscando informações, aprendem as regras dos jogos resultando no engajamento individual de soluções de problemas.

1.1.5. Apud Freeman

1.1.5.1. A criança se desenvolve de forma integral nos aspectos cognitivos, afetivos, físico-motores, morais, linguísticos e sociais.

1.1.5.2. A criança, ao manisfestar condutas lúdicas, demonstra o nível de seu estágio cognitivo da criança passa por quatro períodos distintos.

1.1.5.2.1. Operatório formal.

1.1.5.2.2. Operatório concreto.

1.1.5.2.3. Pré operatório.

1.1.5.2.4. Sensório motor.

2. Vigotsky

2.1. Visão Sociointeracionista

2.1.1. Desenvolvimento ocorre ao logo da vida e que as funções psicológicas superiores são construídas ao longo dela.

2.1.2. A brincadeira desenvolve um forte influência no desenvolvimento infantil uma vez que é utilizada pela criança, de um lado pela necessidade de ação e por outra, para satisfazer suas impossibilidades de determinadas ações.

2.1.3. No brinquedo a criança cria uma situação imaginária.

2.1.4. Instruções sociais como forma de acesso a informações.

2.1.5. A brincadeira cria para as crianças, uma zona de desenvolvimento proximal.

2.1.6. A criança por meio da brincadeira, reproduz o discurso externo e o internaliza, construindo seu próprio pensamento.

2.1.7. Freitas Apud Lopes

2.1.7.1. Nenhum conhecimento é construído pela pessoa sozinha mas sim, em parceria com as outras, que são mediadores.