3 Processos para a independência de países afro-asiaticos

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
3 Processos para a independência de países afro-asiaticos por Mind Map: 3 Processos para a independência de países afro-asiaticos

1. Jeito Pacifico

1.1. Há maneiras e maneiras de você conquistar esse trunfo, e o melhor jeito é fazendo isso sem brigar, com bastante calma e com muito respeito. Foi exatamente assim que Mahatma Gandhi, um grande pacifista, conseguiu conquistar a independência da Índia e livrar seus país do controle inglês.

2. Maneira conflituosa

2.1. Se no tópico anterior revelamos o segredo para você conseguir atingir seu objetivo, neste revelaremos o que não fazer. Não levante a voz, não desrespeite, não pressione e não seja mal-educado. De fato, essa não é a melhor maneira de você conseguir garantir o seu “vale-night” com seus pais. Porém, no processo de descolonização, o meio violento também foi utilizado pelas nações africanas e asiáticas.

3. Processo Tardio

3.1. Aí você está sem saída. Já tentou as duas maneiras: com jeitinho foi falar com seus pais, que não deixaram, começou a perder a paciência, e todo o projeto foi por água abaixo. Calma! Ainda há uma solução! Você precisa esperar abaixar a poeira, ir com calma, pedir desculpas e novamente tentar. Mesmo que pra isso você tenha que se atrasar um pouco. Foi exatamente isso que aconteceu no caso português. Angola e Moçambique demoraram para participar do processo de descolonização devido ao governo ditatorial salazarista. O controle das colônias era muito rígido, o que não permitia grupos que eram a favor da emancipação realizar tal feito. Somente após a Revolução dos Cravos em 1974 – que acabou de vez com a ditadura salazarista, depondo Marcelo Caetano – as nações africanas puderam de fato lutar pela sua independência.