Capitulo 9 do Livro E K Hunt

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Capitulo 9 do Livro E K Hunt por Mind Map: Capitulo 9 do Livro E K Hunt

1. Trabalho necessário, excedente, criação e realização da mais-valia: A força do trabalho é a capacidade de trabalhar.

2. A critica de Marx a economia clássica: Contra a propriedade privada e sistema de troca é sistema de igualdade.

3. Alienação e Miséria Crescente do Proletariado: A burguesia, onde quer que tenha dominado, terminou com todas as relações feudais patriarcais e idílicas. Cortou impiedosamente os variados vínculos feudais que ligavam o homem a seus “superiores naturais” e não deixou ficar qualquer outro vínculo entre os homens, que não o interesse próprio puro e simples, o insensível “pagamento em dinheiro”.

4. O que, então, constitui a alienação do trabalho? Primeiramente, o fato de o trabalho ser externo ao trabalhador, isto é, não pertencer à sua essência; em seu trabalho, portanto, ele não se afirma, mas se nega, não se sente feliz, mas infeliz, não desenvolve livremente sua energia física e mental, mas mortifica seu corpo e arruína sua mente. O trabalhador, portanto, só se sente ele mesmo fora do trabalho; no trabalho, sente-se estranho.

5. A natureza social da produção das mercadorias: Trabalho humano transformado em mercadoria e trocado por dinheiro

6. Circulação de mercadoria simples e circulação capitalista: Mercadoria-dinheiro-mercadoria

7. Desequilíbrios Setoriais e Crises Econômicas: Como cada capitalista aceitava o nível de salários como predeterminado, estando além de seu poder de controle, procurava aproveitar-se ao máximo da situação. A alternativa mais lucrativa parecia ser a de mudar as técnicas de produção, introduzindo novas máquinas poupadoras de mão de obra, para que cada operário passasse a trabalhar com mais capital e a produção por operário pudesse ser aumentada.

8. Mercadoria, valor, valor de uso e valor de troca: Salários e lucros e meios de trocas.

9. Concentração Econômica: À medida que o capitalismo se desenvolvia a riqueza e o poder se concentravam nas mãos de um número cada vez menor de capitalistas.

10. Tendência Decrescente da Taxa de Lucro: A mais-valia, qualquer que seja sua origem, é, então, um excedente em relação ao capital total adiantado.

11. Mais valia: D- M-D como formula do capital

12. Trabalho força de trabalho e definição de capitalismo: Capacidade de trabalhar e trabalho potencial

13. O valor da força de trabalho: O valor da força de trabalho é igual o valor da subsistência familiar. A diferença entre o valor da força de trabalho e o valor da mercadoria produzida quando essa força de trabalho se concretizava era fonte da mais valia

14. Jornada de Trabalho: Empregadores VS empregados

15. A natureza social da produção das mercadorias: Trabalho humano transformado em mercadoria e trocado por dinheiro

16. Propriedade Privada, Capital e Capitalismo: - o Marx era contra o capitalismo. - Marx era contra o capitalismo pois ele acreditava que o capitalismo favorecida a classe burguesa e aumentava o capital. - “Trabalhadores livres” indivíduos seriam livres para usar sua força de trabalho para dispor de sua própria mercadoria.

17. Acumulação primitiva: - Classe Operaria: sem propriedade alguma totalmente dependentes economicamente do trabalho. - Classe Capitalista Rica: Com o controle total da classe operaria.

18. Acumulação capital: - A paixão pela riqueza para si mesma. - Acumulo de capital. -“ Lei da ordem” -“ Lei do movimento”