Sistema Reprodutor

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Sistema Reprodutor por Mind Map: Sistema Reprodutor

1. Protozoose: Tricomoníase: Cerca de metade dos casos são assintomáticos. O corpo acumula leucócitos no local da infecção me resposta à infecção pelo protozoário. A descarga resultante é profusa, amarelo-esverdeada e caracterizada por um odor desagradável, sendo acompanhada por irritação e coceira.

2. Doenças Fúngicas: Candidíase: As lesões produzem irritação, coceira intensa, uma descarga espessa, coalhada e amarela, com cheiro fermentado ou sem odor.

3. Doenças Virais: Herpes Genital: As lesões aparecem após um período de incubação de no máximo uma semana e causam uma sensação de queimação. A seguir aparecem as vesículas. Tanto em homens quanto em mulheres, a micção pode ser dolorosa. Condiloma Acuminado (HPV): Causam verrugas de tamanhos variáveis. No homem, é mais comum na cabeça do pênis e na região do ânus. Na mulher, os sintomas mais comuns surgem na vagina, vulva, região do ânus e colo do útero. As lesões podem aparecer na boca e na garganta.

4. Principais microrganismos causadores de doenças no Sistema Reprodutor:

4.1. Doenças Bacterianas: Gonorreia: Causada pelo diplococo gram-negativo Neisseria gonorrhoeae Clamídia: Causada por um coco gram-negativo Chamydia trachomatis Sífilis: Causada por um espiroqueta gram-negativa Treponema pallidum

4.2. Doenças Virais: Herpes Genital: Causada pelo vírus herpes simples tipo 2 (HSV-2) Condiloma Acuminado (HPV): Causada pelo Papilomavírus humano (HPV)

4.3. Doenças Fúngicas: Candidíase: Causada pelo fungo leveduriforme, chamado Candida albicans

4.4. Protozoose: Tricomoníase: Causada pelo protozoário anaeróbio Trichomonas vaginalis

5. Aspectos Clínicos:

5.1. Doenças Bacterianas: Gonorreia: Homem: Dor ao urinar, descarga de pus proveniente da uretra Mulher: Mais insidiosa, somente a cérvice é infectada. Posteriormente no curso da doença, pode ocorrer dor abdominal de complicações como a doença inflamatória pélvica. Clamídia: Apresenta mesmo quadro clínico da Gonorreia, porém com sintomas menos intensos. Sífilis: Estágio primário: O sinal inicial é um cancro pequeno e de base endurecida, que aparece 10 a 90 dias pós-exposição. O cancro é indolor, e um fluido seroso altamente infeccioso se forma no centro; Durante esse estágio, as bactérias entram na corrente sanguínea e no sistema linfático. Estágio secundário: Marcado por erupções cutâneas de aparência variável, distribuídas pela pele e pelas membranas mucosas, sendo especialmente visíveis nas regiões palmar e plantar; Outros sintomas frequentemente observados são perde de tufos de cabelo, mal-estar e febre leve. Latência: Os sintomas da sífilis secundária normalmente regridem após algumas semanas. Durante esse período, não há sintomas. Após 2 a 4 anos de latência, a doença normalmente é não infecciosa, exceto pela transmissão materno-fetal. A maioria dos casos não progride além do estágio latente, mesmo sem tratamento. Estágio terciário: Pode ser classificado pelos tecidos afetados e pelo tipo de lesão; A sífilis gomosa é caracterizada por lesões gomosas no tecido em vários órgãos ( pele, membranas mucosas e nos ossos), após cerca de 15 anos; Causam destruição dos tecidos, mas normalmente não causam incapacidade ou morte

6. Recursos para diagnostico laboratorial (em microbiologia):

6.1. Doenças Bacterianas: Gonorreia: Homens: Os gonococos são encontrados em esfregaços de pus na uretra. Mulheres: Normalmente a cultura é coletada da cérvice e cultivada em meios especiais. Clamídia: A cultura é o método mais confiável. Atualmente, existem teste que amplificam e detectam as sequências de DNA e RNA do microrganismo. Sífilis: Teste laboratorial quando não há evidências de sintomas. Testes treponêmicos possibilitam a determinação visual qualitativa de presença de anticorpos IgG e IgM anti-Treponema pallidum em amostras de sangue coletadas a partir de punção digital.

6.2. Doenças Virais: Herpes Genital: O diagnóstico de herpes genital pode ser feito pelo isolamento do vírus a partir das vesículas, por teste de PCR e testagem sorológicas, se não há lesões. Condiloma Acuminado (HPV): Diagnóstico é feito por meio de exames de biologia molecular, que mostram a presença do DNA do vírus.

6.3. Doenças Fúngicas: Candidíase: Diagnosticada pela identificação microscópica do fungo em raspados das lesões e por isolamento do fungo em cultura.

6.4. Protozoose: Tricomoníase: O diagnóstico normalmente é feito pela identificação dos organismos das descargas. O patógeno pode ser encontrado no sêmen ou na urina de homens portadores