EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA ORGANIZAÇÃO DO SUS

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA ORGANIZAÇÃO DO SUS por Mind Map: EVOLUÇÃO HISTÓRICA DA ORGANIZAÇÃO DO SUS

1. BRASIL COLÔNIA (1500- 1822)

1.1. Doença como castigo

1.2. Cirurgiões- barbeiros e Santas Casa de Misericordia (Santos- 1543 e Salvador-1549)

1.3. Chegada da Familia Real 1808 "HIGIENIZAÇÃO"

1.4. Vigiar/ controlar epidemias pensando no aspecto econômico

1.5. TEORIA MIASMÁTICA: relação do meio físico e condicões insalubres. o AR + GASES PESTILENCIAIS= doenças.

1.6. Alvará de 22 de jan de 1810: criação do LAZARETO para QUARENTENA de negros e viajantes. >Autoridade sanitaria c/ visto de entrada.

2. BRASIL IMPÉRIO (1822- 1889)

2.1. Ações de combate e controle de doenças

2.2. ERA BACTERIOLÓGICA: identificação do agente etiológico da doença.

2.3. TEORIA DA UNICAUSALIDADE: apenas uma causa (agente)/ visão limitada. Superação da Teoria Miasmática.

2.4. #Focava só no agente etiológico a e não considerava as condições sanitárias.

3. ERA VARGAS (1930- 1964)

3.1. 1930, Criação da Educação e Saúde (MESP)

3.1.1. MESP prestava serviços aos pré- cidadões: pobres, desempregados, atividades informais. ou seja, os nao assegurados pela previdencia.

3.1.2. O Estado intervia na saúde em ações de prevenção

3.2. 1933, IAPs- Instituto de Aposentadorias e Pensões

3.2.1. Organizado por CATEGORIA PROFISSIONAL

3.2.1.1. Financiamento TRIPARTITE: empregado, empregador e governo

3.2.1.2. Atenção para os contribuintes e seus dependentes

3.3. 1953, Criação do Ministério da Saúde

4. AUTORITARISMO (1964- 1985)

4.1. Saúde publica de baixa qualidade, limitada e excludente

4.2. 1966, Fusão dos IAPs- criando o INPS- Instituto Nacional de Previdencia Social

4.3. 1977, criação do INAMPS- Instituto Nacional de Assistencia Médica e Previdencia Social

4.3.1. Asistencia Médica Previdenciaria era restrita aos trab formais e seus dependentes, atenção a saude centrada na doença e em procediementos.

4.4. 1970, Movimento da Reforma Sanitária

4.4.1. Começou por universitários, profs e grandes centros de estudo e mobilizaram a população para participar.

4.4.2. Um marco historico desse período foi a 8ª Conferencia Nacionalde Saúde, 1986.

4.4.2.1. Foi a primeira conferencia a contar com a participação da comunidade.

4.5. 1978, Conferencia de Alma- Ata

4.5.1. 1ª conferencia internacional sobre os cuidados primários- Atenção Primária.

4.6. 1981, Instituição do Plano CONASP- Conselho Consultivo de Adm da Saúde Previdenciaria), este se dividia em 3 grupos entre eles a IAS- Atenção Integradas de Saúde.

4.6.1. AIS é marco da Atenção Primária no Brasil.

4.7. 1983, criação das AIS- primeras experiencias com sistema de saude integrado e articulado.

5. REPÚBLICA VELHA (1889- 1930)

5.1. Avanço da bacteriologia/ Planejamento das cidades

5.1.1. Medicina higienista: 1° MODELO SANITARISTA CAMPANHISTA

5.2. DOENÇAS DA ÉPOCA: cólera, peste bubonica, febre amarela, varíola, tuberculose, hanseníase, febre tifoide,, sífiles e endemias rurais.

5.2.1. endemias rurais: doença de chagas, esquistossomose.

5.3. Medo de desembarcar nos portos= saneamento como solução

5.4. Medidas Jurídicas Impositivas: notificação de doenças/ vacinação obrigatória (varíola)/ vigilancia sanitária.

5.5. 1903, nomeacação Oswaldo Cruz como MInistro da Saúde

5.5.1. 1904, REVOLTA DA VACINA: surtos de varíola e vacinação obrigatória pela brigada sanitária.

5.6. Elementos das Ações de Saúde: registro demográfico/ introdução de laborátorio/ fabricação de produtos profilaticos.

5.7. 1920- Carlos Chagas

5.7.1. Restruturação do Depart Nacional de Saúde

5.7.1.1. Propaganda

5.7.1.2. Educação em Saúde

5.8. Orgãos especializados: tuberculose, hanseniase e doenças veneras

5.9. 1923, Lei ELOY CHAVES: Marco (embriao) da Previdencia Social no Brasil, criou as CAPs- Caixas de Aposentadorias e Pensões.

5.9.1. CAPs eram por grandes EMPRESAS

5.9.1.1. 1° 1923 CAP dos Ferroviários

5.9.1.2. 2° 1926 CAP dos Portuários e Maritímos

5.9.1.3. Serviços: funerario; socorro médico; medicamento preçosbaixos; assistencia por acidente de trabalho; assistencia medica.

5.9.1.4. Financiamento e gestão: BIPARTITE- trabalhador e empregador.

5.9.1.5. Para contribuintes e seus dependentes

5.10. Acontece uma Dicotomia da Saúde:

5.10.1. Saúde Pública: prevenção e controle- coletividade;

5.10.1.1. 1° Modelo Campanhista- MS

5.10.2. Previdencia Social: medicina individual (assistencia)- exclusiva;

5.10.2.1. 2° Modelo Privatista- previdencia

5.11. Acesso da população por meio de medicina liberale hospitais filantropicos.

6. REPUBLICA NOVA (1985- 1988)

6.1. 1986, 8ª Conferencia Nacional de Saúde

6.1.1. Primeira conferencia que permitiu a participaçao da sociedade civil organizada

6.1.2. Foi norteada pelo príncipio " Saúde como direito de todos e dever do Estado"

6.1.2.1. Sua deliberação foram BASE para Institucionalização do SUS pela Const. Federal de 1988

6.2. 1986, criação do SUDS- Sistema Unificado e Descentralizado de Saúde

6.2.1. Conhecida como Estrategia Ponte ou Estadualização da Saúde

6.2.2. Os princípos básicos eram também: universalização, equidade, descentralização, regionalização, hierarquização e partcipação comunitária.

6.3. 1988, Institucionalização doSUS pela Constituição federal de 1988

6.3.1. Disposições sobre Seguridade Social art. 194 e 195; na saúde nos art.196 a 200.

6.3.2. Conhecida como Constituição Cidadã

6.4. 1990, Regulamentação do SUS pela Lei 8.080/1990 dispoe sobre condições p/ promoção, proteção e recuperação da saúde, organização e o funcionamento dos serviços..

6.4.1. Lei 8.142 dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do SUS e sobre as transferencias intergovernamentais de recursos financeiros na area da saúde..