- SOCIOLOGIA - FORMAS DE EXERCÍCIO DO PODER

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
- SOCIOLOGIA - FORMAS DE EXERCÍCIO DO PODER por Mind Map: - SOCIOLOGIA -  FORMAS DE EXERCÍCIO DO PODER

1. DOMINAÇÃO TRADICIONAL

1.1. A forma mais comum de estabelecimento dessa autoridade vem pelo sistema patriarcal, que domina a sociedade, em que a figura do patriarca ou senhor é uma figura de liderança e os submetidos a essa liderança são os seus súditos ou servidores.

1.1.1. - Nesse tipo de dominação, existe uma relação moral implícita em que as normas morais conferem a tradição do exercício do poder por parte do patriarca. - Não há a necessidade de uma competência da liderança para a conferência da autoridade, pois é a tradição quem confere tal autoridade. Esse tipo de dominação também confere uma estabilidade da dominação, visto que a tradição é algo que se perpetua por muito tempo em uma sociedade. - No período de grande produção de açúcar do Brasil Colonial, o modelo de família patriarcal exemplifica perfeitamente a dominação tradicional

2. DOMINAÇÃO CARISMÁTICA

2.1. Ocorre por meio da capacidade carismática que uma pessoa tem de mobilizar as massas e comandar as pessoas

2.2. - Geralmente, os súditos desse tipo de pessoa conferem uma devoção ao líder carismático não só pela sua personalidade de liderança, mas também pela crença e pela fé. - O líder carismático detém uma espécie de força mística que faz com que os seus seguidores depositem nele a esperança de uma mudança ou de uma ação correta. - Segundo Weber, é a forma de dominação mais instável, visto que de uma hora para outra os súditos podem perder o encanto pelo líder carismático. - Como exemplo, podemos eleger Hitler como uma personalidade que exerceu forte dominação carismática na Alemanha nazista.

2.2.1. Gustavo Albuquerque Silva. Número: 15. Classe: 2°A, administração.

3. DOMINAÇÃO LEGAL

3.1. Estabelece-se por meio de uma convenção social estabelecida entre os indivíduos de uma mesma sociedade.

3.1.1. - Weber entende o Estado como um elemento que parte de um princípio parecido com o princípio visto pelos contratualistas, ou seja, como um elemento comum que subordina as pessoas à sua autoridade legal para o bem delas mesmas. - Esse tipo de poder estabelece-se pela competência do agente de poder em exercer a autoridade e há uma espécie de estabilidade do poder e da autoridade nesse caso. - São exemplos de dominação legal a força das leis, o emprego da força por parte do Estado por meio da polícia e do exército contra a população e os indivíduos, que, em sua maioria, em uma situação de normalidade social (quando não há caos e crise) aceita o poder exercido por essas instituições.