Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
Guerra Comercial por Mind Map: Guerra Comercial

1. EUA e China, as duas maiores potências do mundo nas primeiras décadas do século 21.

2. Rivalidade entre os Estados Unidos capitalista e a União Soviética comunista que dominou a geopolítica do final da década de 1940 ao início da década de 1990.

3. A economia chinesa superou com folga o desempenho da americana mesmo em momentos de crise global. Na recessão mundial de 1991, a China cresceu 9,3%, contra uma retração de 0,1% dos EUA

4. As relações está em tensão desde a campanha presidencial americana de 2016, quando o então candidato republicano Donald Trump ameaçou tomar medidas comerciais contra a China.

5. A guerra comercial em 3 atos

5.1. TENTATIVA DE ACORDO E ‘VÍRUS CHINÊS’

5.2. O ano de 2020 começou com uma sinalização de que o conflito perderia força. Os dois países assinaram em janeiro a primeira parte de um acordo comercial. A negociação, porém, não avançou, e a disputa voltou a ganhar corpo na pandemia do novo coronavírus.

5.2.1. GUERRA DE TARIFAS

5.2.2. A primeira medida concreta a alimentar as atuais tensões entre as duas maiores economias do planeta veio nos primeiros meses de 2018, quando Trump anunciou tarifas de importação a produtos chineses.

5.2.3. AS PERSPECTIVAS COM BIDEN

5.2.4. O grande protagonista dos primeiros anos de guerra comercial foi Donald Trump, que saiu derrotado das eleições presidenciais de 2020 e deixou a Casa Branca em janeiro de 2021. O democrata Joe Biden prega uma mudança na política externa em relação a seu antecessor, com um deslocamento em direção ao multilateralismo.

6. O pano de fundo do enfrentamento entre EUA e China é a ascensão econômica da China nas primeiras décadas do século 21. O país asiático emergiu como a única potência capaz de rivalizar com o poderio americano no mundo.

7. A primeira medida concreta a alimentar as atuais tensões entre as duas maiores economias do planeta veio nos primeiros meses de 2018, quando Trump anunciou tarifas de importação a produtos chineses.

8. Os EUA têm um PIB per capita muito superior ao da China. Ou seja, a cada ano, um habitante dos EUA produz, em média, mais que um habitante da China. Esse número é alcançado dividindo o PIB de cada país pela sua população.

9. O crescimento da economia chinesa foi acompanhado de uma participação cada vez maior no comércio internacional. Como compradora, a China impulsionou o boom das commodities na década de 2000

10. Os EUA, que registraram retração da atividade econômica no ano, foram o destino de pouco mais de 10% das vendas brasileiras ao exterior – a menor participação desde 2011. Já a China chegou ao status de compradora de praticamente um terço de todos os produtos vendidos pelo Brasil no mercado internacional.

11. Esse movimento não foi exclusivo do Brasil. A China tem aumentado sua parcela de mercado em outros locais, como Argentina e União Europeia.