Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
SIMBOLISMO por Mind Map: SIMBOLISMO

1. O QUE É?

1.1. O simbolismo é um movimento artístico que surgiu no século XIX e teve como principais características o subjetivismo, o espiritualismo, a religiosidade e o misticismo.

2. O Simbolismo no Brasil (1893-1902) é representado, principalmente, pelos autores Cruz e Sousa (1861-1898) e Alphonsus de Guimaraens (1870-1921).

3. PRINCIPAIS ESCRITORES

3.1. Cruz e Sousa (1861-1898)

3.1.1. Negro, filho de escravos alforriados, nascido em Florianópolis. Sua poesia apresenta profundidade filosófica, em busca da essência. Seus textos evidenciam uma angústia metafísica marcada pela melancolia. O autor tem obsessão pela cor branca, recorrente em suas obras, associada à pureza ideal. Sua poesia só foi reconhecida no século XX.

3.1.2. Principais obras:

3.1.3. Broquéis (1893)

3.1.4. Missal (1893)

3.1.5. Evocações (1898)

3.1.6. Faróis (1900)

3.1.7. Últimos sonetos (1905)

3.1.7.1. Alphonsus de Guimaraens (1870-1921)

3.2. Alphonsus de Guimaraens (1870-1921)

3.2.1. nascido em Ouro Preto, Minas Gerais, foi um dos grandes poetas do movimento simbolista, apresentando uma obra religiosa, de caráter místico, espiritual e sentimental. Os temas mais presentes em sua obra poética são: a dor do amor, a saudade da amada e a morte. Isso porque o grande amor de sua vida, sua prima Constança, morreu muito jovem

3.2.2. OBRAS: Septenário das Dores de Nossa Senhora (1899), Dona Mística (1899), Kyriale (1902), Pauvre Lyre (1921) Pastoral aos Crentes do Amor e da Morte (1923).

4. PÚBLICO:

4.1. O público leitor era reduzido, já que a maior parte da população era analfabeta. As poucas editoras existentes concentravam-se no Rio de Janeiro e lançavam autores de preferência já conhecidos do público, em tiragens pequenas, impressas em Portugal ou na França, e mal distribuídas.

5. CONTEXTO HISTÓRICO

5.1. O movimento simbolista surge nas últimas décadas do século XIX na França, num momento em que o continente Europeu assistia à ascensão da burguesia industrial. O capitalismo se fortalecia com a II Revolução Industrial, permitindo a industrialização de diversos países.

5.2. Nessa fase, muitas inovações no campo científico levaram a ideia de progresso, como, por exemplo, o uso da energia elétrica, de produtos químicos e do petróleo para a produção de combustível.

5.3. É também o momento do neocolonialismo que fragmenta a África e a Ásia, devido ao imperialismo de alguns países europeus industrializados, considerados as grandes potências mundiais.

5.4. Diante desse panorama, o movimento simbolista surge para desafiar esse cenário opondo-se às correntes materialistas, cientificistas e racionalistas que vigoravam, negando a realidade objetiva.

5.5. Além disso, ele vem apoiar a camada da sociedade que está à margem do processo de avanço tecnológico e científico, promovido pelo capitalismo.

6. CARACTERÍSTICAS:

6.1. 1-Falta de confiança na realidade, que seria ilusória; 2-Oposição ao objetivismo parnasiano e realista; 3-Valorização do não racional, ou seja, do mistério; 4-Apreço pelo não consciente, pelo espiritual e imaterial; 5-Crença na existência de um mundo ideal; 6-Relação entre o mundo visível e o mundo das essências (ou ideal); 7-Misticismo, sondagem do eu e valorização da intuição;

6.2. 8-Musicalidade das palavras; 9-Alienação social; 10-Rigor formal: metrificação e rimas; 11-Visão contrária ao otimismo científico; 12-Destaque para o abstrato, o impalpável; 13-Uso de reticências para sugerir imprecisão;

6.2.1. Presença de religiosidade Embora diversos temas da arte simbolista estejam relacionados com um universo mais sombrio e misterioso, é possível identificar em algumas obras uma visão cristã aliada ao desejo da fuga da realidade.

6.3. 14-Poder de sugestão, em oposição à objetividade; 15-Maiúscula alegorizante: palavra escrita 16-com inicial maiúscula; 17-Estímulo dos sentidos humanos, a partir da sinestesia; 18-As palavras com maiúscula alegorizante e as sensações são símbolos capazes de levar o leitor a ter contato com o plano das essências.