Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
DNA E RNA por Mind Map: DNA E RNA

1. A replicação do DNA é um processo semiconservativo, pois cada uma das suas moléculas recém formadas conserva uma das cadeias da molécula que a originou e forma uma cadeia nova, complementar ao seu molde.

2. A replicação da molécula de DNA, também conhecida por duplicação ou polimerização, é um fenômeno genético que assegura a autoduplicação das informações contidas nos cromossomos, especificamente nos genes.

3. A síntese da fita líder inicia-se com a síntese de um pequeno segmento de RNA (primer) pela enzima primase. Após a síntese do primer, a enzima DNA polimerase está apta a adicionar os desoxirribonucleotídeos, ligando uns aos outros novamente e finalmente sintetizando assim a nova molécula de DNA..

3.1. Primase: é a enzima que sintetiza os primers (iniciadores), que são pequenas sequências de RNA, a partir de um molde de DNA.

3.2. DNA ligase: é uma enzima que possui como função facilitar a união de cadeias de DNA, catalisando a formação de uma ligação fosfodiéster. É a enzima responsável por unir covalentemente os fragmentos de Okazaki após a retirada dos iniciadores pela DNA polimerase.

3.2.1. Fragmento de Okazaki: é um relativamente pequeno fragmento de DNA criado na cadeia atrasada durante a replicação do DNA. São formados pelo açúcar ribose e são sintetizados apenas na cadeia ou filamento descontínuo.

4. É a primeira fase do processo que ocorre no núcleo, para que ocorra o início da reaplicação as enzimas helicases agem separando a fita de DNA. A qual corresponde à síntese das fitas líder e tardia. A separação das fitas ocorrem pela destruição das ligações de hidrogênio.

4.1. Helicase: é uma enzima responsável pela abertura da dupla fita de DNA, permitindo que o RNA mensageiro tenha acesso a informação genética do indivíduo.

4.2. Topoisomerase: é uma enzima que quebra a fita de DNA, ela funciona como uma tesoura que desenrola a fita de DNA e corta ela.

5. Reaplicação do DNA

6. Transcrição do DNA

6.1. A transcrição é o processo no qual um gene da sequência de DNA é copiado (transcrito) para fazer uma molécula de RNA. A transcrição começa quando a RNA polimerase se liga a uma sequência promotora próxima ao início de um gene.

6.2. A RNA polimerase usa uma das fitas de DNA (a fita molde) como uma referência para fazer uma molécula de RNA nova, complementar.

6.3. Para sintetizar essa fita de RNA,enzimas irão quebrar as pontes de hidrogênio que ligam as bases nitrogenadas do DNA. Depois, seguindo o código do DNA no sentido 5’à 3’, a RNA-polimerase irá encaixar os nucleotídeos que formam o RNA. Não será mais utilizado a timina, no lugar desse ácido desoxirribonucleotídeo, a adenina se ligará com a base uracila e as demais continuam iguais.

6.3.1. O RNA mensageiro produzido destaca-se de seu molde e, após passar por um processamento, atravessa a carioteca e se dirige para o citoplasma, onde se dará a síntese protéica. Com o fim da transcrição, as duas fitas de DNA seu unem novamente, refazendo-se a dupla hélice.

6.4. Rna polimerase

7. Tradução do DNA

7.1. A molécula de DNA é enorme. Ela possui a “receita” para as proteínas, mas tirar ela do núcleo e levar até o citoplasma onde as proteínas são produzidas seria inviável. É aí que entra o RNAm. Ele transcreve partes do DNA e leva a “mensagem” contida nelas do núcleo para o citoplasma.

7.1.1. O RNA mensageiro (RNAm) tem como função orientar a síntese de proteínas, estruturas cujo papel central em todos os seres vivos é a manifestação das características hereditárias contidas no DNA.

7.1.1.1. RNA transportador: Possui três bases nitrogenadas expostas (o códon, que corresponde a um aminoácido) e transporta aminoácidos que serão utilizados para produzir as proteínas.

7.2. A tradução é um processo no qual haverá a leitura da mensagem contida na molécula de RNAm pelos ribosomo, decodificando a linguagem de ácido nucleico para a linguagem de proteína.

7.2.1. A leitura (tradução) será efetuada por um ribossomo que se deslocará ao longo do RNAm.

7.2.1.1. Para isso, o RNAm produzido a partir do DNA migra do núcleo para o citoplasma e encontra os ribossomos. Nesse momento, a menor subunidade do ribossomo se liga com o RNA transportador do aminoácido metionina.

7.3. O RNAt trazendo uma metionina, orientado pelo ribossomo, se liga ao RNAm onde se encontra o códon (AUG) correspondente dando início ao processo. Em seguida se desliga e outro RNAt se liga trazendo outro aminoácido.

7.3.1. Os códons são UGA, UAA ou UAG. Como estes códons não são lidos, eles não têm efeito na tradução.

7.4. Quando enfim o ribossomo chega a região do RNAm onde há um códon de parada, é determinado o fim do processo.

7.4.1. A tradução termina quando um códon finalizador é encontrado na mesma fita de mRNA que está sendo traduzida.

7.4.1.1. Por fim, o polipeptídeo é liberado do ribossomo, que se torna disponível para começar a síntese de outra proteína.