Ciclo reprodutivo das briófita.

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Ciclo reprodutivo das briófita. por Mind Map: Ciclo reprodutivo das briófita.

1. Ciclo de vida das briófitas As briófitas são plantas que podem reproduzir-se de maneira assexuada e também sexuada. A reprodução assexuada pode ocorrer, por exemplo, por meio de fragmentos de tecidos, que são utilizados para gerar uma nova planta e não envolve gametas. Já na reprodução sexuada, vemos a presença de gametas: anterozoides e oosfera. A seguir descreveremos brevemente o ciclo de vida de um musgo, o qual é semelhante ao ciclo da maior parte das outras briófitas. Na reprodução dos musgos, há a presença de gametófitos (fase produtora de gametas) e esporófitos (fase produtora de esporos). Observamos gametófitos femininos e masculinos: os femininos apresentam arquegônios, e os masculinos, anterídios. Nos anterídios, são produzidos os anterozoides (gametas masculinos); no arquegônio, é produzida a oosfera (gameta feminino). Em cada arquegônio, é produzida uma única oosfera; no anterídio, vários anterozoides são formados. As briófitas são plantas que necessitam de água para a reprodução, uma vez que o anterozoide necessita desse meio para deslocar-se. Sendo assim, na presença de água, o anterozoide nada até o arquegônio. Ao chegar próximo ao arquegônio, os anterozoides são atraídos quimicamente até o local onde a oosfera está. O anterozoide então se funde com a oosfera.

2. Exemplos de briófitas Briófita é um termo utilizado para identificar plantas avasculares (vegetais que não apresentam estruturas de vasos de transporte) e geralmente de pequeno tamanho. Como exemplos de briófitas, podemos citar os musgos (filo Bryophyta), hepáticas (filo Marchantiophyta) e antóceros (filo Anthocerotophyta).

3. O ciclo de vida das briófitas destaca-se por apresentar as seguintes etapas: Gametófito masculino produz anterozoide (gameta masculino); Anterozoide nada até o gametófito feminino em direção à oosfera (gameta feminino); Ocorre a fecundação; Zigoto desenvolve-se em esporófito; Esporófito desenvolve-se sobre o gametófito; Ocorre meiose na cápsula do esporófito; A cápsula abre-se e os esporos são liberados; Esporo cai no ambiente e desenvolve-se; Protonema é formado; Protonema desenvolve-se e forma um gametófito adulto.

4. O ciclo de vida das briófitas apresenta alternância de gerações e dependência de água. As briófitas possuem a fase de gametófito (produtora de gametas) como o estágio dominante do ciclo de vida, ou seja, a fase mais desenvolvida e que mais dura. Os esporófitos (produtores de esporos), por sua vez, são uma fase passageira do ciclo

5. Diferenças entre o ciclo das briófitas e o das pteridófitas As pteridófitas e as briófitas apresentam ciclos de vida com algumas semelhanças e diferenças. Dentre as semelhanças, podemos destacar o fato de o ciclo de ambas, assim como o de outros grupos, apresentar alternância de gerações. Além disso, tanto briófitas quanto pteridófitas necessitam da água para reproduzir-se. No que diz respeito às diferenças, podemos destacar: Briófitas possuem o gametófito como geração dominante, diferentemente das pteridófitas, que possuem os esporófitos como geração dominante. As pteridófitas possuem esporófito de vida livre, diferentemente das briófitas, que possuem um esporófito dependente do gametófito.