Tratamento dos Transtornos Psicoticos

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Tratamento dos Transtornos Psicoticos por Mind Map: Tratamento dos Transtornos Psicoticos

1. Esquiofrenia

1.1. tal hipótese associa os sintomas esquizofrênicos a essas duas vias dopaminérgicas, assim como a quantidade de dopamina presente em cada - sintomas positivos seriam resultantes de uma hiperatividade da via dopaminérgica mesolímbica, enquanto os negativos e cognitivos, hipoatividade dopaminérgica na via mesocortical

2. o processamento emocional se dá nas áreas do sistema límbico, sendo que os neurônios dopaminérgicos se encontram no mesencéfalo. As vias dopaminérgicas se iniciam, então, no mesencéfalo e se expandem - das 5, uma até do sist. límbico, via mesolímbica (1), e a outra até o córtex, via mesocortical (2).

2.1. Sintomas positivos

2.1.1. A psicose é associada ao aumento de dopamina na via mesolímbica, de forma que não se estabeleceu uma relação de causa e efeito, mas de associação apenas

2.2. Sintomas negativos

2.2.1. Já os sintomas negativos e cognitivos associam-se a carência de dopamina na via mesocortical.

3. A psicose, como um conjunto de sintomas, pode estar presente tanto em determinadas situações (uso de drogas, cansaço/fome/sede extremos, tortura, tumores do SNC etc.), como em uma série de transtornos mentais (esquizofrenia, depressão, bipolaridade etc.

4. Psicose

4.1. síndrome caracterizada por uma perda da capacidade do indivíduo de se relacionar consigo mesmo e com o outro de maneira organizada. Existe uma perda da noção de realidade.

4.1.1. Delirio

4.1.1.1. perda do juízo, cria-se uma narrativa irreal, uma ideia. O delírio mexe com a arquitetura do pensamento, perde-se o julgamento da realidade (perseguição, fantasias, crenças).

4.1.2. Alucinacao

4.1.2.1. alteração da sensopercepção, cria-se sensações físicas na ausência de estímulos. A alucinação altera a sensopercepção, perde-se a noção sensações e percepções provocadas por estímulos reais (ver coisas, ouvir vozes…).

5. Esquisofrenia

5.1. É diagnosticada a partir da sintomatologia, uma vez que ainda não se sabe exatamente a fisiologia exata da doença. É uma doença do neurodesenvolvimento e é neurodegenerativa. Existem cinco conjuntos de sintomas: positivos, negativos, cognitivos, agressivos e ansiedade/depressão, sendo os 3 primeiros necessariamente presentes, enquanto, os dois últimos, nem sempre

6. Sintomatologia

7. Sintomas positivos

7.1. são os sintomas psicóticos, ou seja, caracterizam-se pelos delírios e alucinações, dificuldade de distinguir a fantasia da realidade, distorções e/ou exageros da linguagem e na comunicação e um comportamento desorganizado. O momento em que os sintomas positivos se dão são os de surto psicótico, onde há interação com o meio.

8. Sintomas negativos

8.1. momentos de introspectividade, retração emocional/social, caracterizados pela apatia, afeto embotado, falta de espontaneidade, passividade e dificuldade de pensamento abstrato. em que não existe relação com o meio, diferentemente dos sintomas positivos. Caso a esquizofrenia não seja tratada, os sintomas negativos são cronificados e o indivíduo torna-se cada vez mais antissocial, sendo mais necessário e efetivo apoio psicológico (familiar) do que tratamento psicológico (psicoterapia) - além, evidentemente, da medicação, essa imprescindível para evitar a cronificação.

9. Sintomas cognitivos

9.1. são sintomas semelhantes aos positivos e que podem se sobrepor aos negativos. As principais características são distúrbios de pensamento, uso estranho da linguagem, incluindo incoerência, atenção prejudicada que reflete o aprendizado

10. Sintomas agressivos hostis

10.1. característicos pela auto-mutilação, suicidio, impulsividade, abusos sexuais, comportamento agressivo/hostil.

11. Sintomas depressivos ansiosos

11.1. característicos pelo humor deprimido e/ou ansioso, culpa, tensão, irritabilidade.

12. Hipotese dopaminergica

13. Medicamentos de primeira geracao

13.1. também conhecidos por antipsicóticos convencionais ou Haldol, atuam bloqueando os receptores D2, ou seja, atuam através de uma substância que se liga ao receptor e impede ou diminui a interação com a dopamina em excesso. O problema é que tal bloqueio não se dá somente na via 1, mas em todo encéfalo, incluindo a via 2, a qual já possui hipoatividade dopaminérgica, de forma que só funciona para tirar o indivíduo da psicose, gerando uma série de outros sintomas.

13.1.1. Efeitos colaterais

13.1.1.1. bloqueio D2 na via mesocortical

13.1.1.1.1. Aumento dos sintomas negativos

13.1.1.1.2. Diminui os sintomas positivos

13.1.1.1.3. Dopamina deixa de inibir a liberação de acetilcolina

13.1.1.2. Bloqueio dos receptores

13.1.1.2.1. M1

13.1.1.2.2. ∂1

13.1.1.2.3. H1