Tipos de Estudos Epidemiológiocos

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Tipos de Estudos Epidemiológiocos por Mind Map: Tipos de Estudos Epidemiológiocos

1. É escolhido uma comunidade na qual irá desenvolver a pesquisa.

1.1. É um tipo de estudo em que o pesquisador não interage com a população amostral de modo direto senão por análise e avaliação conseguidas através da observação. Tem por finalidade determinar a prevalência de uma doença ou condição relacionada à saúde de uma população especificada.

1.1.1. Etapas

1.1.1.1. Populações com características em comum

1.1.1.2. Dados de indivíduos;

2. Ex: Emile Durkheim ( sec XIX) associação ecológica positiva entre a proporção de indivíduos de religião Protestante e as taxas de suicídio. Durkheim concluiu que Protestantes tinham maior probabilidade de se suicidarem do que os Católicos.

3. Observacionais

3.1. Descritivos

3.1.1. determina a distribuição de doenças ou condições relacionadas à saúde, segundo o tempo, o lugar e/ou as características dos indivíduos. Têm por finalidade determinar a distribuição de doenças ou condições relacionadas à saúde, segundo o tempo, o lugar e/ou as características dos indivíduos. Ou seja, responder à pergunta: quando, onde e quem adoece?

3.1.1.1. Etapas

3.1.1.1.1. Desenvolvimento e construção de instrumentos

3.1.1.1.2. .Identificação e definição do problema

3.1.1.1.3. Decodificação e categorização de informações

3.1.1.1.4. Observação e registro de dados

3.1.2. auxiliar na busca de oportunidades para desenvolvimento de novos produtos, mudanças no posicionamento e na comunicação de empresas, produtos ou marcas.

3.2. Analíticos

3.2.1. Caso Controle

3.2.1.1. constituem uma forma relativamente simples de investigar a causa das doenças, particularmente doenças raras. Tem por finalidade ientificar indivíduos com a doença (casos) e, para efeito de comparação, indivíduos sem a doença (controles).

3.2.1.1.1. Etapas

3.2.1.2. Partem do efeito (doença) para a investigação da causa (exposição).

3.2.2. Coorte

3.2.2.1. é um tipo de estudo, no qual se analisa a exposição e, posteriormente, o desfecho.

3.2.2.1.1. Etapas

3.2.2.1.2. EX: Suponha que uma pesquisa tem como objetivo verificar a exposição passiva à fumaça de cigarro e a incidência de câncer de pulmão. Basicamente, a pesquisa começa pela seleção de uma amostra de indivíduos expostos ao fator de risco e de outra amostra equivalente de não expostos.

3.2.2.2. Resultados interessantes devem ser avaliados por meio de outros estudos com dados individuais

3.2.2.3. Causas de uma doença e estabelecer a relação entre fatores de risco e desfechos de saúde.

3.2.2.4. Compara-se a ocorrência da doença/condição relacionada à saúde e a exposição de interesse entre agregados de indivíduos (populações de países, regiões ou municípios, por exemplo) para verificar a possível existência de associação entre elas

3.2.2.4.1. Etapas

3.2.3. Ecológico

3.2.4. Transversal

3.2.4.1. Saber se a exposição antecede ou é conseqüência da doença/condição relacionada à saúde.

4. Experimental

4.1. -Ensaio clínico randomizado

4.1.1. é um experimento epidemiológico que tem por objetivo estudar os efeitos de uma intervenção em particular

4.1.1.1. Etapas

4.1.1.1.1. 1- identificar uma dose tolerável, fornecer informações sobre o metabolismo e excreção da drogas e coletar informações sobre toxicidades 2- coletadas as primeiras informações sobre a eficácia, mas o foco seguem sendo os eventos adversos e a segurança. Os ensaios de fase dois são por vezes controlados e por vezes não controlados, não necessariamente randomizados. 3- etapa de aprovação final para fármacos, avaliando e testando eficácia e segurança. 4- verificar como uma intervenção funciona no mundo real e examinar a segurança a longo prazo.

4.2. Ensaio comunitário

4.2.1. é um experimento epidemiológico que tem por objetivo estudar os efeitos de uma intervenção em particular

4.2.1.1. Etapas

4.2.1.1.1. • A população estudada não são pacientes e sim pessoas livres de doenças e presumivelmente sob risco • Os dados são coletados na população em geral • São mais caros e de maior duração de tempo

4.3. Serve para estudar a história natural da doença

4.4. Ensaio de campo

4.4.1. esse estudo inclui pessoas com a doença (ou outra variável de desfecho) e um grupo controle (grupo de comparação ou referência) composto de pessoas não afetadas pela doença ou variável de desfecho.

4.4.1.1. Etapas

4.4.1.1.1. • Uma limitação desse tipo de delineamento é que somente um pequeno número de comuni- dades pode ser incluído e a alocação aleatória das comunidades não é muito prática. • Os grupos de tratamento são comunidades ao invés de indivíduos

4.4.2. É realizado em pequena escala e com custos menores quer seja porque não envolvem acompanhamentos de longo período, quer seja porque não exigem a medida de doença como desfecho.

4.4.3. Examinar associações entre exposição e doença/condição relacionada na coletividade.