DEGENERAÇÃO

Mapa mental - Degeneração

Começar. É Gratuito
ou inscrever-se com seu endereço de e-mail
DEGENERAÇÃO por Mind Map: DEGENERAÇÃO

1. HIDRÓPICA

1.1. Características:

1.1.1. Acúmulo de água e eletrólitos no meio intracelular

1.1.2. Espaços vazios, frequentemente em torno do núcleo, deixados pelo acúmulo de líquido

1.1.3. Desequilíbrio iônico de sódio (Na+) e potássio (K+)

1.1.3.1. A consequência direta disso é a Retenção de sódio (Na+) e água na célula.

1.1.4. Diminuição na síntese de ATP

1.1.5. Órgãos acometidos por essa degeneração aumentam de volume e apresentam certa palidez

1.2. Causa mais comum:

1.2.1. Hipoxia

1.2.1.1. Ausência de oxigênio suficiente nos tecidos

1.3. Dados para Diagnóstico:

1.3.1. Células epiteliais com volume aumentado;

1.3.2. Citoplasma vacuolizado, mais alargado e mais claro;

1.3.3. Núcleo mais periférico ou fora do plano de corte;

1.3.4. Contornos celulares bem evidentes e corados.

2. GORDUROSA

2.1. Características

2.1.1. Acúmulo excessivo de lipídios dentro das células

2.1.2. Mais comum no fígado, epitélio tubular renal, e no miocárdio.

2.1.3. Formam vacúolos que deslocam o núcleo para a periferia

2.1.4. Hepatócitos de cor clara, com citoplasma granuloso, microvacuolar

2.1.5. Órgãos acometidos se apresentam amarelado e gorduroso

2.2. Tipos

2.2.1. Esteatose

2.2.1.1. Metabolizam gordura, mas não armazenam.

2.2.1.2. Esteatose Hepática

2.2.1.2.1. Acúmulo de triglicerídeos dentro dos hepatócitos.

2.2.2. Lipidose

2.2.2.1. Não metabolizam e nem armazenam gordura.

2.3. Dados para Diagnóstico:

2.3.1. Espaços geométricos com as pontas afiladas dispersos no tecido conjuntivo;

2.3.2. No entorno de alguns cristais de colesterol podem ser observadas células gigantes multinucleadas

3. CÁLCICA

3.1. Características

3.1.1. Deposição de sais de cálcio e outros sais minerais nas mitocôndrias de células necróticas.

3.1.2. A calcificação distrófica pode estar presente no tecido pulpar com alterações regressivas.

3.2. Dados para diagnóstico

3.2.1. Nódulos basófilos de formas e tamanhos diversos distribuídos por toda a polpa

3.2.2. Nódulos cálcicos

3.2.2.1. Estruturas arredondadas no interior da polpa

3.2.3. Agulha cálcica

3.2.3.1. Estruturas afiladas

3.2.4. Poeira cálcica

4. HIALINA

4.1. Características

4.1.1. Acúmulo de proteínas dentro ou fora das células.

4.1.2. Proteína acidófila

4.1.3. Corpúsculo de Russel

4.1.3.1. Acúmulo de imunoglobulinas IgG no interior dos plasmócitos.

4.1.4. Aspecto rósea, vítrea e homogênea

4.2. Tipos:

4.2.1. Degeneração Hialina Extracelular (conjuntivo-vasculares)

4.2.1.1. DH propriamente dita

4.2.1.2. Amiloidose

4.2.2. Degeneração Hialina Intracelular

4.2.2.1. Principais causas de acúmulos intracelulares são a reabsorção de proteínas pelo epitélio tubular renal, produção excessiva de proteínas normais e por defeitos no dobramento das proteínas

4.3. Dados para diagnóstico

4.3.1. Observar os corpúsculos de Russel

4.3.1.1. D. hialina celular

4.3.2. Fibras colágenas espessas, róseas e homogêneas

4.3.2.1. D. hialina conjuntiva

4.3.3. Presença de material hialino, róseo, homogêneo obstruindo parcialmente (trombo mural) ou totalmente a luz de alguns vasos (trombo oclusivo).

4.3.3.1. D. hialina conjuntiva