Antioxidantes não enzimaticos

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Rocket clouds
Antioxidantes não enzimaticos por Mind Map: Antioxidantes não enzimaticos

1. Vitaminas

1.1. C

1.1.1. A vitamina C ou ácido ascórbico é uma vitamina hidrossolúvel que possui funções antioxidantes, principalmente em fluidos extracelulares, embora a mesma também tenha papel essencial no citosol de células.

1.1.2. Em tecidos onde a síntese de ERO é mais elevada, a concentração de vitamina C é comumente mais abundante.

1.1.3. Devido ao seu baixo potencial redutor, o ascorbato reage como um antioxidante com a maior parte dos compostos reativos radicalares formados em sistemas biológicos, neutralizando os mesmos.

1.2. A

1.2.1. Pertence ao grupo de vitaminas lipossolúveis.

1.2.2. Encontrada nos alimentos de origem animal está na forma de retinóides e naqueles de origem vegetal o nutriente está na forma de grupos de carotenoides, que inclui o betacaroteno. Essas substâncias serão convertidas em vitamina A.

1.2.3. Este nutriente contribui para a boa visão, pois protege a córnea e também para a correta proliferação e diferenciação celular. Esta vitamina também contribui para o correto desenvolvimento do feto, por esta razão ela é especialmente necessária para as gestantes.

1.2.4. É importante para os processos de formação da pele

1.3. E

1.3.1. É um dos antioxidantes mais abundantes na natureza, sendo a forma atocoferol a mais conhecida, eficaz e com maior atividade antioxidante.

1.3.2. Atuando sobre a membrana da célula, a vitamina E protege contra a PL, reagindo diretamente com radicais de O2, fato que origina radicais inócuos de tocoferol.

1.3.3. Tem a capacidade de regular a expressão gênica de proteínas que regulam o estado redox celular e, consequentemente, o estresse oxidativo.

2. Cobre

3. Zn

4. Mn

5. Se

6. Compostos Fitoquímicos

6.1. Fitoquímicos são substâncias antioxidantes que conferem cor aos alimentos e protegem contra doenças.

6.1.1. Licopeno: presente em alimentos vermelhos, é o antioxidante conhecido por diminuir os riscos das doenças cardiovasculares, esse fitoquímico também possui ação antioxidante e retarda o envelhecimento das células. Fontes: tomate, goiaba vermelha, melancia, etc.

6.1.2. Betacaroteno: presente em alimentos amarelos e laranjas, fortalece o sistema imunológico e reduz os riscos das doenças do coração.Também é rico em vitamina A, sendo essencial para melhorar a saúde dos olhos, prevenindo a degeneração macular. Fontes: mamão, damasco, laranja, melão amarelo, abacaxi, etc.

6.1.3. Clorofila: está nos alimentos verdes, principalmente vegetais. É fonte de vitaminas A e C, fortalecendo os mecanismos de defesa, beneficiando a saúde da pele e ocular. Fontes: brócolis, couve, repolho, mostarda, acelga, kiwi, etc.

6.1.4. Luteína: também está nos alimentos verdes, esse fitoquímico possui propriedades antioxidantes que ajuda a prevenir o envelhecimento precoce das células e a fortalecer o sistema imune. Também possui ação detox. Fontes: couve, espinafre.

6.1.5. Zeaxantina: está nos alimentos verdes escuros, esse fitoquímico também é encontrado em frutas, verduras e legumes. A substância melhora o sistema circulatório, controla a pressão arterial e ajuda a eliminar as toxinas do corpo. Fontes: brócolis, couve, kiwi

6.1.6. Antocianina: presente em alimentos azuis e roxos, previne contra doenças cardiovasculares, reduz o colesterol do sangue e previne o câncer. Fontes: berinjela, repolho roxo, amora, uva rosada, etc.

6.1.7. Alicina: presente em alimentos brancos, combate infecções e contribui para a redução do colesterol, triglicérides e pressão arterial. Fontes: cebola, alho, cebolinha, alho-porro, etc.

6.2. Estas substâncias atuam favoravelmente na manutenção da saúde, prevenindo os efeitos dos impactos ambientais negativos, como o aparecimento de algumas doenças de evolução crônica

6.3. Os fitoquímicos podem atuar na prevenção de doenças através de diferentes mecanismos, sendo que as que mais se destacam são a atividade antioxidante, modulação das enzimas de detoxificação, diminuição da agregação plaquetária, alterações no metabolismo do colesterol, modulação dos hormônios esteróides, redução da pressão arterial, e atividade antibacteriana e antiviral.

7. Patologias relacionadas

7.1. Vitaminas

7.1.1. Mal de Parkinson

7.1.1.1. É uma doença incapacitante, neurodegenerativa, progressiva, com causas desconhecidas. Origina-se provavelmente de efeitos combinados, dentre múltiplos fatores, incluindo envelhecimento, predisposição genética e exposições ambientais.

7.1.1.2. É caracterizada, principalmente, pela presença de rigidez, tremor e bradicinesia, sendo um dos distúrbios do movimento mais encontrados na população idosa.

7.1.1.3. O dano oxidativo é a causa provável da doença de Parkinson, já que os neurônios são especialmente vulneráveis ao ataque dos radicais livres.

7.1.1.4. Algumas vitaminas, como vitaminas E e C, podem prevenir essa destruição celular oriunda da oxidação, visto que estas agem como antioxidantes nas membranas celulares. A homocisteína em altas concentrações plasmáticas pode causar lesão cerebral com transtornos neuropsiquiátricos, pois o aumento do estresse oxidativo gerado por esta alteração bioquímica é um dos fatores relacionados com o envelhecimento cerebral e dano neural.

7.1.1.5. A hiper-homocisteinemia foi descrita em pacientes com a doença de Parkinson devido ao uso prolongado da levodopa, sendo conhecida como forma de tratamento mais efetivo para as desordens neurodegenerativas do movimento. Neste sentido, o folato e as vitaminas B 6 (piridoxina) e B 12 (cobalamina) atuam no ciclo de depuração da homocisteína, com a função de preservar a integridade do sistema nervoso central e sendo importante para a função motora e cognitiva.

7.2. Compostos Fitoquímicos

7.2.1. Cancêr de mama

7.2.1.1. Considerando os fitoquímicos relacionados à neoplasia mamária, os fitoestrógenos, que são compostos fenólicos heterocíclicos similares aos estrogênios naturais e sintéticos com propriedades tanto estrogênicas quanto antiestrogênicas são os mais amplamente investigados, sendo as isoflavonas e as lignanas seus maiores representantes.

7.2.1.2. Os mecanismos baseiam-se na atividade estrogênica e antiestrogênica, onde as isoflavonas conjugadas, presentes nas plantas, vegetais e especialmente em produtos da soja, podem ser desconjugadas pelas bactérias intestinais, permitindo que elas sejam absorvidas para a circulação, onde podem competir, com estrogênios, por sítios de receptores estrogênicos situados nas células mamária