A Fonética, a Fonologia e o ensino.

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
A Fonética, a Fonologia e o ensino. por Mind Map: A Fonética, a Fonologia e o ensino.

1. A fonética e a fonologia estão diretamente ligadas ao processo de alfabetização/letramento.

1.1. A alfabetização é um componente do letramento, pois o processo vai além da codificação de fonemas e decodificação de gafemas, assimilação do sistema alfabético e ortográfico da língua.

2. O professor deve conhecer de fato o objeto que ensina, sabendo dosar alfabetização e letramento.

3. A consciência fonológica já é uma habilidade observada em crianças de 3 a 4 anos que vem sendo estudada a décadas, principalmente na sua relação com a alfabetização e aquisição da língua escrita.

3.1. Nos últimos trinta anos, as pesquisas têm demonstrado que a consciência fonética está estreitamente relacionada ao sucesso da leitura e da escrita alfabética e que, embora a habilidade não seja um pré-requisito, ela determina em alguma medida a formação de bons e maus leitores.

3.2. A consciência fonológica compreende a consciência fonêmica que envolve a capacidade de reconhecer e manipular fonemas que constituem a língua,

3.2.1. São cinco as habilidades em consciência fonêmica: apagamento de fonemas, combinação de fonemas, identificação ou detecção de fonemas, segmentação de fonemas e invariância de fonemas.

3.3. Rima, aliteração, consciência de palavras e consciência da sílaba, são habilidades em consciência fonológica que podem ser exploradas na pré-escola e nas séries iniciais.

4. O segredo da decodificação é a relação: gafema/fonema.

4.1. Gafema: é a unidade mínima distintiva (porque não é divisível) de um sistema de escrita, ou seja, é a representação gráfica do fonema.

5. Refletir sobre o grau de dificuldade e, a partir dessa análise, bolar estratégias para o desvendamento do código pode ser uma pista para aqueles que buscam caminhos para alfabetizar.

6. Antes mesmo de iniciar a alfabetização, a criança deve ser estimulada a refletir sobre o que ouve e o que fala.

7. Pesquisas demonstram que bebês ainda na barriga das mães são capazes de ouvir, de reconhecer vozes, distinguir sons e reagir a estímulos sonoros. Á medida que que vai distinguindo os sons e se apropriando da fonologia da língua que se fala na sociedade em que está inserida, vai especificando seu conhecimento linguístico e limitando o leque de possibilidades para outra língua.

8. O preconceito linguístico ligado aos fenômenos fonéticos é uma das questões que muito interessa a área da Fonética e Fonologia.