Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Amido Fecal por Mind Map: Amido Fecal

1. Hipóteses:

2. Hipóteses: 1- Grupo Genético

3. Dá uma estimativa bem próxima do que está acontecendo com o animal e isso é importante para eficiência alimentar.

4. A digestibilidade do amido pode variar de diversas maneiras, principalmente com o tipo de grão do cereal e o processamento.

5. Avaliação fecal é uma solução barata e pratica para detectar problemas de manejo e digestibilidade.

6. O amido é o maior componente dos nutrientes e o que fornece a maior quantidade de energia digestível consumida pelos bovinos.

7. " O valor da digestibilidade do lote"

8. Problema: Alimentação de novilhos confinados com elevada quantidade de grãos é uma pratica comum em confinamentos. Você foi chamado para verificar um confinamento com bovinos produzindo fezes mucosas com alto teor de amido ( Amido fecal). Por que isso ocorre e como evitar?

8.1. 2- Lenta digestão do amido causada por processamento inadequado dos grãos. --- O processamento dos grãos faz com que haja quebra das barreiras recalcitrantes, como a casca do pericarpo e a matriz proteica permitindo assim acesso dos microrganismos ao amido dentro das células do endosperma, além de reduzir o tamanho da partícula, aumentando a área de adesão microbiana e colonização, consequentemente o aumento da taxa e extensão da digestão do amido.

8.1.1. Como Evitar: Escolher um tipo de processamento do grão utilizado, que otimize a ação da população microbiana elevando a digestibilidade, diminuindo os teores de amido fecal e otimizando sua produção. Ou seja, um tipo de grão em que apresente uma menor área de superfície de contato o que irá diminuir sua exposição e a colonização das bactérias que o degradarão reduzindo a digestibilidade e consequentemente aumentando as perdas de amido fecal. * Quanto menor o teor de amido fecal em bovinos confinados, significa que o milho está sendo bem aproveitado pelo animal. O ideal seria que o teor de amido fecal não ultrapasse 3%, sendo aceitável valores ate 10%.

8.2. 3- Quando a dieta não contém fibra efetiva suficiente, ocorre redução da ruminação e inadequada formação do "mat" ( separação das partículas de acordo com a densidade ruminal). Isso resulta em maior fermentação de grão no intestino e maior presença de fibra e grão nas fezes.

8.2.1. Síntese

8.3. 3- As maiores concentrações de amido nas fezes, indicam uma provável alteração no local de digestão, passando do rúmen para o trato gastro intestinal posterior. O amido que não é digerido no rúmen, pode não sofrer digestão no intestino delgado. No entanto, sofre fermentação microbiana no intestino grosso, produzindo ácido lático e AGCC, diminuindo o ph das fezes, além de poder provocar diarreias.

8.3.1. 2- Os métodos de processamento do milho apresentam diferentes benefícios na digestibilidade do amido e consequentemente seu maior aproveitamento pelos animais, o que poderá refletir em melhores eficiências e desempenhos pelos animais.

8.3.1.1. 1- Em relação ao grupo Genético, por exemplo, os zebuínos apresentaram teor de amido fecal maior que animais cruzados, devendo-se ao fato de que talvez animais zebuínos são mais sensíveis a dieta com altos teores, o que pode acarretar em distúrbios metabólicos. Elevando desta forma o amido fecal, já que a degradabilidade do amido no trato digestivo de animais zebuínos ficará comprometida.