Linguagem do corpo, gestualidade e comunicação (Jean François Chanlat

MBA

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Linguagem do corpo, gestualidade e comunicação (Jean François Chanlat por Mind Map: Linguagem do corpo, gestualidade e comunicação (Jean François Chanlat

1. Relações assimétricas: A influência exercida por um indivíduo sobre seu interlocutor não tem corolário a influência recíproca da parte desse último.

1.1. Exemplo: relação mãe-filho, relações sexuais e relações de dominações.

2. O Som e a Imagem

2.1. A identificação de uma emoção nas diferentes modalidades difere segundo os autores que a exprimem e segundo seu comportamento.

3. Segundo Chanlat (1994), a imagem que nós transmitimos através dos sinais corporais exerce um efeito sobre as demais pessoas: esse efeito pode vir a ser importante na vida cotidiana, na escola, na empresa, e, da mesma forma, no funcionamento da justiça, na pratica médica ou psicoterapêutica.

3.1. O autor destaca que os gestos podem ser considerados detentores, assim como as palavras, da propriedade e exprimir as representações mentais que constituem o pensamento.

4. A expressão corporal na vida profissional. O resultado de uma entrevista realizada pela seleção de pessoal é influenciada por diversos aspectos do comportamento não verbal.

4.1. Corpo Dependendo da maneira que o individuo posiciona o seu corpo em relação ao outro, o diálogo pode ser mais ou menos efetivo. Frente a frente: transmite uma ideia de disputa, de competição.

4.2. Cabeça A posição da cabeça também diz muito quando uma pessoa está em uma conversa com outra pessoa. Para baixo: sinal de desaprovação

4.3. Braços A posição dos braços durante um diálogo, pode acabar entregando o ponto de vista, mesmo que a pessoa não diga uma palavra. Cruzados: ideia de restrição e descontentamento

5. A expressão corporal na vida profissional. Os sinais não verbais da empatia

5.1. Em sua forma mais elementar, a empatia está aparentemente na base dos fenômenos de contagio social, por exemplo: os grupos de pessoas que realizam a mesma coisa, sem conhecer o objetivo ou consequência como: multidão ou manifestação politica.

6. Perspectivas Teóricas no Estudo dos Sinais Corporais

6.1. A linguagem do corpo

6.1.1. A analogia entre os gestos e a lingua repousa em certo tipo de lógica, que começa pela observação de que os usos corporais variam segundo os povos e as culturas; assim como as linguas faladas no mundo, as praticas gestuais diferem o segundo lugar e a época.

6.2. A analise intercultural dos gestos

6.2.1. Os indivíduos - a semelhança do que ocorre com a língua falada na sociedade a que pertencem - aprendem os gestos, as mimicas, as expressões corporais próprias ao seu meio de origem.

6.3. Os gestos na Perspectiva da Sociologia da Conversação

6.3.1. O diálogo supõe que cada um, em sua vez, adote o papel de locutor e de ouvinte; e que seja mantido um fio condutor de uma conversa pra outra.

7. A abordagem Etológica da Gestualidade

7.1. Análise das Motivações

7.1.1. Compreende aos sistemas motivacionais, como o medo, a agressividade, a sexualidade etc.

7.2. Situações de Conflito

7.2.1. O uso do corpo e dos rituais de interação

7.2.1.1. Quando o individuo busca, através do comportamento, controlar as representações, as imagens que dele os outros fazem.

7.2.2. A análise dos sistemas motivacionais apresenta um interesse particular para o estudo de certos movimentos que aparecem em situações de conflito.

7.3. Análise Etológica das Interações Sociais

7.3.1. Análise sequencial: Os movimentos podem estimular outro indivíduo ou podem responder aos movimentos que o outro indivíduo tenha feito.

7.3.2. Exemplo: o encontro de uma pessoa desconhecida pode, ao mesmo tempo, provocar sentimentos de interesse ou de apreensão.

7.4. A Comunicação de Disposições Comportamentais

7.4.1. A expressão das atitudes através dos gestos e das posturas

7.4.1.1. O papel dos gestos e das posturas na apreciação do interlocutor

8. A Comunicação não Verbal: Os Gestos e a Palavra como Sistemas Distintos de Comunicação.

8.1. A Comunicação dos Estados Emocionais

8.1.1. Para Ekman e Friesen (1969), os movimentos corporais traduziriam a intensidade da emoção sentida, enquanto a natureza dessa emoção se exprimiria principalmente pelos movimentos faciais.

8.2. A Comunicação dos Traços Permanentes

8.2.1. Os papéis sexuais

8.2.1.1. Os traços de personalidade

9. As Relações entre os Gestos e a Palavra na Comunicação

9.1. Alguns trabalhos utilizam mensagens artificialmente construidas,de maneira que os sinais verbais e não verbais veiculem informações diferentes, quer se contradigam, quer uns revelem aquilo que os outros dissimulam.

10. Os Efeitos da Eliminação dos Sinais não Verbais

10.1. A eliminação dos Índices Visuais

10.1.1. Fazer interagir pessoas que não se possam ver

10.2. Quando Gestos e Palavra se Contradizem

10.2.1. A análise da expressão corporal permite melhor detecção da mentira, do que a análise da expressão facial (Ekman e Friesen, 1974.

11. Conclusão:Interação ou Separação

11.1. Gestos e posturas podem transmitir informações muito diversas, relativas à idade ou ao nível sociocultural do locutor, à sua atitude em relação àquilo que ele enuncia, ao objeto mesmo de seu discurso.