Sistemas do Corpo Animal Equinos

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Sistemas do Corpo Animal Equinos por Mind Map: Sistemas do Corpo Animal Equinos

1. Reprodutor Feminino

1.1. Útero

1.1.1. A parede do útero é divida em três partes:

1.1.1.1. Endométrio: (mucosa) epitélio cilíndrico simples, estroma endometrial - tecido conjuntivo frouxo com glândulas exócrinas tubulosas simples.

1.1.1.2. Miométrio: (muscular) três camadas de musculatura lisa com tecido conjuntivo frouxo entre elas.

1.1.1.3. Perimétrio: serosa ou adventícia, sendo que se for adventícia será somente tecido conjuntivo frouxo, e se for serosa será tecido conjuntivo revestido de mesotélio.

1.2. Ovário

1.2.1. É uma glândula mista que produz ovócitos (exócrino) e hormônios ovarianos (endócrino), como estrógeno e progesterona. Todo revestido por células epiteliais germinativas cúbica simples e também pela túnica albugínea de tecido conjuntivo denso não modelado.

1.2.2. Zona cortical: periférico, tecido conjuntivo frouxo com abundancia de fibroblastos. Possui a população folicular com tecas circundantes, o folículo atrésico, o corpo lúteo e o corpo albicans.

1.2.2.1. População folicular: folículo primordial, folículo primário, folículo em desenvolvimento, folículo antral e folículo de Graaf (maduro).

1.2.2.2. Tecas: células do estroma ao redor do folículo. A teca interna produz andrógenos fracos (androstenediona).

1.2.2.3. Folículo atrésico: células em degeneração.

1.2.3. Zona medular: interno e central, conjuntivo frouxo ricamente vascularizado.

2. Respiratório

2.1. Pulmão

2.1.1. Envolvido pela pleura - serosa constituída de epitélio plano simples (mesotélio) e conjuntivo frouxo com fibras elásticas e colágena, divididas em parietal e visceral. Possui as seguintes partes:

2.1.1.1. Brônquio

2.1.1.1.1. Ramos maiores: epitélio respiratório; ramos menores: epitélio cilíndrico simples ciliado. Tecido conjuntivo frouxo com fibras elásticas. Presença de músculo liso em faixas espirais, cartilagem hialina, glândulas seromucosas e linfócitos.

2.1.1.2. Bronquíolo

2.1.1.2.1. Porções iniciais: epitélio cilíndrico simples ciliado; porções finais: epitélio cúbico simples, ciliado ou não, (células em clava - atuam como células-tronco, fazem proteção e destoxificação). Tecido conjuntivo frouxo com fibras elásticas. Camada de músculo liso. Corpos neuroepiteliais (quimiorreceptores). Ausência de cartilagem e glândulas.

2.1.1.3. Bronquíolo respiratório

2.1.1.3.1. Epitélio simples, que varia de colunar baixo a cuboide, tendo cílios ou não. Tecido conjuntivo frouxo. Camada de músculo liso. Pode apresentar células em clava. Possui diversas descontinuidades em sua parede que se comunicam com alvéolos e o difere do bronquíolo.

2.1.1.4. Ducto alveolar

2.1.1.4.1. Epitélio simples cúbico e epitélio simples pavimentoso nas extremidades. Possui uma matriz rica em fibras elásticas e fibras reticulares. Terminam em um único alvéolo ou em sacos alveolares (grupo de alvéolos que se abre em um espaço comum).

2.1.1.5. Alvéolo

2.1.1.5.1. Delgado epitélio plano simples. Septos interalveolares com tecido conjuntivo, fibras elásticas e reticulares e uma extensa rede de capilares sanguíneos com células endoteliais. Macrófagos e células dendríticas que exercem funções de, respectivamente, fagocitose e processamento de antígenos a linfócitos T.

3. Reprodutor Masculino

3.1. Testículo

3.1.1. Mediastino

3.1.1.1. Formado pela túnica albugínea, que é um tecido conjuntivo denso modelado e por um parênquima testicular.

3.1.2. Lóbulos testiculares

3.1.2.1. São compartimentos piramidais que são ocupados por um a quatro túbulos seminíferos, onde ocorre a espermatogênese, os quais são alojados como novelos dentro de um tecido conjuntivo frouxo, rico em vasos sanguíneos e linfáticos, nervos e células intersticiais (Células de Leydig). A parede dos túbulos são formadas por células epiteliais pseudo-estratificadas espermatogenéticas e células de sustentação (Células de Sertolli) e continuam como túbulos retos.

3.1.2.1.1. Células de Leydig

3.1.2.1.2. Células de Sertolli

4. Urinário

4.1. Rim

4.1.1. Rins unilobulares/ Rim esquerdo: formato de feijão, rim direito: formato de coração - Cápsula: tecido conjuntivo denso; Fibras colágenas, Músculo liso. (tec. conj. frouxo liga a cápsula ao parênquima). Zona cortical- Corpúsculo renal./ Zona medular- Pirâmides de Malpighi, papilas, raios medulares. Lobo- Uma pirâmide de Malpighi/ Colunas retas de Bertin- Tec. conj. medular. Lóbulo- Raio medular- Tec. conj. cortical

4.1.2. Néfron

4.1.2.1. Corpúsculo Renal ou de Malpighi- formados por tufos capilares Capilares Glomerulares (Glomérulo)- endotélio fenestrado, células endoteliais, podócitos e células mesangiais. Membrana B Glomerular- colágeno IV, proteoglicanos, glicoproteínas. Cápsula de Bowman- envolve o glomérulo e possui dois folhetos: folheto parietal (Epitélio simples pavimentoso que se apoia em uma lâmina basal, fibras reticulares), folheto visceral (células modificadas com podócitos, células mesangiais). Polo urinário- epitélio cúbico simples. Polo Vascular- Entra a arteríola aferente e sai e arteríola eferente- célula peripolar. Túbulo contorcido proximal- epitélio simples cúbico, células acidófilas, borda em escova, numerosas mitocôndrias. Alças de Henle- ramo delgado: epitélio simples pavimentoso, vamo espesso: epitélio simples cúbico. Túbulo contorcido distal- epitélio simples cúbico. Mácula densa- células epiteliais cilíndricas.

4.1.3. Túbulos e Ductos Coletores (Ductos de Berlini)

4.1.3.1. Epitélio simples cúbico.

4.1.4. Pelve renal

4.1.4.1. Epitélio de transição ou urotélio. Lâmuna própria- tecido conjuntivo frouxo, glândulas mucosas Camada muscular- 3 camadas de músculo liso

4.2. Vesícula urinária

4.2.1. Epitélio de transição, lâmina própria de tecido conjuntivo frouxo/denso, músculo liso, túnica serosa.

5. Digestivo Glandular

5.1. Fígado

5.1.1. Órgão parenquimatoso, formado de agregados de hepatócitos denominados de lóbulos. Possui duas faces: visceral e diafragmática. Atua como glândula endócrina, liberando substâncias no sistema linfático e no sangue e como glândula exócrina, liberando secreções.

5.1.2. O fígado é revestido por uma cápsula delgada de tecido conjuntivo denso não modelado e recoberto pelo peritônio. O tecido conjuntivo da cápsula estende-se para o interior do parênquima hepático, onde encontram-se os lóbulos hepáticos. Na periferia dos lóbulos, há uma massa de tecido conjuntivo chamada de espaço porta, que apresentam ramos da artéria hepática, da veia porta, dos ductos biliares e vasos linfáticos. O parênquima hepático é constituído por hepatócitos, com seis ou mais superfícies, e citoplasma acidófilo, devido ao grande número de mitocôndrias. Os hepatócitos estão dispostos ao redor dos lóbulos hepáticos, formando placas celulares; que se direcionam da periferia do lóbulo para o seu centro.

5.2. Glândulas salivares maiores

5.2.1. Parótida

5.2.1.1. Glândula exócrina: Tecido epitelial glandular. Glândula acinosa composta, formada por lóbulos separado por delgados septos de tecido conjuntivo. Serosa (produz enzimas), possui atividade amilolítica (quebra partículas de amido). Células mioepiteliais estão localizadas entre as células secretórias e a membrana basal.

5.2.2. Glândula mandibular

5.2.2.1. Glândula exócrina: tecido epitelial glandular. Glândula tubuloacinosa composta, mucosa e serosa. Células mioepiteliais em torno das unidades secretórias.

5.2.3. Glândula sublingual

5.2.3.1. Glândula exócrina. Tecido epitelial glandular. Glândula tubuloacinosa composta, mucosa e serosa, com predomínio de células mucosas.

6. Tegumentar

6.1. Glândulas da pele

6.1.1. Glândulas sudoríparas

6.1.1.1. Glândula exócrina tubular enovelada. Vários segmentos com luz ampla, e com uma só camada de células, são divididas em:

6.1.1.1.1. Merócrinas: presentes em todas as regiões do corpo exceto nos lábios, leitos ungueais e tímpanos são constituídas por células escuras e claras. As células escuras ficam responsáveis por produzir glicoproteínas enquanto as células claras eliminam o suor, o liquido secretado é eliminado diretamente na superfície da pele.

6.1.1.1.2. Apócrinas: localizadas nas axilas, nas auréolas mamárias e na região genital elas produzem uma secreção mais viscosa em relação as glândulas merócrinas, a secreção é eliminada nos canais dos folículos pilosos e as secreções produzidas não possuem cheiro, logo, o odor desagradável está relacionado com o desenvolvimento de bactérias na região.

6.1.2. Glândulas sebáceas

6.1.2.1. Localizadas na derme, possuem ductos revestidos por epitélio estratificado e produzem uma secreção denominada de sebo que é rica em lipídeos. As glândulas sebáceas desempenham um papel importante na lubrificação da pele e evitam o ressecamento dos pelos.

6.1.3. Glândulas paraanais

6.1.3.1. São glândulas sebáceas modificadas lobuladas, localizadas lateralmente e internamente no ânus, possui um formato de bolsa e produz um material oleoso, que possibilita aos animais (cães e gatos exclusivamente) a marcarem seu território e a lubrificar o ânus na passagem das fezes.

6.2. Pele

6.2.1. Epiderme

6.2.1.1. Camada de pele mais superficial constituída por epitélio estratificado pavimentoso queratinizado, ela é mais espessa na palma das mãos e na planta dos pés, e está em constante renovação, possuindo 5 camadas (basal, espinhosa, granulosa, lúcida e córnea).

6.2.2. Derme

6.2.2.1. Está logo abaixo da epiderme e é constituída por tecido conjuntivo frouxo em sua camada papilar e tecido conjuntivo denso na sua camada reticular, a mesma é altamente vascularizada e nutri a epiderme. Além disso, possui a função de termo regulação, percepção sensorial e defesa imunológica da pele.

6.2.3. Hipoderme

6.2.3.1. Camada mais profunda da pele, formada por tecido conjuntivo frouxo e tecido adiposo. Dessa forma, ela é essencial na reserva de energia, protege órgãos e ossos contra choques físicos e por fim serve de apoio para as demais camadas de pele (epiderme e derme).

7. Digestivo

7.1. Esôfago

7.1.1. O grau de queratinização da túnica mucosa é váriavel de acordo com a espécie e a dieta desse animal.

7.1.2. Ruminante: conecta a faringe ao estômago e possui 4 camadas:

7.1.2.1. Mucosa

7.1.2.1.1. Formada por epitélio estratificado pavimentoso queratinizado (bastante queratinizado) sob lâmina própria de tecido conjuntivo frouxo e uma lâmina muscular com feixes de músculo liso em sentido longitudinal.

7.1.2.2. Submucosa

7.1.2.2.1. Formada por tecido conjuntivo denso não modelado, contém vasos sanguíneos.

7.1.2.3. Muscular

7.1.2.3.1. Esta camada possui duas subcamadas: circular (interna - cél. musculares compactadas em espiral) e longitudinal (externa - cél. musculares em espiral alongadas). Entre as duas subcamadas, há um pouco de tecido conjuntivo com o "plexo nervoso mioentérico" (ou de Auerbach).

7.1.2.4. Serosa

7.1.2.4.1. Formada por tecido conjuntivo frouxo e epitélio simples pavimentoso (mesotélio).

7.1.3. Carnívoro: epitélio escamoso estratificado não-queratinizado. Sua túnica muscular é composta inteiramente por músculo estriado.

7.1.4. Equino: epitélio escamoso estratificado queratinizado. Os 2/3 da túnica muscular cranial são de tecido muscular estriado e o terço caudal é composto de músculo liso.

7.2. Pré-estômago (ruminante)

7.2.1. Retículo

7.2.1.1. Mucosa

7.2.1.1.1. Epitélio pavimentoso estratificado queratinizado. Porém possui, diferentemente do rúmen, uma membrana mucosa com diversas pregas primárias anastomosadas (unidas) de onde surgem as papilas secundária e terciária. Possui as cristas reticulares e a própria-submucosa. A lâmina muscular é de músculo liso presente somente na porção superior das cristas.

7.2.1.2. Submucosa

7.2.1.2.1. Uma rede de fibras colágenas e elásticas.

7.2.1.3. Muscular

7.2.1.3.1. Possui duas camadas de células de músculo liso que acompanham um curso oblíquo e se entrecruzam em ângulo reto.

7.2.1.4. Serosa

7.2.1.4.1. Tecido conjuntivo frouxo revestido por mesotélio.

7.2.2. Rúmen

7.2.2.1. Mucosa

7.2.2.1.1. Epitélio escamoso estratificado queratinizado e desempenha as funções de: proteção, metabolismo e absorção. Possui papilas cônicas e uma lâmina própria-submucosa de tecido conjuntivo frouxo sem glândulas. Não possui uma lâmina muscular.

7.2.2.2. Submucosa

7.2.2.2.1. Tecido conjuntivo da própria submucosa está mais frouxamente arranjado.

7.2.2.3. Muscular

7.2.2.3.1. Formada por uma camada circular interna e outra longitudinal externa de músculo liso.

7.2.2.4. Serosa

7.2.2.4.1. Tecido conjuntivo frouxo revestido por mesotélio.

7.2.3. Omaso

7.2.3.1. Mucosa

7.2.3.1.1. Epitélio pavimentoso estratificado queratinizado. Esse compartimento possui membrana mucosa queratinizada com numerosas pregas primárias folheadas chamadas de papilas menores, a camada muscular da mucosa forma uma lâmina dupla de músculo liso.

7.2.3.2. Submucosa

7.2.3.2.1. Muito delgada.

7.2.3.3. Muscular

7.2.3.3.1. Composta por uma camada longitudinal externa delgada e uma camada circular interna mais espessa de músculo liso.

7.2.3.4. Serosa

7.2.3.4.1. Tecido conjuntivo revestido por mesotélio, que apresenta-se desgarrada.

7.3. Estômago

7.3.1. Abomaso (ruminante)

7.3.1.1. Mucosa: formada por uma camada de epitélio colunar simples, uma lâmina própria e muscular. Tem as características regiões glandulares do estômago, descritas abaixo, em estômago de equino.

7.3.1.2. Submucosa: tecido conjuntivo, plexo submucoso (de Meissner).

7.3.1.3. Muscular externa: são duas camadas finas de músculo liso, a camada interna consiste de fibras circulares, enquanto as fibras da camada dispostas longitudinais.

7.3.1.4. Serosa: uma camada de epitélio pavimentoso (escamoso) simples (mesotélio), e uma fina camada de tecido conjuntivo abaixo.

7.3.2. Estômago (equino)

7.3.2.1. Mucosa

7.3.2.1.1. Aglandular

7.3.2.1.2. Glandular

7.3.2.2. Submucosa

7.3.2.2.1. Contém fibras de colágeno, tecido adiposo branco, vasos sanguíneos e plexo nervoso submucoso.

7.3.2.3. Muscular

7.3.2.3.1. Possui três camadas, oblíqua interna, circular intermediária e longitudinal externa.

7.3.2.4. Serosa

7.3.2.4.1. Mesotélio suprajacente a uma camada de tecido conjuntivo frouxo.

7.4. Intestino (equino)

7.4.1. Duodeno

7.4.1.1. Mucosa

7.4.1.1.1. Presença de vilosidades que são evaginações dessa túnica. Epitélio colunar simples que contém numerosas células caliciformes entremeadas entre células absortivas colunares com microvilos, que aumentam a superfície de contato e a absorção de nutrientes. Tecido conjuntivo frouxo (ou linfóide difuso) com glândulas de Lieberkhün ou intestinais (constituída de células absortivas, caliciformes, endócrinas e células de Paneth - ruminantes e equinos) que produzem enzimas. Muscular da mucosa - músculo liso.

7.4.1.2. Submucosa

7.4.1.2.1. Camada de tecido conjuntivo com maior densidade do que a da lâmina própria. Glândulas submucosas tubuloalveolares (glândulas de Brunner), são serosas em equinos, lubrificam a superfície do epitélio e proporciona proteção a partir do ácido gástrico do quimo. Possuem nódulos linfáticos solitários (isolados) e nódulos linfáticos agregados (placas de Peyer).

7.4.1.3. Muscular

7.4.1.3.1. Mais espessa em equinos, é constituída por camadas de músculo liso circular interno e longitudinal externo.

7.4.1.4. Serosa

7.4.1.4.1. Tecido conjuntivo frouxo revestida por mesotélio.