Mapa mental Elementos do clima

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Mapa mental Elementos do clima por Mind Map: Mapa mental  Elementos do clima

1. Chuva

1.1. As chuvas podem ser divididas em 3 causa principais: Quando ocorre a evaporação da água pelo solo; Pelo relevo; Ou por formações de frentes frias ou quentes;

1.1.1. A chuva pela evaporação da água do solo é mais comum, e este tipo de chuva forma a neblina. Chuvas pelo relevo acontecem quando o ar úmido se "choca" com uma montanha por exemplo. Este ar sobe para tentar contornar a montanha e sua temperatura diminui conforme a altitude aumenta, assim ele condensa e forma nuvens de chuva. Por fim a chuva por frentes frias ou quentes é bem simples. Uma massa de ar quente é úmido se encontra com uma massa de ar frio. Com esse encontro o ar quente sobre e esfria, assim ele condensa e forma nuvens de chuva.

1.2. As chuvas são mais comuns na região equatorial e conforme seguem em direção aos polos costumam ser mais raras.

2. Ventos

2.1. Desertos tem forte relação com os ventos. Em desertos os ventos que por ali passam são secos e de alta pressão, deixando o lugar com um ar rarefeito e baixíssima umidade.

2.1.1. Fato curioso sobre as brisas. Brisas é aquele ventinho gelado que representa uma diferença de temperatura. Elas normalmente são uma corrente de ventos oceânica que se encontra com o continente, dando alguns calafrios.

2.1.2. Os ventos determinam a dinâmica da atmosfera. Zonas tropicais tendem a serem zonas de baixa pressão, por causa da alta umidade relativa do ar e altas temperaturas. Se estes ventos sobem em um altitude aproximada de 15 quilômetros de altura, os ventos são resfriados, criando um centro de alta pressão e assim eles seguem em direção a linha do equador. O encontro destes ventos quentes e úmidos com ventos resfriados é chamado de zona de convergência tropical (ZCIT)

2.1.2.1. Os ventos que retornam a linha do equador são chamados de ventos alísios

2.2. No globo terrestre temos 3 células de vento importantes. A primeira é a Célula de Ferrel que se descola de zonas de alta pressão para zonas de baixa pressão. A Célula Polar responsável pelos ventos polares de altas latitudes. Por último temos a Célula de Hadley. Esta última célula é responsável pela formação de desertos em regiões subtropicais e zonas muito secas e rarefeitas. Seus ventos abrangem a zona tropical e equatorial.

2.2.1. Por último temos os monções que são ventos regionais, se apegando a características térmicas da região oceano-continente. Estes ventos são muito comuns no sudeste asiático, podendo ser denominados de monções de verão (quentes e alta umidade) ou monções de inverno (secos frios e com baixa pressão). As monções de inverno acentuam a estiagem da reigão.

3. Umidade

3.1. A umidade do ar corresponde a quantidade de vapor da água presente na atmosfera naquele momento. A medida de umidade do ar pode ser representada por umidade absoluta e umidade relativa.

3.1.1. Quando o volume de umidade atinge 4% do volume atmosférico as chances de precipitação aumentam, pois o ar está "saturado" de água. O nível de umidade máxima absoluta é de 4%. A umidade relativa do ar é bem simples, e normalmente quando noticiamos a umidade relativa do ar é de por exemplo 50%, neste caso é a metade da umidade máxima absoluta, ou seja, 2%.

3.2. Os locais mais úmidos que conhecemos são as regiões de florestas, principalmente nas regiões equatoriais. Conforme um ambiente tem mais umidade do que o outro, se aliando ao fator temperatura é possível observar gotículas de água que se condensaram em superfícies frias, como paredes de banheiro, mármore e azulejos.

4. Pressão atmosférica

4.1. Fato curioso é que a pressão atmosférica interfere diretamente nas partidas de futebol. Se um time brasileiro vai jogar contra um time peruano por exemplo os jogadores sentem uma diferença de altitude. Consequentemente por certas cidades no Peru possuírem altitudes elevadas o ar fica mais rarefeito e eles sofrem com a baixa pressão.

4.1.1. Quanto maior a latitude maior a pressão atmosférica. A diferença entre latitude e pressão é responsável pela circulação de ar na atmosfera, originando os ventos, influenciando a umidade e temperatura conforme as massas de ar são quentes ou frias.

4.2. Basicamente a pressão atmosférica é a força exercida pelo ar na superfície. Conforme a altitude aumenta, a pressão atmosférica diminui.

4.2.1. Conforme aumentamos a altitude o ar fica mais rarefeito e a concentração de oxigênio diminuí, chegando em grandes altitudes de 8000 metros por exemplo, a 30% de oxigênio disponível do ar.

5. Temperatura

5.1. Temperatura é basicamente a quantidade de calor na atmosfera. Sendo um dos principais elementos climáticos a temperatura pode ser medida em Graus Celsius, Fahrenheit ou Kelvin.

5.1.1. A temperatura se relaciona diretamente com a latitude, dependendo da zona do globo que você está a temperatura será mais elevado (zona tropical) ou teremos uma temperatura bem mais baixa (zonas polares)